UM DIA NA BROADWAY

Depois de quase 15 anos encenando clássicos do universo infantil, o diretor e músico Billy Bond volta a montar espetáculos adultos com a estreia de Um Dia na Broadway, a partir do dia 5 de outubro, sábado, às 21 horas, no Teatro Bradesco.

Tributo aos grandes musicais americanos, o espetáculo é uma produção viabilizada em parceria com a Opus, empresa do ramo de entretenimento que mantém nove casas de espetáculos no Brasil. Billy Bond aposta no encantamento dos brasileiros por Nova York. Acredita que o programa preferido dos turistas daqui por lá, além de fazer compras, é visitar os teatros, pontos icônicos da cidade, como a Estátua da Liberdade e o Empire State.

Assim, criou seu novo espetáculo na medida para seduzir uma platéia ávida para ver os “melhores espetáculos do mundo”. “Somos admiradores de Nova York, viajamos para lá anualmente, duas vezes por ano, no verão e no inverno“, conta, falando também em nome da mulher, a produtora-executiva Andrea Oliveira. Um dos investimentos mais curiosos da produçãé um carro tingido de amarelo fazendo às vezes de um táxi aos moldes dos que circulam pelas ruas da Grande Maçã, nome pelo qual ficou conhecida a cidade.

O diretor deseja reproduzir no espetáculo o espírito de Nova York. Quer agradar quem conhece e ama a cidade e também os que nunca estiveram por lá. Para levar o público nessa viagem, criou uma ambientação característica. Um painel de 160 metros de tiras de luz de LED irá reproduzir pontos turísticos clássicos da metrópole, como Times Square, Broadway, Estátua da Liberdade, Wall Street, Harlem, Empire State, Metrô e Grand Central Station. Minucioso e detalhista, Billy pretende que o espectador se reconheça no palco e nas personagens. Assim, até os ruídos característicos da cidade também devem cumprir seu papel de transportar o público nessa trajetória. Em estilo grandioso, a abertura com 20 bailarinos ao som da orquestra ao vivo  é um convite para se deixar envolver pelo universo dos musicais o encantamento de New York.

A história começa com a chegada de uma família de férias em Nova York. Acompanhado pelos filhos, um casal viaja para Nova York a fim de comemorar o aniversário de casamento onde se conheceu e se apaixonou. Logo há um desencontro e as crianças se perdem dos pais no metrô da Grand Central Station.

A partir de então, na tentativa de reencontrá-los, os irmãos se aventuram por lugares onde acreditam que encontrarão o casal.  Sabem que os pais são fanáticos por teatro, portanto na busca, visitam os teatros da Broadway e assistem trechos de musicais clássicos.

Na plateia, o público acompanha a saga da família e se delicia com as cenas concebidas por Billy para reproduzir a atmosfera de 10 dos mais famosos musicais de todos os tempos, em imagens, figurinos, cenarios e músicas cantadas ao vivo. 

São eles: Priscilla (aosom de It’s Raining Men), Evita (Don’t cry for me Argentina), Chicago (All that jazz), Grease (Summer Night), Les Miserable (One day more), Mary Poppins (Supercalifragilistic), West Side Story (Tonight), Jesus Cristo Superstar (Superstar), Cats (Memories), Mamma Mia (Dancing Queen), Welcome  In New York, Empire My Mind , Money Monet , On Broadway.

No decorrer da trama, uma personagem entra para ajudar a contar a história. Trata-se do próprio George Michael Cohan, artista identificado como um dos primeiros a fazer espetáculos no formato de musical nos Estados unidos. Para dar suporte e veracidade ao cenário virtual, a montagem conta com cenários físicos e outros elementos cenográficos, que estão sendo construídos no galpão da produtora, em Embu das Artes. A produção investiu na compra de um automóvel a ser usado como táxi cenográfico no palco. Retirou motor e outras, peças internas e pintou de amarelo. É nele que os personagens vão se movimentar pela cidade. 

