UM DIA NA BROADWAY

Tributo aos famosos musicais americanos, o musical Um Dia na Broadway – que conta com números aéreos, levitação, efeitos especiais e um palco giratório para dar movimento às cenas – reestreia no dia 4 de outubro, sexta-feira, no Teatro Bradesco. Na curta temporada com apresentações sextas e sábados, às 21 horas, e domingos, às 19 horas, a montagem recria com tecnologia a atmosfera do bairro nova-iorquino.

Em estilo grandioso, a abertura com 20 bailarinos ao som da orquestra ao vivo (em português) é um convite para se deixar envolver pelo universo dos musicais e o encantamento da Big Apple. São 32 pessoas em cena, entre atores, cantores,  bailarinos, músicos e técnicos. O espetáculo tem direção-geral do italiano radicado no Brasil Billy Bond. Ele assina a dramaturgia com Andrew Mettine e a direção musical e arranjos com Villa. A direção de cena ficou a cargo de Marcio Yacoff, e a coreografia foi criada por Italo RodriguesAndréa Oliveira responde pela produção. O musical Um Dia na Broadway é uma produção viabilizada em parceria com a Opus, empresa do ramo de entretenimento que mantém nove casas de espetáculos no Brasil.

Esta é a terceira temporada do musical na cidade, desde a estreia em outubro de 2017. Nas atualizações da montagem, o encenador optou por introduzir dois personagens na trama. Agora sem filhos, o casal Mário (Alvinho de Padua) e Rita (Titzi Oliveira) viaja a Nova York acompanhado de seus pais viúvos. Em meio às inúmeras atrações oferecidas pela cidade, os quatro decidem conhecer os musicais em cartaz na Broadway. Assistem, então, a trechos de clássicos como Priscilla (ao som de It’s Raining Men), Evita (Don’t Cry for me Argentina), Grease (Summer Night), Mamma Mia (Dancing Queen), Cats (Memories), Chicago (All That Jazz),  Les Miserables (One Day More) e Mary Poppins (Supercalifragilistic), além de HairO Fantasma da Ópera e A Bela e a Fera. A ideia básica foi juntar os dez grandes musicais, com réplicas de figurinos e cenários das suas cenas mais famosas, prestando uma homenagem a Cohan, que inventou esse tipo de espetáculo. Nossa produção agrada quem conhece e ama Nova York e aqueles que nunca estiveram por lá”, fala o diretor Billy Bond.

FACE (1).png

Um Dia Na Broadway

Com Alvinho de Pádua, Titzi Oliveira, Ana Saguia, Marcio Yacoff, Paula Canterini, Felipe Tavolaro, Luiz Pacini, Marcio Louzada, Luiza Lapa, Debora Dibi,  Marília Nunes Cortês, Yasmine Mahfuz, Queren Simplicio, Mayla Bety, Amanda Flowers, Fernanda Perfeito, Ingrid Marques, Carla Reis, Luana Oliveira, Marcia Freire, Luiza Freiria, Paula Perillo, Achila Felix, Alessandra Lorena, Jennyfer Kauanna, Luciana Romani, Nicole Bertaggia, Denis Pereira, Emanuel Faioli, Ítalo Rodrigues, Will Santana, JP Estevam, Mike Fidelis

Teatro Bradesco – Bourbon Shopping (Rua Palestra Itália, 500 – Perdizes, São Paulo)

Duração 120 minutos

04 a 13/10

Sexta e Sábado – 21h, Domingo – 19h

$120/$200

Classificação Livre

PETER PAN, O MUSICAL

Depois de temporada bem-sucedida em São Paulo e no Rio de Janeiro, o espetáculo Peter Pan, o Musical retorna à cena paulistana a partir do dia 5 de outubro, sábado, às 16 horas, no Teatro Bradesco.

Com direção do italiano Billy Bond, que coleciona 10 adaptações de clássicos, entre elas, Cinderella, Bela Adormecida, Alice, Natal Mágico e A Bela e a Fera, a curta temporada reúne no palco 27 artistas que cantam e dançam em diferentes cenários, alternando o uso de mais de 100 figurinos.

