BASTA ACENAR

Ator, músico, cantor e compositor, Wladimir Pinheiro vem atuando em importantes espetáculos musicais, tais como “Milton Nascimento – Nada Será como Antes”, “Sambra”, “Ataulfo Alves o Bom Crioulo”, “Era uma vez… Grimm”, “Zeca Pagodinho – Uma história de amor ao Samba”, entre outros.

b3377d4ca3fc326d745197585f3ed6a9b24f54fd.jpg

Sentindo necessidade de produzir um trabalho próprio, que o identificasse como intérprete, compositor e arranjador, idealizou Basta Acenar: um álbum acústico contendo doze faixas de diferentes autores, entre inéditas e regravações.

O show de lançamento do CD Basta Acenar acontecerá no Teatro Carlos Gomes, no dia 27 de novembro, e contará com participações mais que especiais dos atores e cantores, Lilian Valeska e Claudio Lins.

Wladimir pretende levar ao palco a mesma atmosfera do álbum, com arranjos adaptados para uma banda de onze integrantes.

Abaixo, um video  com o making of da gravação do CD.

Basta Acenar
Com Wladimir Pinheiro
Participações Especiais Lílian Valeska e Cláudio Lins
Banda – Tibor Fittel (Piano e Acordeom), Marcello Sader (Violão e Vocais), Pablo Arruda (Contrabaixo),Leonardo Pagani (Bateria), Felipe Tauil (Percussão), Whatson Cardoso (Clarineta, Clarone e Saxofone Tenor), Arimatéia (Trompete), Leandro Reis (Trompa), Wanderson Cunha (Trombone), Luiz Felipe Ferreira (Violino), Taís Duarte (Cello)
Teatro Carlos Gomes (Praça Tiradentes S/N, Centro, Rio de Janeiro – RJ)
27/11
Segunda – 19h
$40

MARIA RITA EM “VOZ E PIANO”

Theatro NET São Paulo recebe a cantora Maria Rita com o show Voz e Piano, nos dias 17 e 18 de novembro, sexta-feira e sábado, às 21 horas. O show volta às bases do ofício da artista, que estará acompanhada do músico Rannieri Oliveira. No setlist estão canções como Grito de Alerta, Cara Valente, Pagu, Over The Rainbow e Vida de Bailarina. O espetáculo tem figurino de Fause Haten.

Maria Rita começou a cantar aos 24 anos. Seu disco de estreia, lançado em 2003, vendeu mais de um milhão de cópias. O primeiro DVD, que saiu no mesmo ano, alcançou marca de 180 mil cópias. No total foram 15 indicações ao Grammy Latino e algumas turnês pela Europa, América Latina e Estados Unidos.

Sobre o Theatro NET São Paulo

Dois anos depois de abrirem o Theatro NET Rio (antigo Teatro Tereza Rachel), na capital carioca, os produtores culturais Frederico Reder eJuliana Reder inauguraram o Theatro NET São Paulo, localizado no quinto andar do Shopping Vila Olímpia. Com uma grande festa, a noite do dia 18 de julho de 2014 foi marcada por um inesquecível show de Gilberto Gil. Desde então, o teatro já recebeu em seu palco grandes nomes da música brasileira, além de espetáculos teatrais, musicais e eventos corporativos. Com um pouco mais de dois anos de atividades, a casa realizou mais de 600 sessões, com um público de aproximadamente 370 mil pessoas. Apesar de grandioso, tudo noTheatro NET São Paulo é aconchegante. Com 2.300 m² a estrutura conta com arquitetura moderna e tecnologia de ponta, em um conceito chique-nostálgico.