Como não pode faltar nas montagens do diretor, a encenação conta com números aéreos, levitação e outros truques e efeitos especiais. Para dar a sensação de 3D, Billy explica que há um cenário virtual (foram compradas imagens em 4K em NY) e um físico, os dois mesclados. Foi construído um palco giratório automatizado de 15 por sete metros. Surround, o som envolverá o público. Para que tudo sai como o diretor concebeu, uma equipe de 10 profissionais trabalha há meses na computação gráfica. A reprodução dos espaços da cidade tem de ser fiel. É exigência de Billy.

CARMEN (1)

Um Dia na Broadway

Com Alvinho de Padua; Titzi Oliveira; Isabella Casarini; Henry Gaspar; MarcioYacoff. Cantores: Felipe Tavolaro, Luiz Pacini, Marcio Louzado. Cantoras: Ana Luiza Ferreira, Debora Dibi, Renata Ricci, Thais Piza. Bailarinas: Ale Lorena, Amanda Flowers, Camila Lacerda, Ingrid Marques, Jennyfer Kauana, Juliana Moretto, Larissa Porrino, Luana Oliveira, Luciana Romani, Luiza Freiria, Marina Trivelato, Mônica Gross, Nicole Bertaggia, Thalita Medeiros. Bailarinos: Denis Pereira, Emanuel Faioli, Heitor Garcia, Italo Rodrigues, Leandro Affonso e Estevam.

Teatro Bradesco – Bourbon Shopping (R. Palestra Itália, 500 – Perdizes, São Paulo)

Duração  105 minutos

05 a 28/10

Sexta e Sábado – 21h, Domingo – 20h

$80/$200

Classificação Livre

O MÁGICO DE OZ – O MUSICAL

O time de atores mirins do espetáculo O Mágico de Oz – o Musical, a novidade fica por conta das crianças Catarina Lakshimi e John Gopalade 9 e 8 anos, respectivamente.

Filhos de Fernanda Young, John e Catarina com Totó, o caozinho do musical

Filhos da escritora, roteirista e apresentadora Fernanda Young com o roteirista Alexandre Machado (o casal tem mais dois, as gêmeas Estela May e Cecília Madonna, de 17 anos), eles participaram das audições e foram selecionados para o elenco do novo musical de Billy Bond, que entra em cartaz dia 14 de abril no palco do Teatro Bradesco. Os pequenos estarão no palco em quase todas as coregrafias, “ora atuando como esmeraldinhas, papoulas ou pirulitos”. 

Eles estudam pela manhã e ensaiam à tarde“, informa a mãe, contando que as crianças estão empolgadas, se divertindo, e até já sabem o que vão fazer com o primeiro cachê: viajar para um acampamento.

Com a experiência de uma família que trabalha no showbizz, Fernanda não se deslumbra com a aventura teatral dos filhos. “Eles são educados a valorizar o trabalho“, fala. Já Cecília, que fará 18 anos em breve, é fascinada por musicais e prefere os bastidores. Está trabalhando como assistente de Andrea Oliveira, a produtora de Billy Bond. Mais tímida, a mais velha encara o trabalho com seriedade e diz que vai gastar o salário comprando ingressos para ver musicais.

Fernanda Young está desenvolvendo com o marido projetos com a TV Globo e também um programa novo de TV ao lado de Maju Coutinho e Marcelo Sebá.

BEM SERTANEJO – O MUSICAL

O espetáculo “Bem Sertanejo – O Musical”, apresentado pelo Circuito Cultural Bradesco Seguros, e patrocinado pela Vivo, PagSeguro, laboratório Cristalia, Consórcio Nacional Chevrolet e pela Riachuelo, foi sucesso de público por onde passou durantes os meses de abril, maio e junho deste ano. Foram mais de 32 apresentações em São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba, Porto Alegre, Brasília, Belo Horizonte e Ribeirão Preto sempre com casa cheia e sessões extras. E agora, depois de lançar também o show Bem Sertanejo, inspirado no DVD de mesmo nome, Michel Teló volta com o musical.

