FALE MAIS SOBRE ISSO

Com 25 anos de carreira na TV, no teatro e no cinema, a atriz e psicóloga Flávia Garrafa (que atuou nas séries “Tô de Graça”, do Multishow, e “Surtadas na Yoga”, da GNT; e no filme “O Candidato Honesto”, de Roberto Santucci) desembarca no Rio de Janeiro com seu monólogo cômico Fale Mais Sobre Isso, idealizado por seu companheiroPedro Vasconcelos (diretor dos filmes “Fala Sério, Mãe!”, “Dona Flor e Seus Dois Maridos” e “O Concurso”).  Depois de seis temporadas esgotadas em São Paulo, a peça entra em cartaz no Rio de Janeiro entre 7 de maio e 25 de junho, no Teatro dos 4, no Shopping da Gávea, com sessões às segundas-feiras, sempre às 20h.

Dirigido por Pedro Garrafa, irmão e sócio da atriz, o espetáculo é o primeiro texto teatral escrito por Flávia. A peça discute com muito humor a capacidade e o desejo de mudança das pessoas que procuram a psicoterapia. Em cena, uma psicóloga conhece as angústias, dúvidas, questionamento e desconforto de quatro pacientes.

A terapeuta Laura está na faixa dos quarenta anos e, como a maioria das mulheres, divide seu tempo entre cuidar da família e da carreira. Sob a ótica dessa figura, a plateia acompanha o atendimento do Sr. B, um jovem de cerca de 30 anos que tem a organização e a metodologia como lemas de vida; da Sr. C, que foi trocada por uma mulher mais jovem e, ao invés de sentir tristeza, fica feliz e sente-se culpada por isso; do Sr. D, que acredita ser Deus; e de Alice, uma senhorinha doce de 78 anos que nunca conseguiu falar o que realmente sente.

Os pacientes são inspirados na vida real, mas não em uma experiência minha como psicóloga ou de qualquer outra pessoa. Eu pensei em como seriam essas pessoas no psicólogo. Acho que são tipos muito comuns que se comportariam de maneira muito peculiar em um consultório e dariam muito material para o terapeuta. É muito importante que os casos não se resolvam todos, porque a psicologia não é magia, não é conto de fadas. É a vida real, e, como em qualquer outra profissão das saúde, às vezes os problemas não têm solução”, explica Flávia.

Além da vida real, outra inspiração para a peça foi o romance “Mentiras no Divã”, de Irvin D. Yalom. “A partir desse livro eu comecei a ver como um consultório pode ser ficcionalmente interessante. Reli também muitos volumes do Freud, como ‘A Interpretação dos Sonhos’, e conversei com muitos psicólogos. Na verdade,  continuo conversando com eles e mudando sempre a peça, porque isso é fundamental”, acrescenta.

A ideia de juntar teatro e psicologia surgiu em 2015, graças a Pedro Vasconcelos, que, por conhecer muito bem a atriz, sugeriu que ela escrevesse e interpretasse um texto sobre a vida de cinco personagens em busca de mudanças. “É a realização de um desejo levar para o palco a junção dessas tão antagônicas profissões: psicóloga e atriz. O texto busca mostrar o lado da terapeuta, as falas das outras personagens acabam por esclarecer quem é a psicóloga, seus medos e questões”, conta a atriz e dramaturga.

image001

Fale Mais Sobre Isso
Com Flávia Garrafa
Teatro dos 4 – Shopping da Gávea (Rua Marquês de São Vicente, 54 – Gávea, Rio de Janeiro)
Duração 70 minutos
07/05 até 25/06
Segunda – 20h
$60
Classificação 14 anos

A DAMA E O VAGABUNDO – O MUSICAL

A Dama e o Vagabundo, clássico da literatura infantil e imortalizado pelas mãos de Walt Disney, em 1955, a partir de um conto original do norte-americano Ward Greene, reestreia dia 5 de maio no Teatro Fashion Mall, 17h.

Dirigido e adaptado por André Breda e direção musical de Cosme Motta, a produção da RPR Produções conta a clássica história de Dama (Carol Leipelt), uma Cocker Spaniel acostumada ao luxo e aos carinhos de seus donos que vê sua vida se transformar quando estes têm um bebê. No contraponto, Vagabundo (Caio Godard), um vira-lata acostumado com os perigos das ruas da cidade, possuidor de um enorme instinto de sobrevivência e de uma boa dose de malandragem.

