O DESPERTAR DA PRIMAVERA

Nos dias 2, 3 e 4 de dezembro – de segunda a quarta, às 21h – a Escola de Atores Wolf Maya apresenta o espetáculo O Despertar da Primavera, um estudo sobre a obra de Frank Wedekind com direção de Dan Rosseto. As sessões acontecem no Teatro Nair Bello, tendo no elenco os alunos da Turma M5A da escola.

Com fortes críticas à sociedade alemã do fim do século XIX, que culturalmente reprimia a sexualidade, a obra é uma dramatização viva de fantasias eróticas, além de tocar em assuntos como morte, aborto, abuso e religião. Pela ousadia da abordagem, a peça foi censurada à época.

Escrita entre o outono de 1890 e a primavera de 1891, O Despertar da Primavera teve sua primeira montagem autorizada somente em novembro de 1906, em Berlim, com direção de Max Reinhardt. Em 1917, a obra atravessou o continente e estreou na cidade de Nova Iorque – primeira encenação em inglês -, onde também sofreu censura. Em 2006 a versão musical estreou na Broadway, arrebatando prêmios (foram oito Tony Awards, incluindo melhor musical) e atraindo os jovens para o teatro. No Brasil, diversas montagens do texto ganharam os palcos pelas mãos de importantes diretores, revelando novos talentos para as artes cênicas.

Nesta versão inédita, o dramaturgo Dan Rosseto traz ao público uma história que atravessa o tempo, situando os conflitos dos adolescentes em 1890, nos anos 60 e nos dias atuais. Sem uma linha narrativa cronológica, o espectador acompanha os dramas vividos pelos jovens em cada época, embalados por músicas e acontecimentos marcantes. “As personagens vivem, em cada período, os conflitos escritos por Wedekind com seus desdobramentos sociais, morais, sexuais, éticos e religiosos”, comenta o diretor Dan Rosseto, que completa: “Será espantoso e surpreendente acompanhar Moritz, Melchiors, Wendlas, Marthas, Ilses, em diferentes períodos, e perceber que o ser humano continua em busca de algo que está longe de encontrar”.

Frank Wedekind (Hanover, 1864 – Munique, 1918) foi ator, dramaturgo e romancista. É um dos precursores do movimento expressionista. O Despertar da Primavera (1891) é sua peça mais conhecida. Sua obra antecipou o teatro épico de Bertolt Brecht e já apontava para o que veio a se chamar teatro do absurdo. Brecht cita Wedekind como uma de suas grandes influências, tendo escrito um ensaio sobre ele na ocasião de sua morte, além de o considerar um dos grandes educadores da Europa moderna como Tolstoi e Strindberg.

FACE (3)

O Despertar da Primavera 

Com Alejandro Chiaradia, Andressa Ghezzi, Andressa Sifuente, Beatriz Matos, Fabiano Issas, Gabriel Scudeler, Gabriela Abrão, Guilherme Conceição, João Pedro Ruiz, Lara Handler, Larissa Bruna, Letícia Monezi, Lívia Guimarães, Luis Felipe Gimenes, Marília Troiano, Nathalia Marzola, Patrick Oliveira, Pedro Gottardi, Sara Rodrigues, Tayane Araújo, Thaís Rovesta e Vicky Souza.

Teatro Nair Bello – Shopping Frei Caneca (R. Frei Caneca, 569 – Consolação, São Paulo)

Duração 90 minutos

02 a 04/12

Segunda, Terça e Quarta – 21h

$20

Classificação 12 anos

O DESPERTAR DA PRIMAVERA

Notícia que pegou o público de Teatro Musical de surpresa.

O diretor Claudio Botelho divulgou, nesta quinta feira, na sua página do facebook a remontagem do musical “O Despertar da Primavera” para 2018.

O musical fala do universo de um grupo de adolescentes que vivenciam situações de iniciação sexual, incesto e opressão, em cenas fortes de masturbação, homossexualismo, aborto e suicídio.

