OLIVER TWIST

Eleito um dos melhores espetáculos infantis de 2017 por Dib Carneiro Neto (Pecinha é a Vovozinha) e finalista de seis prêmios do site Aplauso Brasil, Oliver Twist faz temporada no Teatro Alfa a partir do dia 5 de maio, sábado, às 17h30, no Teatro Alfa. Com direção de Rodrigo Audi, a peça conta a história do pobre garoto órfão Oliver Twist e sua luta pela sobrevivência em meio à dura realidade social da Inglaterra do século XIX. Durante esta saga, Oliver é testado em sua força e fé, assim como é apresentado ao lado sombrio da natureza humana, quando se vê obrigado a fazer importantes escolhas que poderão determinar seu destino.

No elenco, oriundo do CPT (Centro de Pesquisa Teatral do SESC, coordenado por Antunes Filho), Rita Pisano interpreta Oliver Twist, Hercules Morais dá vida ao complexo e dúbio Velho Faguin, Leonardo Santiago e Ângela Ribeiro se dividem entre as crianças do orfanato onde Oliver foi criado e as crianças das ruas de Londres.

Com grande influência da experiência da companhia no CPT (Centro de Pesquisa Teatral do Sesc), a montagem se apresenta de maneira mais minimalista, focando na relação entre personagens e elementos essenciais à cena.

Oliver Twist foi contemplado pelo Edital Cultura Inglesa 2015. Em 2016, após apresentações no Festival, se apresentou no Sesc Campo Limpo. Em 2017 as apresentações aconteceram na 13ª edição do “Em Janeiro Teatro pra Criança é o Maior Barato” – São José do Rio Preto, no Sesc Belenzinho, no Circuito Cultural Paulista 2017, na Virada Cultural, no Sesc Campinas, no Teatro do Centro da Terra, no Sesc 24 de Maio, no Sesc Piracicaba. Em 2018, participou como convidado no 27º Festival de Teatro de Curitiba.

O espetáculo está entre os seis finalistas do VI Prêmio Aplauso Brasil de Teatro – categoria Melhor Espetáculo para o público Infantil e juvenil. Foi eleito pelo crítico Dib Carneiro Neto – site Pecinha é a Vovozinha – entre as Melhores Dramaturgias, Melhores Diretores e Melhores Atores e Atrizes da temporada 2017 de teatro para crianças e jovens em São Paulo.

image004

Oliver Twist
Com Angela Ribeiro, Leonardo Santiago, Hercules Morais e Rita Pisano
Teatro Alfa – Sala B (R. Bento Branco de Andrade Filho, 722 – Santo Amaro, São Paulo)
Duração 60 minutos
05/05 até 10/06
Sábado e Domingo – 17h30
$40
Classificação Livre

GAGÁ

Sucesso de público e crítica, vencedor do Prêmio APCA 2017 (Associação Paulista dos Críticos de Arte) para Texto e Cenário, GAGÁ volta em curta temporada no Teatro Alfa a partir de 14 de abril  até 27 de maio, aos sábados e domingos às 16 h

Com direção e dramaturgia de Marcelo Romagnoli, a peça – voltada para crianças de todas as idades – tem no elenco os atores Jackie Obrigon, Guto Togniazzolo e Fausto Franco.

O espetáculo já realizou duas temporadas de sucesso em São Paulo, além de ter circulado pelo Interior do Estado. Gagá foi indicado em 4 categorias ao Prêmio São Paulo de Incentivo ao Teatro Infantil e Jovem; melhor texto, espetáculo, ator e cenário.

Gagá é uma comédia para toda a família, influenciada pelo Teatro do Absurdo. Conta a história de Lelé e Tantã, que vivem num espaço sem portas nem janelas, onde tudo é branco. Enquanto esperam a chegada de seu cuidador, o Sr. Gagá, divertem-se com memórias e brincadeiras.

Para o público, a leitura pretende ser livre: podem ser duas crianças brincando num quarto de dormir. Podem ser dois velhos doidos num asilo. Podem ser a representação simbólica da nossa condição humana.

Os personagens passeiam pelo absurdo e pelo patético, alternando humor e lirismo para mostrar que todo tempo é um grande movimento circular da vida.

O cenário representa um não-lugar, onde tudo é branco: uma cama de ferro, um alto-falante e uma escada que leva ao céu.

Badaladas de sinos anunciam, todo dia, a chegada do Sr. Gagá, que desce a escada e traz a comida.