Em São Paulo, as apresentações serão dias 15, 16, 17, 18, 22, 23, 24 e 25 de março, no Teatro Bradesco.

A montagem conta a história da música sertaneja, desde a sua origem caipira, no século 17, até os dias mais recentes e traz no repertório cerca de 56 sucessos de nomes consagrados, como Tonico e Tinoco, Sérgio Reis, Almir Sater, Renato Teixeira, Chitãozinho e Xororó, Leandro e Leonardo, Zezé Di Camargo e Luciano, Gustavo Lima, Henrique e Juliano, Jorge e Mateus, entre outros.

“Bem Sertanejo – O Musical” traz na assinatura do texto e da direção o nome de Gustavo Gasparani e de profissionais consagrados no ramo, como Gringo Cardia (cenografia), Maneco Quinderé (iluminação), Marcelo Olinto (figurinos), Renato Vieira (coreografias), Marcelo Neves (direção musical), Mauricio Detoni (arranjos e preparação vocal) e André Piunti (pesquisador musical). A segunda turnê já passou por Goiânia, Rio de Janeiro e Vila Velha, sempre com ingressos esgotados. Além de São Paulo, a cidade de Campinas também receberá o projeto no final de março.

Esse projeto é apresentado pelo Ministério da Cultura, por meio da Lei de Incentivo   à Cultura, e pelo Circuito Cultural Bradesco Seguros e patrocinado pela Vivo, PagSeguro, laboratório Cristalia, Consórcio Nacional Chevrolet, Alelo e pela Riachuelo.

Do Fantástico para os palcos

Com o mesmo nome do quadro, que foi um sucesso no programa “Fantástico”, exibido pela Rede Globo de Televisão, o protagonista do musical no teatro será o mesmo apresentador da série que foi um sucesso e teve mais uma temporada exibida agora em 2017. Michel Teló fez a sua estreia como ator e se preparou para isso com várias horas de ensaio ao longo dos dias.

Esse é outro mundo para mim. É muito novo ter texto para decorar, ter que interpretar um personagem, aprender as marcações diferentes, estar em cima do palco para um musical é diferente. Mas tem sido um desafio muito bacana”, afirma Michel.

O elenco trará ainda nomes de destaque no cenário do teatro musical brasileiro, como Lilian Menezes, que recentemente chamou a atenção ao protagonizar o sucesso “Elis, A Musical”, Sergio Dalcin, cantor sertanejo e ator, com experiência em musicais, e o premiadíssimo elenco de “Samba Futebol Clube” e “Aquele Abraço” que trabalha com o autor e diretor Gustavo Gasparani há cinco anos. São eles: Alan Rocha, Cristiano Gualda, Daniel Carneiro, Gabriel Manita, Jonas Hammar, Luiz Nicolau, Pedro Lima e Rodrigo Lima.

Ao escrever Bem Sertanejo – O Musical, voltei à minha infância na fazenda quando queria ser veterinário. A peça conta a trajetória e a formação da música caipira e da cultura interiorana do nosso país de forma poética e não cronológica. Proponho uma viagem pelos nossos interiores – memórias, infância, descobertas – resgatando, assim, o sertão que há em cada um de nós, e ao mesmo tempo, um contato direto com as nossas raízes culturais. Um sertão mítico, onde o erudito se encontra com a alma popular para criar a identidade de um povo. Um encontro livre de preconceitos e longe da palavra progresso. Onde Tarsila, Mário de Andrade e Villa-Lobos se encontram com Tonico e Tinoco, Mazzaropi, Jararaca e Ratinho e tantos outros”, explica Gustavo Gasparani.