O espetáculo estreou no país em 2009, produzido pela dupla Möeller & Botelho, no Rio de Janeiro. Desta montagem, foram revelados jovens atores, que se destacaram e desde então podem ser vistos nas salas de teatro, cinema ou na televisão.

Segue a relação do elenco original: Pierre Baitelli, Malu Rodrigues, Rodrigo Pandolfo , Leticia Colin, Thiago Amaral, Felipe de Carolis, Laura Lobo, Julia Bernat, Estrela Blanco, André Loddi, Bruno Sigrist, Pedro Sol, Danilo Timm, Thiago Marinho, Davi Guilhermme, Lua Blanco, Eline Porto, Mariah Viamonte, Alice Motta, e Carlos Gregório e Debora Olivieri, que interpretavam os papéis dos adultos.

moellerbotelho-1495112874482.jpg

(crédito foto – Leo Ladeira)

A Saber

Ainda estamos aguardando – ansiosamente – pelas montagens que foram anunciadas: “Pippin” – com Beatriz Segall; “Se Meu Apartamento Falasse” – com Maria Clara Gueiros e Gregório Duvivier; e “A Noviça Rebelde“; além da vinda para São Paulo dos espetáculos “Os Saltimbancos Trapalhões” e “Kiss Me Kate – O Beijo da Megera“.

O DESPERTAR DA PRIMAVERA

O espetáculo “O Despertar da Primavera”, da Cia. Sentidos de Teatro, estreia em 20 de agosto de 2016 no Teatro Paiol Cultural. A peça ficará em cartaz aos sábados, às 19h30, em curta temporada, até dia 10 de setembro.

Um dos espetáculos mais aclamados de todos os tempos do teatro, “O Despertar da Primavera” foi escrito em 1891 por Frank Wedekind, autor e ator teatral e romancista que foi precursor do movimento expressionista. Considerado um gênio do teatro, Wedekind transforma sua literatura em um território sem leis pré-estabelecidas; ele apresenta desafios para a moralidade e as crenças; e muitas de suas peças apresentam cenas brutais – apresentam uma versão de uma vida ampliada, ilusória, mas reconhecível, conseguindo assim captar seu poder e beleza.

Na releitura da Cia. Sentidos, o espetáculo ganha uma estética singela, que combina elementos do expressionismo com uma trilha sonora rock n’ roll, que mistura canto e dança. O espetáculo é contado por 17 atores, que encenam, dançam e cantam, e por uma banda de cinco músicos, que realizam a música do espetáculo ao vivo.

casal.png

 

SINOPSE

“O Despertar da Primavera” descortina a sociedade da Alemanha no final do século XIX; uma sociedade profundamente enraizada em conceitos e moralidades patriarcais e religiosos. Optando por adotar o ponto de vista das crianças, trata do desabrochar da sexualidade e do fim da inocência da infância. Melchior Gabor é um jovem brilhante e rebelde, que ousa questionar os dogmas vigentes; enquanto que Wendla Bergman é uma menina criada por uma mãe com rígidos princípios morais e religiosos. O encontro dos dois irá provocar a explosão do desejo, da vontade de conhecer o sexo e o amor.

A história deles é acompanhada por outros jovens, como o oprimido e trágico Moritz, melhor amigo de Melchior, ou a bela Ilse, jovem errante que ousou aventurar-se pelo mundo e usufruir da liberdade. Todos eles têm que enfrentar o peso da repressão e do conservadorismo, nos mais diversos estágios da sociedade. Questões como abuso sexual, violência doméstica, gravidez na adolescência, prostituição, suicídio e homossexualidade, entre outros, vêm à tona na vida desses jovens.

Site: www.ciasentidos.com.br

O Despertar da Primavera
Com Jéssica Benite, Diego Santos, Marcelo Cazzelato, Angelo Favero, Larissa Medina, Lucas Furlan, Kevin Pacco, Danielle Carvalho, Giselli Trukiti, Leilane Bertunes, Polyana Porfírio, Rodrigo Odone, Mayumi Honda, Maciel Ferreira, Peter Macuzaya, Rita Mirone e Larissa Leão (swing).
Banda: Dario Ricco, Fabrício Sampaio, Felipe Grazia e Hiago Guirra. Músico swing: Marco De Laet.
Teatro Paiol Cultural (R. Amaral Gurgel, 164 – Vila Buarque, São Paulo)
Duração 120 minutos
20/08 até 10/09
Sábado – 19h30
$40
Classificação 16 anos.
 