Com linguagem moderna, em relação ao famoso filme, que conta a história de amor entre uma cadela de raça e um vira-lata, completam o elenco os atores Debora Mesquitta (Shelly), Daniel de Mello (Bidu), Nicolas Moraes (Caco), Alison Weller (Humano), Clarice Monteiro (Humana) e Bruna Natali (Lily).

Ao fugir de casa, Dama se perde pela cidade, cruzando seu “mundo perfeito” com o contrastante universo em que vive Vagabundo, de quem dependerá para conseguir sobreviver em meio aos perigos que habitam nas esquinas da cidade.

Ela é uma Dama. Ele é um Vagabundo. Dois mundos; duas realidades; um caminho cruzado. O que será que acontece quando nos arriscamos a conhecer o desconhecido? No mínimo uma grande aventura! Claro que falamos dos nossos melhores amigos, os cachorros!

A Dama e o Vagabundo nos mostra que temos um mundo inteiro a descobrir, que o mais importante está nas pequenas coisas, que não precisamos de muito para ser feliz, mas, principalmente, que o encaixe perfeito está onde as diferenças se completam!

Com músicas originais, cantadas ao vivo, e personagens que encantam a todos os públicos, o musical foi eleito, pela Revista Veja, como um dos 5 melhores espetáculos infantis em sua primeira temporada, no Teatro Vannucci.

A nova temporada tem sessões aos sábados e domingos, 17h, até dia 27 de maio.

Márcia Lopes (2).jpg

A Dama e o Vagabundo – O Musical
Com Carol Leipelt, Caio Godard, Debora Mesquitta, Daniel de Mello, Nicolas Moraes, Alison Weller, Clarice Monteiro, Bruna Natali
Teatro Fashion Mall – Sala II – Shopping Fashion Mall (Estrada da Gávea, 899 – São Conrado, Rio de Janeiro)
Duração 55 minutos
05 a 27/05
Sábado e Domingo – 17h
$60
Classificação Livre

CAPITÃES DA AREIA, O MUSICAL

Com uma carreira de sucesso, assim se resume o romance CAPITÃES DA AREIA, de Jorge Amado, hoje uma das obras mais apreciadas pelos seus leitores, tanto no Brasil quanto no exterior. Publicado em 1937, marcou época na vida literária brasileira. A partir de então, sucederam-se as edições, nacionais e em nove idiomas estrangeiros, e as adaptações para teatro, rádio, televisão e cinema. Verdadeiro relato sobre a vida dos meninos abandonados nas ruas de Salvador, Jorge Amado a descreve em páginas carregadas de uma beleza, dramaticidade e humor poucas vezes igualados na literatura brasileira. Como não tocar num assunto como esse ainda tão atual nos dias de hoje? Hoje estamos nós ainda discutindo a intolerância religiosa, a maioridade penal, o descaso das autoridades…

A adaptação musical para o teatro, sem perder o caráter crítico social do livro, narra a história de forma romântica, bem humorada e cheia de aventuras de nove garotos e uma menina, além dos personagens secundários, mas fundamentais.

Em “CAPITÃES DA AREIA – O MUSICAL”, seus pequeninos heróis estão em busca de algo que os faça transcender a condição em que vivem. Para isso os nove garotos contam com a ajuda do Padre José Pedro, do casal Sr. Raul e D. Éster que acolhem um dos meninos como filho, da mãe de santo Dona’Aninha que cuida de todos, do dono de um carrossel que lhes dá emprego e a oportunidade para que, apesar da precocidade, os Capitães da Areia demonstrem traços infantis muito fortes.

A encenação proposta pela direção é uma plasticidade realizada pelo ATOR. Com um palco nu, treze atores interpretam 40 personagens importantes dentro da dramaturgia musical; cantando, dançando e executando as músicas originais compostas especialmente para este espetáculo.

Apesar de narrar a situação de meninos desamparados, o texto termina de forma positiva, pois Jorge Amado concentra no personagem Pedro Bala toda sua crença na força do homem, em seu poder para modificar o destino, não só lhe chamando a atenção para as mazelas sociais, como também lhe indicando o caminho da redenção.