Abaixo, veja trechos do espetáculo

 

 

 

Bem Sertanejo, o Musical
Com Michel Teló, Lilian Menezes, Alan Rocha, Cris Gualda, Daniel Carneiro, Gabriel Manita, Jonas Hammar, Luiz Nicolau, Pedro Lima, Rodrigo Lima, Sergio Dalcin
Teatro Bradesco – Shopping Bourbon (R. Palestra Itália, 500 – Perdizes, São Paulo)
Duração 180 minutos
16 a 25/03
Sexta e Sábado – 17h e 21h30, Domingo – 16h e 20h30
$150/$220
Classificação 16 anos

 

 

 

BELA ADORMECIDA

Todo mundo tem seu clássico preferido e a história da Bela Adormecida está entre uma das mais adoradas mundo afora. Esta nova adaptação do conto de Charles Perrault colocará a vilã Maligna para cantar e encantar espectadores de todas as idades.

Com direção do italiano Billy Bond, o musical infantil Bela Adormecida é fruto da adaptação do famoso conto de fadas homônimo e conta a história da princesa Aurora (Bela Adormecida), que em sua festa de batizado acaba sendo vítima de uma terrível maldição proferida por Maligna, a rainha do mal.

Com realização da Black & Red Produções, o espetáculo que estreou no novíssimo Teatro Opus, em São Paulo, será apresentado entre os dias 7 e 29 de outubro, no Teatro Bradesco. Ingressos já à venda na bilheteria do Teatro, pelo site da Ingresso Rápido (www.ingressorapido.com.br) e pontos autorizados. Confira o serviço completo abaixo.

Adriane Galisteu interpretou a protagonista Maligna, na estreia da produção. O papel apresenta uma nova imagem ao estereótipo típico dos personagens dos contos de fadas que, geralmente, são antiquados e carrancudos. A vilã está mais jovial, elegante, majestosa e até com certa luz própria. Outra novidade é que o filho da atriz, Vittorio Galisteu, também participa do espetáculo. Vittorio, de seis anos, interpreta o papel do Príncipe Felipe Criança. Essa foi uma maneira encontrada por Galisteu para inicia-lo no mundo das artes cênicas.

Na montagem atual, o personagem de Maligna será interpretado pela atriz Thais Piza, visto que Galisteu participa da atração “Dança dos Famosos” do programa da rede Globo.

Bela Adormecida também nos presenteia com personagens carismáticos e sequências incríveis, a começar pela abertura, que se destaca pela riqueza dos cenários e, principalmente, pelos belíssimos efeitos especiais. Efeitos, estes, que podem ser vistos durante toda a apresentação, como, por exemplo, na transformação de Maligna em Dragão, a luta entre o Príncipe Felipe e o Dragão, a mudança de cores do vestido da Bela Adormecida, atores contracenando com desenhos animados, entre outros. Além disso, o público poderá experimentar interações, como cheiros e sensações de chuva e neve na plateia. O musical possui, no total, seis cenários reais e virtuais, todos minuciosamente elaborados e construídos. As fadas Flora, Fauna e Primavera, protetoras de Aurora, são personagens que prometem encantar e cativar a audiência do teatro. Este trio de irmãs renderá cenas mágicas durante o musical, como, por exemplo, um desastre provocado e que se torna a surpresa do aniversário da princesa adormecida. As três personagens conduzem, praticamente, a história toda durante o musical.

Carlos Gardin ficou responsável pelos figurinos do espetáculo. Ele criou e produziu 180 peças para dar vida a este mundo de fantasia cheio de glamour. Os 40 personagens que aparecem em cena serão representados por 22 atrizes e atores, que se revezam em diferentes papéis. Confira elenco completo:

A trilha sonora é outro elemento que merece destaque. A música-tema é de composição do grande compositor russo Piotr Ilich Tchaikovsky (O Lago dos Cisnes) e as trilhas tema dos personagens Bela, Felipe, Maligna e Fadas foram especialmente compostas para o musical pela dupla VILA BOND. As composições conseguem proporcionar uma maior emoção e intensidade às cenas românticas, cômicas ou de maior ação.