Um espetáculo da Cia. Sentidos de Teatro.
Adaptado da obra original de Frank Wedekind.
Texto adaptado por Angelo Favero.
Direção Cênica: Angelo Favero.
Direção Musical de voz: Mayumi Honda.
Direção Musical de banda: Marco De Laet.
Direção de Atores: Rodrigo Odone.
Coreografias: Wellington Al.
Produtor Associado: Gustavo Dittrichi.
Sonorização / Operador de Som: Marco De Laet.
Iluminação / Operador de Luz: Gustavo Dittrichi.
Criação gráfica e Arte: Diego Santos.
Design de site e Divulgação: GDArt.
Produzido por: Lusco-Fusco Produções Artísticas.

 

O DESPERTAR DA PRIMAVERA

A ER Arte Produções apresenta o resultado do trabalho de pesquisa da turma de Teatro Musical da Escola Edu Rodrigues – a montagem do espetáculo “O Despertar da Primavera“, de Frank Wedekind.

O texto conta a história de dois adolescentes e o despertar de sua sexualidade. Um trabalho ousado em sua descrição dos adolescentes e da autodescoberta. A rebeldia própria dos jovens revelarem-se de modo contundente e poético, criando um drama cheio de ação e surpresas .

A direção optou pelo despojamento sem perder de vista o traço amargo que permeia a obra trágica do autor. O espetáculo aborda temas como abuso sexual,  violência doméstica,  gravidez na adolescência,  drogas,  prostituição,  doenças sexualmente transmissíveis, suicídio, etc.

A peça ficará em cartaz no Teatro Fernando Torres, somente em três apresentações.

despertar

O Despertar da Primavera
Com Alexandre Vieira, André Yamamura, Beatriz Bizzoto, Beatriz Carrera, Bianca Garcia, Bianca Gomes, Camila Mendonça, Carol Garcia, Cris Nunes, Flávio Santos, Fernanda Borges, Gabriel Martins, Gabriella Tavares, Georgia Querido, Ghell Silva, Giovanne de Salvo, Hebert Freitas, Izildo Galindo, Jonatan Nogueira, Lauanna Andrade, Marcia Maria, Mariana Bernardes, Mayara Sanchez, Maycon Turell, Paul Capter, Regina Méli, Rodrygo Bianchi, Tami Pontes e Ygor Sapucaia
Direção Geral: Edu Rodrigues
Adaptação e Direção: Reynaldo Sapucaia
Teatro Fernando Torres
Duração 100 minutos
14 até 28/07
Quinta – 20h30
$60
Classificação 10 anos

PERFIL: GUSTAVO VIERLING

O ator e produtor Gustavo Vierling dá hoje um novo passo na sua carreira. Nesta quarta feira, 15 de junho, estreia o seu mais novo trabalho – “Mente Mentira” (texto de Sam Shepard), às 21 horas, no Espaço Parlapatões.

Se já não bastasse a emoção da estrear uma nova peça, a data também marca o início das atividades da sua produtora teatral, a Vierling Produções.

12063850_10153460680400073_5374070133126635291_nEste paulista, 30 anos,  natural de São Bernardo, sempre teve o teatro muito presente na sua vida. A paixão começou com as peças infantis que a escola o levava e com as brincadeiras de teatro com seus amigos na sua casa. Gustavo se recorda que ainda na infância, era fã dos Power Rangers, e criou o seu personagem, com direito a revista em quadrinhos e um filme, que o pai gravou durante um final de semana – “Super Gustavo na Arca de Noé“.  O tino de produtor desabrochou nesta época – ele fez sessões do filme para os amigos assistirem, cobrando ingresso.