30710694_1680144428741625_1705148531007815680_n.png

Capitães da Areia, o Musical
Com Matheus Signorelli, Wagner Cavalcante, Giovanna Sassi, Matheus Lana, Cleitom Lisboa, Daniel de Mello, David Reis, João Ramalho, Victor Braga, Rafael Gualandi, Dandara Abreu, Mirian Dumas e Wagner Trindade
Teatro Glaucio Gill (Praça Cardeal ArcoVerde – s/n – Copacabana Rio de Janeiro)
Duração 90 minutos
18/05 até 11/06
Sexta e Sábado – 21h, Domingo e Segunda – 20h
$50
Classificação 14 anos

APROXIMANDO-SE DE A FERA NA SELVA

Depois de sua temporada de estreia no Centro Cultural São Paulo, Aproximando-se de A Fera na Selva, com direção de Malú Bazán, reestreia no Teatro Aliança Francesa, entre 3 de maio e 2 de junho, com sessões de quinta-feira a domingo. Como a encenação tem uma atmosfera intimista, a plateia será deslocada para o palco, que acomodará 30 pessoas. Em junho a peça segue para uma curta temporada no Teatro Poeira, no Rio de Janeiro, de 14 a 24 de junho.

A peça transita entre três núcleos que têm suas fronteiras borradas: “A Fera na Selva”, com os personagens John Marcher e May Bartran; as biografias dos escritores Henry James e Constance Fenimore Woolson e as figuras do ator e da atriz. Gabriel Miziara faz John, Henry e ator, e Helô Cintra interpreta Constance, May e atriz.

Henry James escreveu a Fera em 1903, quase dez anos após a morte da sua grande amiga Constance. A amizade entre os escritores tem muitos paralelos com a relação estabelecida entre os protagonistas dessa novela de Henry.

As personagens da peça são amarradas pelas convenções sociais, ao mesmo tempo muito solitárias e de uma sensibilidade extrema, busquei inspiração em alguns artistas plásticos, além das obras literárias, para adentrar neste universo. Edward Hopper, por exemplo nos traz a solidão impressa em suas obras, algumas telas de Monet e Magritte, além de uma tela pintada pelo dramaturgo Strindberg, me trazem de diferentes formas, uma existência velada e profunda”, comenta a diretora.

Para a construção da dramaturgia, Marina Corazza se pautou na novela “A Fera na Selva” de Henry James, em “O Mestre”, romance de Colm Tóibín sobre a vida do escritor americano, na biografia de Constance, “Constance Fenimore Woolson: Portrait of a Lady Novelist”, escrita pela americana Anne Boyd Rioux, além de um livro de contos de Contance “Miss Grief and other stories”, organizado pela mesma escritora.

A encenação

A peça estará em cartaz no porão do Centro Cultural São Paulo, que foi reaberto em dezembro de 2017, depois de ficar fechado durante anos para uma reforma. A diretora optou por uma encenação limpa, com poucos elementos, mas que são fundamentais para o espetáculo.

O figurino assinado pelo estilista Mareu Nitschke traz linhas modernas e nada óbvias para os atores, em contraponto a algumas peças mais amplas que simbolizam o universo dos personagens. O cenário manipulado pelos atores, é uma parceria da diretora Malú Bazán com Renato Caldas. A assistência de direção é de Carolina Fabri. A luz é assinada por Miló Martins e a trilha sonora é de Daniel Maia. A produção do espetáculo é da Canto Produções.

Sinopse:

A peça aborda a relação de amizade entre os escritores Henry James e Constance Fenimore Woolson, a partir da investigação de suas biografias e da novela “A Fera na Selva” de Henry James, em que um homem espera pelo grande acontecimento de sua vida. Dois atores transitam entre as personagens reais e as personagens fictícias criadas pelos escritores, lançando um olhar particular sobre suas relações.