Tudo parece igual, como sempre. Mas hoje o destino do Sr. Gagá vai ser diferente.

ENCENAÇÃO

O texto, considerado inovador, reforça a pesquisa de uma dramaturgia para crianças que envolva toda a família e que considera o teatro para crianças uma arte que vai além do entretenimento. Sua linguagem pretende se comunicar com diferentes públicos.

Este é um espetáculo que pretende se comunicar com todas as idades, pois a cada pessoa é oferecida uma camada de entendimento. É uma peça divertida que fala sobre o cuidar, a atenção com o outro, que flerta com a filosofia e com o teatro do absurdo. As cenas reúnem gags e a encenação não tem medo de investir em silêncios. A comicidade é muito marcante na montagem e traz uma reflexão sobre o sentido da vida, sobre as semelhanças entre a velhice e a infância através de metáforas e simbologias”, fala Marcelo Romagnoli.

Sinopse

Enquanto esperam a visita de seu cuidador, Lelé e Tantã divertem-se alternando humor, memória e lirismo. Vivem felizes num espaço sem portas nem janelas e hoje prepararam uma surpresa para o Sr. Gagá. A peça, uma comédia do absurdo para todas as idades, fala sobre o tempo, o movimento circular da vida, a velhice e a infância.

30703742_1887561241314106_7614388871576420352_n

Gagá
Com Jackie Obrigon, Guto Togniazzolo e Fausto Franco
Teatro Alfa – Sala B (R. Bento Branco de Andrade Filho, 722 – Santo Amaro, São Paulo)
Duração 60 minutos
14/04 até 27/05
Sábado e Domingo – 16h
$40
Classificação Livre

FLICTS

Em uma época em que preconceitos de todos os gêneros estão cada vez mais gritantes, o espetáculo Flicts, com direção e adaptação de Lívia Gaudencio, ensina para a criançada a importância de respeitar e aceitar o outro como ele é. A peça estreia no Teatro Municipal de Santo Amaro Paulo Eiró, no dia 3 de março.

A partir do primeiro livro infantil escrito pelo cartunista Ziraldo, a montagem narra o drama de uma cor chamada Flicts, que não está presente no arco-íris, nas bandeiras e nem em nada deste mundo. Por esse motivo, o personagem é excluído e mal recebido onde quer que vá e parte em uma jornada mundo afora para descobrir o seu lugar.

Flicts é uma metáfora para as pessoas excluídas, solitárias e diferentes. A ideia da encenação é mostrar para os pequenos que o bullying e toda forma de discriminação devem ser tratados como algo nocivo e desrespeitoso, além de reforçar a noção de que cada um tem sua individualidade e subjetividade. Outro tema é a relativização do belo, a noção de que a beleza não tem um padrão pré-determinado e cada um deve desenvolver seu pensamento crítico sobre o que é bonito ou não.

Escrita em 1969, ano em que o homem pisou pela primeira vez na Lua, a obra de Ziraldo foi dada como presente da embaixada brasileira nos Estados Unidos ao astronauta Neil Armstrong, que, em resposta ao autor, disse: “A Lua é Flicts”. A temática do livro que encantou o viajante espacial continua atual quase 50 anos depois de seu lançamento, por isso o grupo resolveu encená-lo.

O elenco conta com a participação de Bárbara Salomé, Bianca Fernandes, Ederson Miranda, Eliot Tosta e Rai Teichimam.

Como a história se passa nos anos de 1960, a montagem tem uma trilha sonora original, composta por Leo Mendonza, inspirada na sonoridade da banda inglesa The Beatles.

Já os figurinos, assinados por Paolo Suhadolnik, dialogam com as cores e formas geométricas presentes nas obras do pintor holandês Piet Mondrian. O trabalho com os atores, proposto por Gaudencio, é baseado em partituras físicas inspiradas no circo-teatro e no melodrama, utilizando vários registros de energia do corpo em cena.

SINOPSE

Flicts é discriminado entre as outras cores porque ninguém o conhece. Ele representa o excluído, o solitário, o diferente. Mas, como todos têm o seu lugar no mundo, Flicts também irá encontrar o seu. A peça é uma adaptação da obra de Ziraldo, com dramaturgia inédita e trilha sonora original. O espetáculo traz diversão, interação e reflexão sobre o preconceito e a relativização do belo.