Maria Rita em Voz e Piano
Com Maria Rita
Theatro NET São Paulo – Shopping Vila Olímpia (Rua Olimpíadas, 360 – Vila Olímpia, São Paulo)
Duração 60 minutos
17 e 18/11
Sexta e Sábado – 21h
$120/$240
Classificação 12 anos

TULIPA RUIZ LANÇA ÁLBUM “TU” NO THEATRO NET RIO (Rio de Janeiro)

Em formato intimista, cantora e compositora paulista reúne canções inéditas e releituras de seu repertório e conta com produção do irmão e parceiro Gustavo Ruiz e de Stéphane San Juan; Gravado em Nova York, TU tem lançamento 100% em formato digital pela ONErpm e aposta em mercado internacional. Tulipa Ruiz sobe ao palco do Theatro Net Rio no próximo dia 21 de novembro, às 21h.

por Tulipa Ruiz

TU, com letra maiúscula. Em capslock para acentuar a grafia da palavra e assim mergulhar em seu significado. TU sou eu e é você. TU é a gente. Tu também é dois. Two. Eu e Gustavo, meu irmão e parceiro musical. Tu é para. É oferenda. A ideia do disco nasceu a partir de uma gira que fizemos voz e violão, formato que eu gosto de chamar de “nude”, porque é como se as músicas estivessem peladas. Tocar as músicas desse jeito nos aproximou da espinha dorsal de cada canção. E fiquei com vontade de gravá-las assim: um violão, uma voz e algumas poucas percussões.

Este é o conceito do disco. Sobretudo em um momento onde a tecnologia nos dispersa e a overdose de informação nos sobrecarrega, quis fazer um disco mais íntimo, mais próximo, mais cru. Em tempos de relações rasas, esse é um disco que me aproxima do ritual da fogueira. Do olho no olho. Dos meus amigos. Os antigos e os novos. Os da floresta e os da cidade. Tu sou eu, Gustavo e Stéphane San Juan. Gustavo no violão e na inventação das músicas junto comigo. Stephane nas percussões. Os dois na produção do disco. Scotty Hard foi o engenheiro de som.

A primeira intuição que tivemos para TU é que seria um disco de releituras, mas durante o processo músicas novas apareceram. Cinco novas e quatro releituras. Ao todo são nove e eu gostei desse número porque o 9 contém a experiência de todos os números anteriores. Tem a ver com o conceito do disco: incorporar em sua atmosfera e existência a experiência dos discos anteriores.

Das regravações, vieram a minha “Pedrinho” e “Desinibida”, parceria com o músico português Tomás Cunha Ferreira, da banda Os Quais. Elas entraram para o disco porque trazem personagens livres e gente livre merece destaque. São praticamente a mesma pessoa. “Algo Maior” (minha, do Gustavo e do meu pai Luiz Chagas) e “Dois Cafés” (minha e do Gustavo) foram relidas porque que precisavam ser ditas de novo. Foram tocadas poucas vezes nos shows com banda e verbalizá-las me fortalece.

Das novas, fiz “Pólen”. “Game” e “Tu” são parcerias com Gustavo. “Terrorista del Amor” é a minha segunda experiência em uma composição coletiva (a primeira foi em Víbora). É uma parceria com Ava Rocha, Paola Alfamor, Gustavo Ruiz e Saulo Duarte.  “Pedra”, que fecha o disco, é uma música feita pelo meu pai, Luiz Chagas, no ano em que nasci e que nunca tinha sido gravada. Tenho dois convidados muito especiais no disco. Mauro Refosco, em “Algo Maior” e Adan Jodorowsky em “Terrorista del Amor”.

Gravamos as músicas no estúdio do Scotty, no Brooklyn, em duas semanas. Incrível o jeito que ele capta e o som. O violão do Gustavo ficou especial. Impressionante a sintonia que se deu entre a gente e a contribuição de cada um. Gustavo na arregimentação de tudo e na percepção da minha musicalidade. Stepháne, com seu olhar estrangeiro de francês radicado no Rio e no Mali, levou nossas músicas para novos lugares e, além de um ar cosmopolita, trouxe ancestralidade para a nossa fogueira.

Este é o nosso primeiro projeto 100% digital. E escolhemos como parceiros a ONErpm, que nos acolheu de braços abertos no Brasil e em Nova York colocando toda sua estrutura à nossa disposição. As parcerias foram fundamentais para que TU se materializasse.

Esse disco também é resultado de nossas andanças. Nos dois últimos anos tocamos muito pela América Latina, sobretudo México, e TU também vem da vontade de dialogar mais com que está ao nosso redor e parece distante pela barreira da língua.

Esse disco me aproxima de todos os meus cordões umbilicais.