A FERA NA SELVA 1 - DNG

© Joao Caldas Fº

Aproximando-se de A Fera na Selva
Com Gabriel Miziara e Helô Cintra
Duração 60 minutos
Classificação 14 anos
 
Teatro Aliança Francesa (Rua General Jardim, 182 – Vila Buarque, São Paulo)
03/05 até 02/06
Quinta, Sexta e Sábado – 20h30, Domingo – 19h
$30
 
Teatro Poeira (Rua São João Batista, 104 – Botafogo, Rio de Janeiro)
14 a 24/06
Quinta, Sexta, Sábado, Domingo
$50

SONHO DE UMA NOITE DE VERÃO – O MUSICAL

Estreia dia 2 de maio, no Teatro Riachuelo Rio, Sonho de Uma Noite de Verão – O Musical. O espetáculo reúne os atores que se destacaram nas três edições do projeto Incubadora de Cias, realizado pelo CEFTEM em parceria com a Aventura Entretenimento, em uma adaptação inédita da clássica comédia de Shakespeare, com músicas originais. O espetáculo tem direção João Fonseca, direção musical de Tony Lucchesi e direção de movimento de Bella Mac.

SONHO DE UMA NOITE DE VERÃO

Às vésperas do casamento do Duque de Atenas, um casal de apaixonados (Hérmia e Lisandro) adentra a mata para tentar escapar de um destino terrível. Também entram Demétrio, apaixonado por Hérmia, e Helena, apaixonada por Demétrio. O caos está instalado na floresta por causa de uma disputa ciumenta entre os deuses Titãnia e Oberon, que não conseguem controlar os espíritos da floresta, e seu líder, Puck. Feitiços são lançados e os jovens apaixonados acabam se encantando pelas pessoas erradas, numa noite de perseguições amorosas confusas e cansativas. Nesta mesma floresta, uma trupe de atores amadores ensaia uma lamentável comédia de muito mal gosto para apresentar no casório que se dará em breve. Um deles é arrastado para o caos dos feitiços, quando é transformado em burro por Puck, e capturado pela rainha das fadas, que se apaixona profundamente por suas orelhas peludas. Em uma noite que mais parece um sonho, o amor é feitiço e todos vivem experiências misteriosas e memoráveis.

31542660_2065977930391697_976134977051688960_n

Sonho de uma Noite de Verão – o Musical
Com Alina Cunha, Anderson Rosa, Caio Lisboa, Clara Equi, Erick De Luca, Gabriel Lara, Hamilton Dias, Julia de Aquino, Maria Clara Cristóvão, Mariana Montenegro, Mateus Penna Firme, Milene Cauzin, Sidarta Senna, Vitor Louzada
Teatro Riachuelo (Rua do Passeio, 38/40 – Centro, Rio de Janeiro)
Duração 120 minutos
2, 9, 16, 23 e 31 de maio, 01 e 02 de junho – 20h
03 de junho – 18h
$40
Classificação 12 anos

TÔ DE GRAÇA – DA TV PARA O PALCO

O talento e o humor crítico e escrachado de Rodrigo Sant´Anna são marcas que acompanham o sucesso do humorista há anos. Multifacetado, criativo e irreverente, o ator estreia no dia 05/04, nos palcos do teatro a peça “Tô de Graça – Da tv para o palco”, em temporada no teatro Miguel Falabella, no Norte Shopping.  A peça é exibida sextas e sábados às 21 Horas e Domingo às 20 horas e vai até o dia 03/06. Além de dar vida a Graça, personagem central do espetáculo, Rodrigo Sant´Anna também escreve e dirige o espetáculo que é sucesso absoluto no canal Multishow.

Graça é uma pedinte e catadora de latas que tem a missão diária de sustentar e administrar as confusões de uma familia, onde tem um marido eternamente desempregado e dos seus treze filhos. É sobre essa personagem tão comum, e ao mesmo tempo invisível à sociedade, que conta a história “Tô de Graça – da TV Para o Palco ”, já aclamada na TV à cabo, chega aos palcos cariocas, com força total.

O Espetáculo

A trama se desenrola com a notícia que a comunidade, onde Graça vive, será o cenário para a gravação do video clipe de um artista muito famoso, com tudo isso, causará um alvoroço na família e perturbação à nossa anti-heroína, que acha um desfrute a execução desse evento em um lugar tão desassistido.