Flicts 02 - créditos Victor Iemini.jpg

Flicts
Com Bárbara Salomé, Bianca Fernandes, Ederson Miranda, Eliot Tosta e Rai Teichimam
Teatro Municipal de Santo Amaro Paulo Eiró (Av. Adolfo Pinheiro, 765 – Santo Amaro, São Paulo)
Duração 60 minutos
03/03 até 01/04
Sábado e Domingo – 16h
$16
Classificação 04 anos

O QUEBRA-NOZES

Cisne Negro Cia de Dança já está pronta para entrar em cena novamente com o espetáculo natalino O Quebra-Nozes, criado por Tchaikovsky em 1891. A obra entra em cartaz dia 9 de dezembro, sábado, no Teatro Alfa, com sessões até dia 20 de dezembro, com matinês aos sábados e domingos.

Além do elenco oficial da companhia, participam também solistas que são primeiros-bailarinos das companhias que fazem parte. Tradicional na cidade, o espetáculo recebeu em 2012 o Prêmio Governador do Estado como Melhor Espetáculo de Dança – preferência popular. 

Com direção artística de Hulda Bittencourt e Dany Bittencourt, conta com a colaboração de ensaiadores renomados na área da dança, a ex-primeira bailarina da Ópera de Wiesbaden na Alemanha e maîtreDaniela Severian, e a ensaiadora da Cisne Negro Cia de Dança Patrícia Alquezar. Este ano também contou com a consultoria artística de Ana Botafogo.

História e efeitos especiais

O Quebra-Nozes conta a história de Clara e seu precioso boneco Quebra-Nozes, presente de seu padrinho, o mago Drosselmeyer. Juntos, eles enfrentam uma cruel batalha contra o Rei dos Ratos e seu exército, viajando pelo Reino das Neves até o Reino dos Doces.  A obra produzida pela Cisne Negro foi apresentada pela primeira vez em 1983 sob a direção de Hulda Bittencourt, recebendo naquele ano  o prêmio da Associação Paulista dos Críticos de Arte (APCA), como Melhor Espetáculo de Dança. Desde então, foi incorporado ao repertório da Cisne Negro Cia de Dança até os dias de hoje. Uma das marcas do grupo é renovar o espetáculo a cada ano, emprestando a ele um toque de originalidade e inovação sem perder sua essência. A diversidade pode ser vista tanto nas coreografias quanto na montagem cênica.

Nos efeitos especiais circenses e na acrobacia de tecido contará com o Circo Escola Picadeiro, considerada uma das mais respeitadas escolas circenses do país, fundada em 1983 por Wilson Moura Leite, que tem em seu currículo grande número de ex-alunos atuando em importantes companhias no exterior, alguns deles inclusive no Cirque Du Soleil.

Corais no saguão

Neste ano de 2017, O Quebra-Nozes contará mais uma vez no seu elenco de Anjos com integrantes da Usina da Dança, projeto social desenvolvido pelo Instituto Oswaldo Ribeiro de Mendonça – IORM, de Orlândia-SP, presidido pela empresária Josimara Ribeiro de Mendonça que atua pelo desenvolvimento integral de crianças e adolescentes na região Nordeste do Estado de São Paulo e mantém parceria com a Cisne Negro Cia. de Dança.

No saguão do Teatro, haverá a apresentação de corais convidados, interpretando músicas natalinas, uma hora antes do início dos espetáculos, sob a coordenação da pianista Maria Inês Vasconcellos.

O espetáculo tem ainda maquiagem e visagismo especial da Equipe Jacques Janine, sob a supervisão de Chloé Gaya. “É uma obra que nos faz embarcar no sonho de Clara, transportando-nos a um mundo de imagens fascinantes, repletas de magia e beleza, que ficam gravadas para sempre em nossas mentes e em nossos corações“, diz Hulda Bittencourt, fundadora da companhia e diretora artística do espetáculo O Quebra Nozes. O Quebra-Nozes é apresentado pelo Ministério da Cultura, PATROCÍNIO: Banco Alfa / Cristália – APOIO: Camarim Artigos para Dança, Jacques Janine, Rascal, Só Dança, Dica do Chef, Giuliana Flores, Via Sapore.

Grade de solistas convidados

Dias 9 e 10 (todas as sessões).

Cícero Gomes – 1º bailarino do Theatro Municipal do Rio de Janeiro.

