O JARDIM SUSPENSO OU A LUCIDEZ DO AMOR IRRACIONAL

É possível fazer mais um espetáculo teatral que fale sobre amor? Não seria um tema esgotado e banalizado no campo das artes? Por que o amor é um tema tão constante e tão atrativo do grande público? Falar sobre relações afetivas parece urgente, pois nunca foi tão plural a maneira de se relacionar com o outro.

Em 2009, o Núcleo O Ator Maestro estreou seu primeiro espetáculo, Dias de Setembro, a partir da obra Amor Líquido – Sobre a Fragilidade dos Laços Humanos, de Zygmunt Bauman. A peça apresentava uma análise delicada e sensível sobre o amor contemporâneo.

Passados dez anos, O Jardim Suspenso ou A Lucidez do Amor Irracional retoma o tema do amor em antítese à montagem de 2009. Apresenta um retrato pessimista sobre o tema e satiriza o patético do relacionamento amoroso. O projeto foi selecionado para o Núcleo de Orientação de Processos da Escola Livre de Teatro (ELT) e tem como orientador o diretor Luiz Fernando Marques (Grupo XIX/Teatro Kunyn).

Na peça, o personagem Márcio já não aguenta colecionar fracassos amorosos e busca uma verdade que possa seguir para mudar sua forma de se relacionar. Encontra na botânica uma fórmula de mudança da coloração da rosa para qualquer cor. Márcio acredita que pode aplicar esta mesma fórmula para mudar o seu comportamento humano e começa a realizar experimentos científicos na forma de depoimentos confessionais.

A dramaturgia composta pelo relato dos experimentos é escrita em fluxo de pensamento, entrecortada por canções do compositor Márcio Greyck, ídolo da música romântica dos anos 70 e 80. O tom sarcástico do texto casa com o romantismo exacerbado das músicas cantadas ao vivo pelo ator e gera no público identificação e distanciamento de forma híbrida. O texto é escrito de forma a criar paralelos entre os universos botânico e amoroso, em uma crescente que caminha para a loucura do personagem central, desenvolvida cena a cena pela contradição evidente entre razão e emoção.

Inspirado nas obras do pintor argentino Guillermo Kuitca, em especial o quadro Siete ultimas canciones, a montagem estrutura-se em três espaços principais. O primeiro é formado por uma lousa branca, uma mesa com utensílios científicos e uma luz fria, fazendo com que o público foque sua atenção na racionalidade da experiência, como se estivesse assistindo a uma aula. Já o segundo é composto por uma cadeira coberta de galhos secos, que simulam uma estufa, e luzes na cor azul e vermelha, semelhantes aos botecos boêmios de calçada. Essa atmosfera convida o público a receber de forma emocional o que é dito. O terceiro ambiente é o corredor que liga o primeiro ao segundo espaço, e é onde o personagem vai interagir com o público e solicitar que ele se envolva e ajude no entendimento do que é apresentado.

O Jardim Suspenso ou A Lucidez do Amor Irracional aborda a passionalidade abusiva nas relações amorosas e revela o quão frágil é o ser humano perante o seu ego.

FACE

O Jardim Suspenso ou A Lucidez do Amor Irracional

Com Lucas Sancho

Oficina Cultural Oswald de Andrade (Rua Três Rios, 363 – Bom Retiro, São Paulo)

Duração 60 minutos

02 a 30/03

Segunda – 20h

Gratuito (Ingressos distribuídos 1h antes no local)

Classificação 14 anos