 

 

Tulipa Ruiz lança Álbum Tu
Com Tulipa Ruiz
Theatro Net Rio – Sala Tereza Rachel (Rua Siqueira Campos, 143 – Copacabana, Rio de Janeiro)
Duração 75 minutos
21/11
Terça – 21h
$80/$100
Classificação 12 anos

LAILA GARIN E A RODA

Filha de mãe baiana e pai francês, Laila ensaia sua chegada à cena como cantora e intérprete há algum tempo. Começou a estudar teatro aos 11, canto lírico aos 13 e com 15 anos já integrava um grupo de teatro amador da Casa Via Magia, atuando em várias montagens. Laila estagiou durante seis meses no Théâtre du Soleil, em Paris. “Eu sempre cantei no teatro, mas sempre tive vontade de fazer um trabalho de música, independente do teatro. Cheguei a fazer alguns poucos shows em Salvador, mas precisava encontrar os parceiros certos”, conta. “De São Paulo eu fui para o Rio, em 2009, fazer um musical do João Falcão dedicado à música brasileira, chamado “Eu te Amo Mesmo Assim”. Foi lá que eu conheci Ricco Viana e Rick de la Torre: como os dois já trabalhavam com teatro, entendiam como a música poderia estar à serviço da dramaturgia”, completa Laila.

Escolhida para interpretar Elis Regina em “Elis, a musical”, que a projetou para o grande público, Laila Garin teve na biografia da cantora a inspiração para seguir em frente com seu projeto de intérprete: “Com Elis tive essa rebeldia, essa coragem que aprendi com ela, e decidi que tinha chegado a hora de fazer a minha banda”. Foi com essa determinação que Laila partiu para uma série de shows no lendário Beco das Garrafas, espaço que viu a bossa nova nascer e acabara de ser reativado, no Rio de Janeiro. “Eu tinha conhecido o Beco das Garrafas, um lugar importantíssimo para a música brasileira, então resolvemos fazer o show Rabisco por lá“.  Como o título sugere, a ideia era mostrar algo que estava sendo construído, um rabisco. “Convidamos o Marcelo Müller, baixista, e a cada semana a gente exercitava um repertório diferente, via a resposta do público, mexia nos arranjos, até chegar no que hoje virou o nosso CD”, pontua.

Abaixo o clipe oficial da canção “Não Me Arrependo”.

Laila Garin e A ROda Cantam Elis
Com Laila Garin e A Roda
Paris 6 Burlesque Music Hall & Night Bistro (Rua Augusta, 2809 – Jardins, São Paulo)
Duração: não informada
20 e 27/11
Segunda – 21h
$70/$100
Classificação 14 anos

 

BIBI, POR TODA MINHA VIDA

Após comemorar 75 anos de carreira, a grande dama do teatro e da música brasileira Bibi Ferreira sobe ao palco do Teatro Oi Casa Grande para estrear seu mais novo espetáculo “Por Toda Minha Vida”.

Neste trabalho, Bibi retorna ao cancioneiro brasileiro, matando a saudades das nossas grandes canções e celebrando vários encontros que teve durante sua carreira. Uma grande homenagem aos amigos e artistas próximos.  “Bibi, Por Toda Minha Vida” ficará em cartaz aos sábados às 21h e domingos às 19h até o dia 3 de dezembro.

A ideia de retornar ao cancioneiro brasileiro surgiu justamente durante o período de comemorações do jubileu de diamante, onde muito se falou, mostrou e se perguntou sobre os 75 anos de carreira da artista. Na cabeça de Bibi, um grande passeio pela carreia. Lembrou-se de muitos momentos, de diversas passagens e percebeu que teve, em toda sua vida, pessoas muito especiais, cuidadosas e interessadas, sempre destacando a importância dos seus pais. São novas e velhas histórias. São novas e velhas canções. E foi lembrando nessas pessoas que Bibi criou a estrada que conduz seu novo espetáculo.

Artisticamente, Bibi continua trabalhando em parceria com seu maestro Flavio Mendes e seu empresário Nilson Raman, na seleção das canções, na seleção das histórias e no estudo do roteiro. A “costura”, como diz Bibi. No palco, será acompanhada por onze músicos, contando com o maestro que também é o guitarrista.