Mariana Paschoal – Solista da CISNE NEGRO CIA. DE DANÇA

De 12 a 15 de dezembro

Nina Queiroz Damian Tório – Solistas do Ballet Nacional de Sodre (Uruguai)

De 16 a 20.12 (todas as sessões)

Aurora Dicke Dmitry Semionov – Solistas do  Staatsballett Berlin (Alemanha)

Este slideshow necessita de JavaScript.

O Quebra Nozes
Com Cisne Negro Cia de Dança
Teatro Alfa (R. Bento Branco de Andrade Filho, 722 – Santo Amaro, São Paulo)
Duração 120 minutos
09 a 20/12
Segunda, Terça, Quarta e Quinta – 21h, Sexta – 21h30, Sábado – 17h e 20h, Domingo – 15h e 18h
$50/$140
Classificação Livre

DIA DO PROFISSIONAL DA DANÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO

Dia 23 de novembro é comemorado o Dia do Profissional da Dança. Para festejar a data, o Sinddança (Sindicato dos Profissionais de Dança do Estado de São Paulo) realiza nos dias 18 e 19 de novembro, sábado (às 20h) e domingo (às 18h), o Dia do Profissional da Dança do Estado de São Paulo 2017, no Teatro Alfa, em São Paulo.

Com curadoria de Maria Pia Finócchio, o evento tem e ingressos a preços populares: 10 e 20 reais.

O espetáculo é formado por várias apresentações (coreografias) com bailarinos profissionais e grupos de dança de projeção nacional e internacional para festejar a arte da dança, bem como prestar homenagem a todos os bailarinos e profissionais da área. A programação reúne os vencedores do Encontro Nacional de Dança – ENDA 2017 e têm ainda participação de convidados especiais que são referência no campo da dança no Brasil e Exterior.

No dia 18, os convidados são: Cisne Negro Cia. de Dança (com Abacadá), São Paulo Cia. de Dança (com Grand Pas de Deux de O Quebra Nozes) eSopro Cia. de Dança (com Ensaio Sobre a Liberdade), além da participação especial da dupla Nilza y Pablito em número de tango.

Já no dia 19, Luis Arrieta (em O Cisne), Companhia de Danças de Diadema (com Novena) e Teen Broadway (com Mambo West Side Story) são os convidados. E uma apresentação de street dance fecha as duas noites do evento.

Dos grupos classificados no ENDA, participam no dia 18/11: CEDAN – Cia Estável de Dança, Instituto Gnética, Studio Liria Dourado, Beth Ballet, Ballet Paula Gasparini, Cia. de Dança Regina Acevedo, Ballet Paula Firetti, EDAP – Espaço de Danças e Artes Paulista, Movimento Livre, Cia. de Dança CEU Jaguaré e Grupo La Danse. E no dia 19/11: Grupo Fama, CEDAN – Cia Estável de Dança, OCAC Cia. de Dança, Ballet Paula Firetti, Studio Giselle Danças, Cia. Panteras, Garra Centro de Artes, Grupo La Danse, Ballet Thatiana Orite e Especial Grupo de Ballet.

Segundo Maria Pia Finnóchio, “o objetivo é reunir profissionais da dança, personalidades das artes e da cultura e imprensa especializada para reafirmar a necessidade constante de promover a dança nacional e valorizar nossos bailarinos”. O Sinddança também busca democratizar o acesso à dança, promovendo espetáculos a preços populares. “Queremos que todas as pessoas tenham acesso à cultura e possam conferir ao vivo, no teatro, o que temos de melhor no campo da dança”, declara a curadora.

O Dia do Profissional da Dança foi idealizado pelo Sinddança, cuja homologação ocorreu em 1999. A instituição é também responsável pela criação do Dia Estadual da Dança Clássica (4 de junho), uma conquista mais recente, efetivada em 2013. O Sindicato também promove anualmente o ENDA (Encontro Nacional de Dança), um festival pioneiro no estímulo à dança no Brasil que chegou à 35ª edição, em 2017, além do Grande Gala ENDA. Ambos foram idealizados para estimular a carreira dos bailarinos profissionais e semiprofissionais, bem como a carreira daqueles que estão iniciando na arte da dança.