Bela Adormecida pode ser considerada uma verdadeira reunião de vários elementos típicos presentes nos contos de fadas: princesas amaldiçoadas, combates mortais, castelos, reis, fadas, dragões, entre outros. Além de ser um conto mundialmente conhecido. Apesar de sua história ser bem conhecida, ela consegue prender a nossa atenção e nos deixar verdadeiramente encantados, tamanha a magia e graciosidade presentes na produção.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Bela Adormecida
Com Thais Piza, Nicole Rosemberg, Caio Mutai, Vittorio Galisteu, Beatricce Stoll, Italo Rodrigues, Mayla Betti, Marcio Yacoff, Luana Marthin, Ana Saguia, Paula Canterini, Alvaro de Padua, Marcos Antoneli, Newton Yamasaki, Matheus Laurini, Tayanne Zandonato, Fabio Galvão, Axila Felix, Larissa Porrino, Carla Reis, Paula Perillo, Daniel de Oliveira, Alex Santos
Teatro Bradesco – Bourbon Shopping (R. Palestra Itália, 500 – Perdizes, São Paulo)
Duração 110 minutos
07 a 29/10
Sábado e Domingo – 15h
(15 e 29/10 – Também com sessões as 11h30)
$60/$120
Classificação Livre

PETER PAN

 

Para encenar a trama em formato de musical, o diretor Billy Bond seguiu a história original do escritor escocês J.M Berrie, criada em 1904 e publicada pela primeira vez no início do século 20, como peça teatral. Posteriormente, o autor publicaria Peter & Wendy, em 1911. “Assim como Berrie ao escrever queria despertar a imaginação do leitor, procuro provocar a fantasia do público”, conta Billy Bond, informando que sua adaptação é pessoal. “Nosso musical é brasileiro.”

Em sua versão, Billy Bond utiliza influências da cultura pop para aproximar ainda mais o espectador do clássico. Por trás das aventuras vividas na Terra do Nunca há uma história cheia de simbologias: viver eternamente a infância, preservar a inocência e a maneira colorida de se enxergar a vida.

O elenco – formado por 27 artistas que cantam e dançam em diferentes cenários, alternando o uso de mais de 100 figurinos –  foi selecionado em audição que reuniu mais de 600 candidatos. Para interpretar os personagens principais, Peter Pan e Wendy, foram escolhidos, respectivamente, Matheus Ueta (Carrossel e Bom Dia & Cia, do SBT) e Giulia Nassa (The Voice Kids, da Globo, onde cantou com Ivete Sangalo).

Billy é conhecido por incorporar às suas peças elementos que façam com que a plateia tenha a sensação de fazer parte do espetáculo. Nesta produção há forte investimento na interatividade e sofisticação do conto de fadas. Em sua fórmula bem-sucedida (“despojada de qualquer intelectualidade e de fácil leitura pela criança”), Billy moderniza o formato usando efeitos especiais, recursos de raio laser, gelo seco,  projeções em 4D, telões de LED. “Usamos a tecnologia a serviço da história”, diz ele, que mescla cenários reais com virtuais, projetados em LED.

A produção bem-cuidada das cenas reúne trajes inspirados na cultura asteca para o figurino dos índios. Já as roupas dos piratas (“sujos e malvados”) têm inspiração no século 18, no Renascentismo, com casacões de botão dourado. “Como o Teatro Bradesco é grandioso, o figurino tem de estar muito presente para aparecer, até maquiagem precisa ser exagerada”, diz Carlos Gardin.

A iluminação tem o propósito de dar volume à cena. A luz acompanha as cores do painel de LED e, junto com o cenário 4D, cria uma ambientação lúdica. No palco, uma composição física completa, com objetos cênicos, o cenário projetado no painel.