Mas com o passar dos anos, a vida caminhou para outro lado. Durante sua adolescência, deixou de lado o teatro e foi ter uma “vida normal”.  Terminou o colégio e na hora de fazer a faculdade, não fez uma só, formou-se em três: Direito, Educação Física e Recursos Humanos.

Mas não era isso que o completava. Gustavo teve então coragem de jogar tudo para o alto e correr atrás do seu sonho. Matriculou-se em 2011 na Escola de Atores Wolf Maya e resolveu-se profissionalizar. Durante o curso, arrumou um tempo para ir para Nova York, em 2012, estudar na New York Film Academy.

O seu primeiro trabalho profissional foi “Tarzan, o Musical“, de direção de Alexandre Biondi; e emendou com “A Pequena Sereia“, também do mesmo diretor. Até que entrou na Companhia dos Reis, uma companhia teatral criada por seus amigos dos tempos de Wolf Maya: Ivo Ueter, Filipe Bertini e Fernando Maia.

image3.JPG

“O Despertar da Primavera”

Na Companhia dos Reis, participou da primeira produção da companhia, a montagem do espetáculo de Maria Clara Machado, “Pluft, o Fantasminha“. Foi nesta mesma época, que seu amigo, Thiago Mantovani entrou na companhia. A segunda montagem foi o musical “O Despertar da Primavera” (de Frank Wedekind).

Neste meio tempo, Gustavo e Thiago resolveram tirar da gaveta um projeto que ambos tinham logo depois que se formaram no ‘Wolf Maya’. Era o primeiro texto de ambos: “Querido Amigo“.

O texto foi escrito a partir de pesquisas, conversas com amigos e de coisas que gostamos de assistir, surgiu a ideia desse texto. Foi tudo muito intenso e rápido. Em dois meses tínhamos o texto pronto e registrado. Mas para vê-lo montado,  entraram com um projeto no site de financiamento coletivo, Partio, para conseguirem arrecadar a quantia necessária para a produção. Demorou 60 dias para conseguirem captar o recurso inicial.

13091978_1017510848338433_1296728976390499010_n

Fernando Maia, Thiago Mantovani, Gustavo Vierling e Filipe Bertini – “Querido Amigo”

A primeira montagem foi no dia 10 de dezembro de 2015, em uma sessão voltada aos amigos, familiares e apoiadores. E no dia 03 de março deste ano, começou a temporada regular de “Querido Amigo“, primeiramente no Teatro Commune e depois, no Espaço Parlapatões.

Gustavo lembra que ver a história de Bernardo e Cristiano (interpretados por ele e por Thiago), os personagens da peça, no palco foi “surreal, muito emocionante. Até hoje eu fico emocionado quando penso sobre tudo isso, e a reação do público sempre é incrível e bem positiva. Durante nossa temporada já conheci vários Bernardos (risos)“.

13335749_612671218890154_5129081524823070652_n

Mas Gustavo tinha outro projeto/sonho em gestação – queria montar o clássico do escritor Sam Shepard, “Mente Mentira“. Seu primeiro contato com o texto foi em 2012, quando ainda estava estudando no ‘Wolf Maya’. Ele teve que se apresentar para uma banca examinadora da escola, e decidiu montar uma cena da peça. Foi quando prometeu que ainda montaria o texto inteiro no palco.

image4

Gustavo e sra. Antonia Maria Vierling

O projeto começou sair do papel ano passado quando resolveu ir atrás dos direitos. Mas foi no mesmo tempo que sua mãe, Antonia Maria Vierling, e sua maior incentivadora, descobriu que estava com um câncer no pâncreas. Ela não se esmoreceu. Ainda ajudou-o financeiramente para colocar o projeto em pé. Como Gustavo diz, acabou sendo o último presente em vida dela.

Para montar o texto, Gustavo resolveu criar a Vierling Produçõesuma produtora pra projetos paralelos, pra quando eu fizer coisas mais experimentais, realizar sonhos individuais, não de grupo.