O Dia do Profissional da Dança do Estado De São Paulo foi viabilizado por meio da Lei Rouanet, do Ministério da Cultura, com patrocínio do Itaú Unibanco. Os apoiadores do evento são: Instituto Alfa de Cultura, Teatro Alfa e Capezio.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Dia do Profissional da Dança do Estado de São Paulo 2017
Curadoria: Maria Pia Finócchio
Realização: SINDDANÇA – Sindicato dos Profissionais de Dança do Estado de SP
Teatro Alfa (Bento Branco de Andrade Filho, 722 – Santo Amaro, São Paulo)
18 e 19/11
Sábado – 20h, Domingo – 18h
$20
Classificação Livre
 
Dia 18: Cisne Negro, São Paulo Cia. de Dança, Sopro, Nilza y Pablito, CEDAN, Instituto Gnética, Studio Liria Dourado, Beth Ballet, Ballet Paula Gasparini, EDAP, Cia. CEU Jaguaré e outros.
 
Dia 19: Luis Arrieta, Companhia de Danças de Diadema, Teen Broadway, Grupo Fama, CEDAN, OCAC, Garra, Grupo La Danse, Studio Giselle, Cia. Panteras e outros.

CIRKOPOLIS

Com mais de 20 anos de história e celebrada como uma das mais inovadoras expressões do circo contemporâneo, a Companhia Cirque Éloize se apresenta no Teatro Alfa dias 22, 23 e 24 de setembro, sexta, às 21h30, sábado e domingo com duas sessões, às 16 e às 20 horas. O grupo – que antes passa por Salvador, Rio de Janeiro e Belo Horizonte e segue depois para Ribeirão Preto e Porto Alegre – apresenta o inédito Cirkopolis, mesclando circo, música, dança e teatro.

O espetáculo dá a largada na etapa internacional da Temporada de Dança do Teatro Alfa, que já trouxe nestes anos as estreias de duas das mais renomadas companhias brasileiras da atualidade: Grupo Corpo, com o inédito Gira, e Cia. de Dança Deborah Colker, com Cão Sem Plumas.

Em seguida, o público poderá prestigiar o grupo holandês Nederlands DansTheater 2 (29 de setembro e 1º de outubro), referência há quase seis décadas na dança contemporânea, apresentando três obras selecionadas do repertório coreográfico. Finalizando a temporada, o L.A Dance Project (de 17 e 18 de outubro) apresentará quatro trabalhos nas noites, dois deles criados neste ano. A companhia americana foi criada por Benjamin Millepied, bailarino e coreógrafo francês responsável pelas coreografias do filme Cisne Negro e marido da atriz Natalie Portman.

O espetáculo Cirkopolis é o nono show em turnê da companhia Cirque Éloize e se desenrola no coração de uma cidade aparentemente rígida e imponente, onde engrenagens gigantes e portais escuros simbolizam um mecanismo que esmaga a individualidade. A turnê brasileira do Cirque Eloize é mais uma realização da Gaia Produções Artísticas com produção da Dell’Arte Soluções Culturais.

A montagem de Cirkopolis conta com um palco extremamente criativo, além de uma trilha sonora original e projeções especiais de vídeo. Doze acrobatas e artistas multidisciplinares se rebelam contra a monotonia, se reinventam e desafiam os limites da cidade fabril. Em um mundo onde a fantasia provoca a realidade, o véu do anonimato e da solidão é erguido e substituído por rajadas de cor. Cirkopolis transporta os artistas e espectadores entre sonho e realidade com uma corrente ininterrupta de acrobacias, música, imagens e desenhos altamente gratificantes aos olhos.

Cirkopolis foi idealizado como um meio termo entre imaginação e realidade, entre individualidade e comunidade, entre limites e possibilidades. O espetáculo é conduzido pelo impulso poético da vida, pela destreza física do circo e pelo seu humor, ao mesmo tempo sério e descontraído. Entrar em Cirkopolis tem tudo a ver com se deixar levar e permitir que a esperança te mantenha em cima”, explica o diretor artístico e codiretor de Cirkopolis, Jeannot Painchaud.

Cirkopolis leva a assinatura do diretor artístico do Cirque Éloize, Jeannot Painchaud, e de Dave St-Pierre, que também é coreógrafo. O espetáculo conta ainda com cenários de Robert Massicotte, música de Stefan Boucher, acrobacias de Krzysztof Soroczynski, figurinos de Liz Vandal, iluminações de Nicolas Descoteaux, vídeo-projeções de Robert Massicotte e Alexis Laurence e maquiagem de Virginie Bachand. Renald Laurin é consultor de dramaturgia, Emmanuel Guillaume, coordenador artístico, e Jonathan St- Onge, o produtor executivo.