Sobre Peter Pan

Peter Pan conta a história de um garoto que se recusa a crescer. Peter e a fada Sininho levam seus amigos Wendy, João e Miguel para conhecer o lugar em que vivem, a Terra do Nunca, onde o tempo não passa. Uma sucessão de aventuras espera a turma. Eles vão se deparar com um navio pirata e ter que enfrentar o temível Capitão Gancho, conhecer a aldeia dos índios e os meninos perdidos. Uma história cheia de emoções e mensagens.

unnamed

Peter Pan
Com Matheus Ueta, Giulia Nassa, Maria Clara Rossi, Álvaro de Padua, Fabio Galvão, Tirzi Oliveira, Marcio Yaccof, Ítalo Rodrigues, Larissa Porrino, Beatricce Stoll, Diego Fecini, Marco Antonelli, Newton Yamassaki, Paula Canterini, Queren Simplicio, Sidney Simplicio, Gabriela Sega, Gui Zoboli, Gabriel Santana, Tayanne Zandonato, Paula Perillo, Carla Reis, Mayla Betti, Anton Uzhyk, Mateus Bertolli, William Santana, Uriel Trindade.
Teatro Bradesco – Bourbon Shopping (Rua Palestra Itália, nº 500 – Barra Funda, São Paulo)
Duração 110 minutos
01 a 16/04
Sábado e Domingo – 15h
Sessões extras 09 e 16/04 – 11h
$50/$150
Classificação livre
 
Figurinista: Carlos Alberto Gardin.
Realização: Anna Cristina Cafaro Driscoll, Benedita Calistro, Hilda de Oliveira.
Adereços de figurinos e próteses: Sílvio Galvão.
Assistência em figurinos com leds: Paulo Mendes de Oliveira.
Makes e caracterização: Chris Mourelhe , Carlos Alberto Gardin.
Perucas e postiços: Wellington Fontinelli, Emily Garcia.
Cenários: Silvio Galvão, Billy Bond.
Adaptação: Billy Bond , Lilio Alonso.
Diretor geral de dramaturgia: Billy Bond,  Andrew Mettine .
Direção de Cena: Marcio Yacoff.
Coreografia: Italo Rodrigues , Paula Perillo .
Direção Musical: Bond , Villa.
Designer de som: Paul Gregor Tancrew.
Designer de luz:  Paul Stewart .
Efeitos especiais: Gabriele Fantine.
Filmes e animações: George Feller, Lucas Médici.
Mappings: Nicolas Duce. Fotos: Chico Audi.
Direção de Produção: Andréa Oliveira.
Direção geral e direção de arte: Billy Bond.
Assessoria de Imprensa: Arteplural Comunicação

 

 

THE HISTORY – A TRIBUTE SHOW TO ABBA

Com sucesso absoluto de público e crítica, o show THE HISTORY – A TRIBUTE SHOW TO ABBA chegará a 2017 com um show repaginado:  o tributo vem com novos figurinos, novas músicas , a presença de orquestra e coral, além de uma avalanche de emoções para todos os amantes do fenômeno sueco!

O ”ABBA do Brasil”, que marcou presença em vários programas conceituados como o ”Domingão do Faustão ” (GLOBO); “Leitura Dinâmica” (REDE TV); “Máquina da Fama” (SBT), “Jornal da Record News – quadro Talentos” (RECORD NEWS), entre outros, acumula mais de 200 cidades em sua trajetória de shows, tendo como palcos os mais importantes teatros e espaços de eventos do país e toda América Latina, ganhando notoriedade por onde passa pela excelência do trabalho apresentado ao público.

Há mais de 3 anos na estrada, o grupo tem conquistado o reconhecimento dos fãs pela semelhança no palco, carisma e qualidade musical que apresenta. O sucesso dos palcos é reflexo de uma um laboratório minucioso feito pelos cantores Paty Andrade, Najah Falcon, Diego Sena e Jheff Saints, intérpretes de Anni-Frid, Agnetha, Björn e Benny, respectivamente.

