NERINA – A OVELHA NEGRA

A produção infantil ‘Nerina – A Ovelha Negra’ chega ao Teatro J. Safra, em São Paulo. O espetáculo, que recebeu seis indicações ao Prêmio São Paulo de Incentivo ao Teatro Infantil e Jovem 2017 (melhor espetáculo, adaptação, direção, atriz, trilha e sustentabilidade), tem curtíssima temporada com apresentações aos fins de semana, do dia 2 a 24 de setembro, sempre às 16h.

Baseada em um dos livros sem palavras, feito somente com ilustrações, do reconhecido cartunista Michele Iacocca, a peça ‘Nerina – A Ovelha Negra’ encerrará a trilogia de espetáculos montados pelo grupo Maracujá Laboratório de Artes a partir de obras do autor, que inclui os espetáculos Rabisco – um cachorro perfeito (2010) e As Aventuras de Bambolina (2008), ambos contemplados com prêmios como FEMSA, Myriam Muniz, Zé Renato, Alfa Criança, e participantes de editais do SESI, CAIXA Cultural, SESC, ProAC (da Secretaria Estadual de Cultura de São Paulo), além da presença em inúmeros festivais e mostras de artes cênicas pelo Brasil.

Nerina, que significa “negrinha” em italiano, é uma ovelha negra que quer apenas fazer parte de um rebanho. Mas as demais ovelhas, todas brancas, se recusam a acolhê-la. Sozinha, Nerina dá de cara com um lobo faminto que, ao invés de devorá-la, pensa melhor e resolve usá-la para atrair as outras ovelhas. Acuada, Nerina o obedece, mas surpreende ao final, mostrando que o preconceito não é solução para nenhum problema.

O Teatro J. Safra escolheu trazer a peça de volta à cena, em função da qualidade artística do projeto e mensagem que incentiva o fim do preconceito. “As crianças se divertem e aprendem muito com a mensagem principal da peça: que o preconceito não leva a nada. Nerina, que se sente acuada, faz o que o lobo manda e assusta todo o rebanho, mas revela-se e surpreende ao mostrar que o diferente é o que muda as situações da vida, salva o dia, todas suas amigas e interrompe este ciclo de preconceito”, finaliza o diretor da peça, Sidnei Caria.

Caca Diniz_Nerina a ovelha negra 1

Nerina – a Ovelha Negra
Com Bia Rezende, Camila Ivo, Cassio Pereira, Lucas Luciano, Piva Silva, Sidnei Caria, Silas Caria e Yasmin Olí
Teatro J. Safra (Rua Josef Kryss, 318 – Barra Funda – São Paulo)
Duração 55 minutos
02 a 24/09 (exceto dia 16)
Sábado e Domingo – 16h
$20/$40
Classificação Livre

NERINA – A OVELHA NEGRA

Nerina, que significa negrinha em italiano, é uma ovelha de cor diferente das outras e, por isso, não é aceita pelo rebanho. Sozinha, ela acaba dando de cara com lobos famintos. Porém, ao invés de devorá-la, eles resolvem usá-la para atrair mais ovelhas. A partir daí, as coisas mudam um pouco de figura. O musical, que fica no Sesc Pompeia de 11 de março até 23 de abril, retrata de uma maneira lúdica e direcionada ao público infantil a questão do preconceito e como ele se insere na sociedade. 

O espetáculo é produzido por Maracujá Laboratório de Artes, grupo que há onze anos marca presença no universo do teatro para crianças e já foi contemplado com diversos prêmios e editais do segmento, além de circular por importantes festivais nacionais.

As diferença, sejam elas racionais, políticas, religiosas ou de gênero podem resultar em violência, exclusão e expressões preconceituosas. Diante desse cenário, o grupo identificou a oportunidade de questionar junto às crianças os motivos da rejeição ao outro, considerado diferente. “Em Bambolina, temos a boneca rejeitada por ser velha. Em Rabisco, o cachorro rejeitado por não ser bonito. E em Nerina, vem à tona a questão de como as pessoas lidam com as diferenças, assunto de extrema importância a ser debatido nos dias de hoje”, comenta Sidnei Caria, diretor artístico do grupo.

O espetáculo contará ainda com sessões acessíveis às pessoas com deficiência visual. O recurso audiodescritivo estará disponível nas apresentações dos dias 8 e 9 de abril.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Nerina – A Ovelha Negra
Com Bia Rezende, Camila Ivo, Lucas Luciano, Piva Silva, Sidnei Caria, Silas Caria e Yasmin Olí
SESC Pompéia (R. Clélia, 93 – Pompeia, São Paulo)
Duração 45 minutos
11/03 a 23/04 (Apresentação do dia 8 e 9 de abril contará com audiodescrição)
Sábado e Domingo – 12h
$5
Classificação livre
 
Acompanhe o Maracujá Laboratório de Artes na internet:
 
Baseado no livro ilustrado homônimo de Michele Iacocca
Adaptação, Concepção e Direção Artística: Sidnei Caria
Direção Musical, trilha sonora e arranjos: Fernanda Maia
Assistência de Direção: Camila Ivo e Lucas Luciano
Assistente de Direção Musical: Ronaldo Liano
Direção de Arte e Figurinos: Sidnei Caria
Confecção de Cenografia, bonecos e adereços: Maracujá Laboratório de Artes (Lucas Luciano, Sidnei Caria e Silas Caria)
Música Original (letra): Michele Iacocca e Sidnei Caria
Melodias: Sidnei Caria e Fernanda Maia
Música Incidental Cena Sonho/Pesadelo: Ronaldo Liano
Iluminação: Marisa Bentivegna
Preparação Corporal: Lucas Luciano
Coreografias: Camila Ivo, Lucas Luciano e Sidnei Caria
Confecção de figurinos: Tetê Ribeiro e Cidinha André
Soluções Técnicas Audiovisuais: Lucas Luciano, Sidnei Caria e Silas Caria
Técnico de Palco e Operador de Efeitos Sonoros: Renan Vinicius
Técnico e Operador de Som: Aragonesco
Técnico de Iluminação: Henrique Andrade
Coordenação de Produção e Design Gráfico: Camila Ivo
Produção Executiva e Administração: Vivian Oliveira
Fotografias: Cacá Diniz
Assessoria de Imprensa: Taga Comunicação Estratégica