E é nesse ponto que mora a intrínseca crítica social, pois a comunidade passar por um lugar carente de apoio e infraestrutura para os nativos, porém, extremamente romantizada aos olhos do turista e da mídia. Além do texto hilário e escrachado, típico do ator e criador, a peça traz uma realidade delicada sobre a vida em locais tão precários, resultado de uma construção elaborada nas próprias vivencias do artista.

Outro ponto forte da obra é o poder de cativar o público, ao retratar àforça dos laços e conflitos familiares da nossa sociedade. Um vasto material de afeição coletiva. A ideia de levar o riso para o teatro se deu justamente pelo índice de audiência em 2017, sendo um dos programas mais vistos do referido canal. A aceitação e admiração do público pelo programa promoveu, Graça a um dos personagens mais populares do comediante, transformando o universo desse pequeno barraco, em uma dimensão de novas possibilidades.

A peça é formada por: Isabelle Marques (Brit), Andy Gercker (Maico) e Evelyn Castro (Marraia) representando todo o brilhante elenco do programa. ô de Graça já é um sucesso em todo país e essa nova roupagem trará uma grande história, cheia de situações surpreendentemente cômicas, umshow de improviso e diversão garantida.

image002

Tô de Graça – Da tv para o palco
Com Rodrigo Sant’anna, Andry Gercker, Isabelle Marques e Evelyn Castro
Teatro Miguel Fallabela – Norte Shopping (Av Dom Helder Camara, 5332 – Cachambi, Rio de Janeiro)
Duração 60 minutos
05/04 até 03/06
Quinta, Sexta e Sábado – 21h, Domingo – 20h
$60/$70
Classificação 12 anos

[NOME DO ESPETÁCULO]

Vencedora do Prêmio do Humor 2018 nas categorias de Melhor Espetáculo , a versão brasileira do metamusical da Broadway [nome do espetáculo] volta ao cartaz para sua terceira temporada no Rio de Janeiro, a partir de 17 de abril, sempre  terça e quarta, às 19h, até 30 de maio de 2018, no Teatro Eva Herz, no centro do Rio de Janeiro.

Sinopse
O espetáculo é a história real (ou quase real) de Jeff e Hunter. Para participar de um festival, os dois escritores, com a ajuda de Susan, Heidi e Larry, precisam criar um musical em apenas três semanas. Com o elenco reunido, Jeff e Hunter fazem um pacto para escreverem até o prazo do festival e sonham com um espetáculo que mude suas vidas.

No elenco, Caio Scot [de The Book of Mormon], Junio Duarte [de The Book of Mormon e Jovem Frankenstein], Ingrid Klug [de O Mambembe], Carol Berres [de Contos e Encantos de Natal] e Gustavo Tibi [diretor musical e único músico em cena, da Banda Jamz], sob direção artística de Tauã Delmiro [de 60! Uma Década de Arromba, coautor das músicas de Vamp e diretor assistente de O Primeiro Musical aGente Nunca Esquece].

O espetáculo é a primeira montagem da CAJU produções, que tem à frente o ator e cineasta, Caio Scot e o ator e preparador vocal, Junio Duarte.  [nome do espetáculo] estreou no Solar de Botafogo, onde ficou em cartaz em novembro e dezembro de 2017. Em janeiro, a peça fez uma curta temporada no Centro Cultural da Justiça Federal.

[nome do espetáculo] faz sua terceira temporada no mesmo ano em que o musical americano completa uma década desde a estreia na Broadway, em 2008. Lá, [title of show] foi indicado ao Tony Award de Melhor Libreto de Musical.

A montagem brasileira foi indicada a quatro categorias do “Prêmio do Humor 2018”, idealizado pelo ator Fábio Porchat, levando os troféus de Melhor Espetáculo e o Prêmio Especial para versão brasileira. Foi também indicado a quatro categorias no “Prêmio Botequim Cultural”, incluindo Melhor Espetáculo.

[nome do espetáculo]
Com Caio Scot, Carol Berres, Junio Duarte, Ingrid Klug e Gustavo Tibi
Teatro Eva Hertz (Rua Senador Dantas 45 – Centro, Rio de Janeiro)
Duração 90 minutos
17/04 até 30/05
Terça e Quarta – 19h
$60
Classificação 14 anos