“Ouvimos muitas músicas para fazermos a seleção de repertório. Assistimos aos videoclipes e ao documentário ABBA The Movie (1977), que faz a cobertura da turnê australiana e que nos deu base para estudar os trejeitos e o comportamento dos integrantes nos shows ao vivo. Também estudamos o Musical Mamma Mia, que traz versões mais contemporâneas dos sucessos do Abba. Tudo isso nos ajudou no processo de criação! E pra completar, fazemos laboratório constantemente, gravando nossos ensaios semanais, dos quais sempre postamos algum trecho para os fãs“, diz um dos integrantes.

Inicialmente estudamos os timbres de cada integrante para que a harmonização vocal se assemelhasse bastante à do quarteto original. Refizemos arranjos e demos uma nova roupagem aos clássicos do ABBA, mas sem descaracterizar as canções, em respeito aos fãs mais fiéis”.

ABBA THE HISTORY leva o público à loucura com a oportunidade de dançar e cantar clássicos como Dancing Queen, Mamma Mia e Waterloo, e acompanhar ao vivo a execução dos clássicos acompanhados dos figurinos irreverentes e característicos do grupo, que foram um ícone de inspiração nos anos 70/80 por sua originalidade e autenticidade. O show, com duração de aproximadamente 90 minutos intercala momentos de pura nostalgia, êxtase e muita emoção! A interação e a participação do público tornam esta experiência dinâmica e inesquecível, deixando a todos um gostinho de quero mais.

” Muitos dos nossos fãs são nossos amigos fiéis! Eles conheceram o tributo, se envolveram conosco e hoje nos dão total apoio na divulgação deste trabalho! Quando eles olham para nós, vêem o ABBA. Alguns comentam que somos o mais próximo do ABBA que eles vivenciaram. Para nós, este elogio uma grande recompensa!”

A banda que acompanha The History é um show à parte. Os músicos talentosos que preenchem o espetáculo com energia, competência e carisma são Glauco de Almeida (baixo), Michael Douglas (bateria), Christian Coelho (guitarra) e Marquinho Alves Corniati (teclado).

The History – A Tribute Show to ABBA
Com ABBA The History
Teatro Bradesco – Shopping Bourbon (Rua Palestra Itália, 500 – Perdizes, São Paulo)
Duração 90 minutos
28/01/17
Sábado – 21h30
$40/$140
Classificação livre

NATAL MÁGICO

A mega produção Natal Mágico, de Billy Bond, está repleta de novidades para agradar a toda a família. Papai Noel encontra super-heróis e gnomos – além das personagens das histórias de Alice no País das Maravilhas e Rainha das Neves. Acrobatas e atletas na cama elástica são outros elementos inéditos.

O diretor concebeu, ainda, uma cena com a trilha sonora da canção Imagine, de John Lennon, cantada em cinco idiomas – inglês, italiano, espanhol, francês e japonês. O quadro em homenagem à cena clássica de Cantando na Chuva é outro destaque desta versão 2016 do musical e lança mão de tecnologia sofisticada capaz de criar chuva de verdade e drenar a água do palco em seguida.

Com truques realizados por equipamento de última geração, Billy Bond traz para o Brasil, pelo terceiro ano consecutivo, o conceito dos tradicionais espetáculos de Natal realizados em Nova York e Londres, principalmente. Além do elenco afinado, composto por 35 atores, o Natal Mágico impressiona também por unir grandiosidade com o cuidado em cada detalhe: são 180 figurinos e cinco cenários. Um destaque é a estrutura de grandes proporções da Trampoline Wall composta por uma parede de 7 metros e uma cama elástica. O espetáculo estreia no próximo dia 12 de novembro, no Teatro Bradesco.

Natal Mágico
Teatro Bradesco – Bourbon Shopping (R. Palestra Itália, 500 – Vila Pompeia, São Paulo)
Sessões extras 20 a 23/12
Terça e Quinta – 20h
Quarta e Sexta – 16
$50/$150
Classificação livre