Os atores Matheus Ueta e Gabriela Sêga – que também atuam juntos na série infantil Casakadabra, um dos destaques da nova programação da TV Cultura – interpretam Peter Pan e Wendy, os personagens principais, respectivamente. Ueta traz no currículo, ainda, participação na novela Carrossel (Kokimoto) e na apresentação do Bom Dia & Cia, do SBT. No teatro, atuou em outros musicais como A Bela e a Fera e O Pequeno Príncipe. Gabriela Sêga esteve em nove musicais dirigidos por Billy Bond, entre eles Alice, Natal Mágico e A Bela e a Fera.

Peter Pan, O Musical conta a história de um garoto que se recusa a crescer. Peter e a fada Sininho levam seus amigos Wendy, Michael e John para conhecer o lugar em que vivem a Terra do Nunca, onde o tempo não passa. Uma sucessão de aventuras espera a turma. Eles vão se deparar com um navio pirata e enfrentar o temível Capitão Gancho, conhecer a aldeia dos índios e os meninos perdidos. O espetáculo tem direção geral e direção de arte de Billy Bond (que assina adaptação com Lilio Alonso e a direção musical com Villa), figurinos de Carlos Alberto Gardin, cenografia de Silvio Galvão e Billy Bond, iluminação de Paul Stewart e coreografia de Ítalo Rodrigues e Paula Perillo.

Efeitos especiais

Para encenar a trama em formato de musical, o diretor seguiu a história original do escritor escocês J.M Berrie, criada em 1904 e publicada pela primeira vez no início do século 20, como peça teatral.  Posteriormente, o autor publicaria Peter & Wendy, em 1911. “Assim como Berrie ao escrever queria despertar a imaginação do leitor, procuro provocar a fantasia do público”, conta Billy Bond, informando que sua adaptação é pessoal. “Nosso musical é brasileiro.”Em sua versão, Billy Bond utiliza influências da cultura pop para aproximar ainda mais o espectador do clássico. Por trás das aventuras vividas na Terra do Nunca há uma história cheia de simbologias: viver eternamente a infância, preservar a inocência e a maneira colorida de se enxergar a vida.

FACE.png

Peter Pan, o Musical

Com Matheus Ueta, Gaby Sêga, Karoline Sanches, Álvaro de Pádua, João Estevan, Tirzi Oliveira, Italo Rodrigues, Ana Saguia, Vanessa Ruiz, Tita Stoll, Clara Jordão, Murilo Martins, Marco Antonelli, Newton Yamassaki, Giulia Jordão, Queren Simplicio, Sidney Simplicio, Julia Duru, Mariana Campos, Tayanne Zandonato, Anton Uzhyk, Mateus Bertolli, Jenyfer Kauana, Camila Lacerda, Alessandra Suman, Gilmar Jr.

Teatro Bradesco – Bourbon Shopping São Paulo (Rua Palestra Itália, 500 – Perdizes, São Paulo

Duração 110 minutos

5/10 até 03/11

Sábado – 16h, Domingo – 11h e 16h

$60/$160

Classificação Livre

APARECIDA, UM MUSICAL

Walcyr Carrasco precisava de um milagre para poder encontrar o mote do espetáculo musical que faria em homenagem a Nossa Senhora Aparecida. A parte histórica ele já tinha, através das pesquisas feitas para escrever a novela “A Padroeira“, que estreou em 2001 na rede Globo. Mas ele queria algo mais atual.

Até que a mão do Destino se pronunciou.

Durante um voo, o autor sentou ao lado de um casal, que durante a conversa, contou o milagre pelo qual o marido tinha passado. Era o que Walcyr esperava – a história de “Caio e Clara” se intercalaria à da Santa.

53926346_2275534866026323_4076442929097342976_n

A história

Aparecida, um Musical” conta a história de Caio, um jovem advogado, materialista, de pouca fé, casado com Clara. No início da história, ele descobre ser vítima de um câncer. O tratamento não funciona, e ainda tira sua visão. Até que juntos vão ao santuário da Padroeira do Brasil, pedir por um milagre.