Nas canções, encontramos lembranças de Noel Rosa, Carmem Miranda, Dolores Duran, Maysa, Eliseth Cardoso, Clara Nunes, Araci de Almeida, Dalva de Oliveira, Nora Ney, Tom Jobim, Milton Nascimento, Nara Leão, Elis Regina e Maria Bethânia, entre outros nomes.

Nas histórias, vamos ouvir falar de Procópio e Dona Aída, pais de Bibi, claro, por considerar os grandes responsáveis por ter se tornado quem ela é, mas também vamos ouvir falar, além dos artistas já citados acima, de Dorival Caymmi, da Rua da Quitanda, de Carmen Santos, Marília Batista, Isaurinha Garcia, bossa nova, Gianni Rato, Flávio Rangel, Paulo Pontes, Silvia Teles, Antonio Maria, Menescal e Boscoli, Angela Maria, Oduvaldo Viana Fialho, Augusto Boal, Edu Lobo, Vinicius de Moraes, e assim vai, por toda sua vida.

Bibi – Por Toda Minha Vida
Com Bibi Ferreira e orquestra
Teatro Oi Casa Grande (Avenida Afrânio de Melo Franco, 29 – Leblon, Rio de Janeiro)
Duração (não informada)
11/11 até 03/12
Sábado – 21h, Domingo – 19h
$100/$180
Classificação 16 anos

UM

 

Teatro Porto Seguro está com as vendas de ingressos abertas para o show de Ayrton Montarroyos que acontece no dia 5 de dezembro, terça-feira, às 21h.

O show intitulado Um, é baseado em seu álbum de estreia, Ayrton Montarroyos, lançado em abril de 2017. O CD traz músicas inéditas de Zeca Baleiro (À Porta do Edifício) e Zé Manoel (Tu Não Sabias), além de regravações de Cartola (Que Sejas Bem Feliz) e de Tiné, integrante da banda Academia da Berlinda (E Então).

A carreira do jovem intérprete pernambucano de 22 anos começou cedo, quando, aos 16 anos, foi convidado para gravar a música Riacho do Navio (Luiz Gonzaga/Zé Dantas) no álbum triplo 100 Anos de Gonzagão, da gravadora Lua Music. O produtor musical Thiago Marques Luiz percebeu em Ayrton um grande potencial e o convidou para outro projeto, o CD 100 Anos de Herivelto Martins (Lua Music, 2013). Ayrton foi indicado ao Grammy Latino por essa gravação.

Ayrton Montarroyos participou do reallity musical da Rede Globo, The Voice Brasil, na edição 2015. Apadrinhado por Lulu Santos passou por todas as fases do programa e sagrou-se vice-campeão cantando clássicos da música popular brasileira.

 

Um
Com Ayrton Montarroyos
Teatro Porto Seguro (Al. Barão de Piracicaba, 740 – Campos Elíseos – São Paulo)
Duração 70 minutos
05/12
Terça – 21h
$30/$50
Classificação Livre

REENCONTRO – O SHOW

O Gruparteiro de Teatro apresenta neste final de ano a primeira edição de “Reencontro – o Show“. O espetáculo é uma forma de relembrar os dois espetáculos musicais independentes do grupo, que estiveram em cartaz neste ano – “Ruindade – o Musical” e “Poço, o Musical“.

A proposta do espetáculo é realizar uma noite festiva de teatro, com reflexão e muita música. O evento musical inédito será realizado pelo Gruparteiro de Teatro, em parceria com a Mosaico Produções Artísticas. O projeto, em forma de show, combina as recentes produções de teatro musical da Cia. Este, por meio de suas ações, valoriza e difunde as manifestações culturais, favorecendo o desenvolvimento de um teatro musical popular e ampliando as opções de lazer e cultura do público em geral.

O evento acontece no dia 16 de novembro, às 21 horas no Teatro UMC.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Reencontro – o Musical
Com Gruparteiro de Teatro
Teatro UMC (Av. Imperatriz Leopoldina, 550 – Vila Leopoldina, São Paulo)
Duração 60 minutos
16/11
Quinta – 21h
$50
Classificação Livre