A turnê tem apresentação da SulAmérica, patrocínio da Accenture, da White Martins e de Furnas. O espetáculo integra o Circuito SulAmérica de Música e Movimento, programa de fomento da seguradora SulAmérica que investe em ações para o desenvolvimento social, cultural e esportivo por meio da arte, música, dança e esportes de participação, trazendo uma agenda diversificada durante o ano todo nas diversas regiões do país.

Cirkopolis
Com Cirque Éloize
Teatro Alfa (R. Bento Branco de Andrade Filho, 722 – Santo Amaro, São Paulo)
Duração 90 minutos
22 a 24/09
Sexta – 21h30, Sábado – 16h e 20h, Domingo – 16h e 20h
$100/$170
Classificação Livre

O ROUXINOL E O IMPERADOR CHINÊS

Referência no cenário cultural, a programação infantil do Teatro Alfa segue com grupos de reconhecida qualidade. Encenado no formato de teatro negro (formas animadas criadas com luzes coloridas e bonecos manipuláveis) da Cia ImagoO Rouxinol e o Imperador Chinês, livre adaptação da fábula de Hans Christian Andersen, estreia dia 23 de setembro, sábado, às 16 horas, no Teatro Alfa.

Com mais de 20 espetáculos no currículo, em 2017 a companhia completa 18 anos de existência. Quem lidera o grupo é o artista Fernando Anhê – que soma seus 20 anos de experiência a espetáculos de diversos segmentos artísticos, como teatro, dança, ópera e concertos. O novo espetáculo que estreia no Alfa segue a linha estética e dramática das adaptações anteriores da cia, como A Flauta MágicaPedro e o LoboJoão e Maria e Alice no País das Maravilhas, entre outras. Os trabalhos da Imago foram reconhecidos nas duas últimas décadas pelos prêmios mais expressivos do teatro infantil, como o APCA (Associação Paulista de Críticos de Arte) e o extinto Coca-Cola Femsa, hoje Prêmio São Paulo de Incentivo ao Teatro Infantil e Jovem.

A fábula O Rouxinol e o Imperador Chinês encanta por seu conteúdo e pelo enredo poético. O poder transformador da música e a necessidade vital da liberdade entre tudo e todos são os principais temas do conto de Hans Christian Andersen, em que um imperador é deixado por seu amigo e confidente Rouxinol após se deslumbrar por uma ave mecânica adornada com pedras preciosas e que sempre emite o mesmo canto.

Nesses 20 anos de trajetória, o encenador Fernando Anhê perdeu a conta do número de trabalhos em seu currículo, entre peças de teatro de bonecos, óperas e balés. Alguns espetáculos da Cia Imago, como Pedro e o Lobo (com 13 anos), Alice no País das MaravilhasA Flauta MágicaCarnaval dos Animais e João e Maria são requisitados sempre para apresentações. Já se passaram 18 anos desde que Fernando encenou, no TBC, a peça que no mesmo ano deu nome à cia. Dois anos antes, nascia a primeira peça, Espias, sobre o ciclo de uma criatura que ganhava asas, já em parceria com o maestro Jamil Maluf, parceiro em diversos trabalhos que vieram a seguir.

Uma das marcas da Cia Imago é o uso da técnica do teatro negro, em que os bonecos parecem mover-se livremente, voar, aparecer ou desaparecer, como se tivessem vida própria, em efeitos óticos estimulantes para todas as crianças. A atmosfera onírica também é definida pela cor fluorescente dos objetos de cena.

A fábula

O império chinês era tema de diversos livros por ser considerado o mais belo império do mundo. Através de um deles, o imperador chinês descobriu a existência de um rouxinol e seu maravilhoso canto, considerado o que havia de mais encantador em todo o império.

Diante de tal revelação, o imperador ordena a busca imediata do pássaro. Encantado com o trinado do rouxinol, o soberano convida o rouxinol para morar em seu palácio. Deixando de cantar livremente pelos bosques, o rouxinol aceita o convite. Mesmo com sua liberdade cerceada, o pássaro torna-se amigo e confidente do imperador. A bela e sincera amizade entre a ave e o soberano só é seriamente abalada quando o imperador é presenteado com um rouxinol mecânico.

O Rouxinol e o Imperador Chinês
Com Priscila Monsano, Jah Horacio, Rosana Aparecida Antão, Fernando Anhê. 
Teatro Alfa – Sala B (R. Bento Branco de Andrade Filho, 722 – Santo Amaro, São Paulo)
Duração 60 minutos
23/09 até 26/11
Sábado e Domingo – 16h 
$35
Classificação Livre