Milagres não faltam na história da imagem de Nossa Senhora, desde quando foi encontrada em 1717, por três pescadores, e que se produziu o seu primeiro milagre – o dos Peixes. No musical são retratados, além deste, os milagres das velas, do escravo Zacarias e do cavaleiro prepotente, além de incluir a passagem do atentado em 1978, quando foi destruída e depois restaurada no MASP.

FACE (2).png

A produção

Assim como o Brasil, “Aparecida, um musical” é eclético – seja no seu elenco, nos ritmos musicais e nos figurinos. Não é uma obra de catequização, mas sim, um espetáculo de teatro musical, voltado a todo tipo de público.

No palco, são mais de 30 atores, das mais variadas raças e credos religiosos, oriundos das principais produções de musicais no país.

Não espere encontrar canções que já fazem parte do imaginário de devoção à Santa. Na verdade, somente “Ave Maria“, de Bach e Gounod, se faz presente no musical. Todas as outras canções são originais, e procuram complementar a história que está sendo contada. Os ritmos musicais são os presentes na nossa cultura, não podendo deixar de citar a presença dos ritmos afro-brasileiros.

Para também mostrar a força da brasilidade nos figurinos, foram escolhidos os tecidos de algodão cru e renda nacional.

Os cenários utilizam uma mistura de estruturas físicas grandiosas com projeções de vídeos. Para mostrar uma sensação de dinamismo, serão movimentados pelo elenco, inclusive durante as cenas e canções.

“Aparecida, um musical” tem tudo para ser considerado um dos grandes espetáculos do ano.

 

Aparecida, um Musical

Com Leandro Luna, Bruna Pazinato, Edson Monttenegro, Frederico Reuter, Nábia Villela, Ana Araújo, Maysa Mundim, Arthur Berges, Reynaldo Machado, Cadu Batanero, Talita Real, Alessandra Vertamatti, Pamella Machado, Joyce Cosmo, André Torquato, Marcelo Vasquez, Daniel Cabral, Rubens Caribé, Vandson Paiva e Bernardo Berro, Keila Bueno, Rafael Machado, Maria Clara Manesco, Isabel Barros, Ygor Zago, Ditto Leite, Lucas Nunes, Tutu Morasi, Nay Fernandes, Gigi Debei, Isa Castro, Guilherme Pereira e Nina Sato 

Teatro Bradesco – Bourbon Shopping (R. Palestra Itália, 500 – Perdizes, São Paulo)

Duração 135 minutos

Estreia 22/03

Sexta – 21h, Sábado – 16h e 21h, Domingo – 15h e 19h30

$75/$220

Classificação Livre

NATAL MÁGICO

Projeções 3D, chuva, neve, telões de LED, experiências sensoriais, mais de 250 figurinos, voos cenográficos, interação e muitas surpresas. São necessárias quatro carretas para carregar tudo o que é utilizado nessa superprodução criada pelo icônico diretor italiano Billy Bond, que está de volta a São Paulo com o espetáculo Natal Mágico.

Entre as grandes novidades para esse ano estão: truques realizados por equipamentos de última geração, 160m de leds, cenário giratório de 30m (responsável por dar sensação de profundidade, movimento e agilidade para todo o equipamento cênico), orquestra interpretando as trilhas sonoras ao vivo, reforço de cantores de primeira linha ao coro e ainda mais super-heróis. Além disso, a família protagonista do musical também aumentou e a filha de dois anos, junto com a irmã e o irmão, viverá grandes aventuras por meio de histórias clássicas e personagens que ganham vida em uma narrativa mágica.

Trazendo toda a emoção da época mais encantadora do ano, Natal Mágico terá apresentações em São Paulo, no Teatro Bradesco, dias 15, 16, 20, 21, 22 e 23 de dezembro. A realização é de Black & Red Produções, Campo de Produção e Ministério da Cultura.