Através da indicação da amiga e atriz, Renata Rossini, ele conheceu o ator Mateus Monteiro, de quem já era fã nos palcos. Apresentou o projeto e resolveu convidá-lo para dirigir. Mateus aceitou a participar do projeto e fazer a sua primeira direção. Para Gustavo, “o processo foi puxado, cresci e aprendi muito como ator e ser humano“.
13407217_1731948653755296_4974933257534543512_n
A escolha do elenco também foi fundamental. Dividem o palco com ele os atores Daniel Costa, Fafá Rennó, Gutto Szuster, Larissa Ferrara, Lucas Romano, Rafaela Cassol e Vivian BertoccoAgradeço todos os dias por ter a oportunidade de trabalhar ao lado de atores tão dispostos, que propõem, que são generosos e parceiros. Eu aprendo toda hora, diz Gustavo.
E hoje nasce mais um sonho. “Mente Mentira” estreia no Espaço Parlapatões, com sessões às quartas e quintas, às 21 horas, para uma temporada até o dia 21 de julho. A montagem é dedicada a sua mãe e fã número um.
Nós, do Opinião de Peso, desejamos todo sucesso para esta nova etapa de sua vida!
(crédito fotos – acervo pessoal, Companhia dos Reis e Leekyung Kim)
Galeria

“O Despertar da Primavera” – (fotos)

O Despertar da Primavera”, da Companhia Dos Reis, é uma peça que expressa os conflitos e o descortinar de novos sentimentos nos jovens. Leia a matéria completa em http://goo.gl/UwHzSI

12043215_945653075493410_481649247030568373_n
“O Despertar da Primavera”
Com Fernando Maia, Filipe Bertini, Gustavo Vierling, Iara Ferreira, Ivo Veter, Karla Hill, Mariana Nunes, Pablo Ginevro e Thiago Mantovani. Atriz convidada: Dora Bueno.
Teatro APCD (Rua Voluntários da Pátria, 547, Santana – São Paulo)
Duração 90 minutos
11/09 até 09/10
Sexta – 21h
$40 e $15 (associados e funcionários APCD).

“O Despertar da Primavera”

Após temporadas de sucesso pela capital paulista, “O Despertar da Primavera” desembarca no Teatro APCD; peça que expressa os conflitos e o descortinar de novos sentimentos nos jovens
Discutir as fragilidades e as características da juventude é o fio condutor da peça. Temas como a pressão social, moral, religiosa e sexual; a descoberta do mundo em geral e as consequências que algumas escolhas podem trazer também são abordados no espetáculo musical.
O texto, de autoria do alemão Frank Wedekind, foi adaptado por Filipe Bertini, Fernando Araújo e Ivo Veter, que também assina a direção do espetáculo.
Embora escrito em 1891, a adaptação transporta a história para os anos 1950, trazendo 38 figurinos típicos da época representados em uniformes escolares e vestidos, além de guardas chuvas, flores artificiais e mochilas.
O Despertar da Primavera é um espetáculo sobre jovens que descobrem a beleza do amor e da sexualidade, ainda que também se façam presentes temas polêmicos como abuso sexual, aborto, suicídio e homossexualidade.
O diferencial da peça é a música com letras e arranjos compostos pela protagonista Karla Hill ao lado de seus parceiros, Jander Minesso e Cesar Mattos. Todos os atores cantam e dançam ao vivo.
‪#‎ODespertarDaPrimavera‬ ‪#‎CiaDosReis‬ ‪#‎Teatro‬ ‪#‎TeatroMusical‬‪#‎VáAoTeatro‬ ‪#‎OpiniãoDePeso‬ ‪#‎TeatroAPCD‬ ‪#‎ArtePluralComunicação‬

despertar 06

“O Despertar da Primavera”
Com Fernando Maia, Filipe Bertini, Gustavo Vierling, Iara Ferreira, Ivo Veter, Karla Hill, Mariana Nunes, Pablo Ginevro e Thiago Mantovani. Atriz convidada: Dora Bueno.
Teatro APCD (Rua Voluntários da Pátria, 547, Santana – São Paulo)
Duração 90 minutos
11/09 até 09/10
Sexta – 21h
$40 e $15 (associados e funcionários APCD).