Com grande elenco, Bia Jordão, que interpretou a personagem Júlia na novela Cúmplices de um Resgate do SBT, e Clara Jordão (que é irmã de Bia) interpretará sua irmã também no espetáculo. Juntas, a dupla viverá fortes emoções como a visita a uma casa de bonecas vivas, ursos dançarinos e a presença de super-heróis. Aos que assistiram ao espetáculo O Mágico de Oz, de abril a julho desse ano, no Teatro Bradesco, a pequena estava frequentemente na plateia, vestida de Dorothy, e encantou o público também fora dos palcos. Além disso, Ana Luiza Ferreira também está confirmada no elenco, ela participou dos musicais Mudança de Hábito e A Era do Rock.

A megaprodução contará com super-heróis que se unirão ao elenco para viver aventuras emocionantes dentro e fora dos palcos. Um número com acrobatas e atletas na cama elástica também promete agradar ao público com números inéditos de tirar o fôlego.

ENREDO

Ao som da Ave Maria, de Bach/Gounod (uma das composições mais famosas e gravadas em latim da Ave Maria), um anjo sobrevoa o presépio para anunciar a nascimento do Menino Jesus. O tradicional quadro, um dos preferidos e mais emocionantes do musical, ocorre simultaneamente a seis anjos que cantam ao vivo, enquanto floquinhos de neve caem do céu. Em clima mágico, a luz desenha no ar os personagens e ajuda a encantar o espectador.

Sobre uma base musical, os cantos acontecem ao vivo. O espetáculo narra a saída do Papai Noel da Lapônia, em um trenó, para ir ao encontro de uma família no Brasil. O bom velhinho ainda irá realizar os desejos de todos, desde conhecer as princesas de suas fábulas favoritas até os super-heróis. A partir daí uma série de quadros musicais conduz os pequenos a uma viagem por mundos encantados.

EFEITOS ESPECIAIS

A montagem, com figurinos, cenários, máquinas e equipamentos multimídia, lota quatro carretas de 40 pés. Além disso, esse ano, serão 160m de LED de altíssima definição, utilizado em grandes centros culturais de Nova York e Londres, é um dos recursos para compor o pano de fundo dessa história mágica e resgatar a esperança do Natal, junto com os principais personagens das histórias infantis.

O espetáculo também tem projeções em 3D, uso de técnicas de ilusionismo e levitação, cheiro, neve, movimentos de cenário controlados por computadores e uma iluminação diferenciada. Incorporado a todos esses efeitos especiais, são utilizados dois projetores de última geração, que mapeiam e recortam desenhos e figuras no ar, criando um ambiente de pura magia para os espectadores.

CARMEN (1).png

Natal Mágico

Com Bia e Clara Jordão, Ana Luiza Ferreira e grande elenco

Teatro Bradesco – Bourbon Shopping (R. Palestra Itália, 500 – Perdizes, São Paulo)

Duração 100 minutos

15 e 16/12 – 11h30, 16h e 20h; 20 e 21/12 – 16h e 21h; 22/12 – 16h e 20h e 23/12 – 16h

$70/$160

Classificação Livre

APARECIDA – UM MUSICAL

Aparecida – um Musical” conta a jornada de fé de um casal, Clara e Caio (Bruna Pazinato e Leandro Luna) na procura pela cura do câncer, que pode deixar cego o rapaz. A estreia é no dia 22 de março de 2019 no Teatro Bradesco (Bourbon Shopping).

No elenco, temos Edson Montenegro, (narrador), Frederico Reuter (Padre Lino), Nábia Vilela (Maria Helena), Arthur Berges (Rogério), Reynaldo Machado (Zacharias), Cadu Batanero (Cavaleiro), Talita Real (Romeira 1), Alessandra Vertamatti (Romeira 2), Pamella Machado (Romeira 3), Marcelo Vazques (Pescador 2), Vandson Paiva (Pescador 3), Daniel Cabral (Padre redentorista 1), Rubens Caribé (Feitor).

Como coro, temos Keila Bueno, Rafael Machado, Ygor Zago, Ditto Leite, Lucas Nunes, Tutu Morasi, Gigi Debei, Isabela Castro, Nina Sato e Guilherme Pereira.

Na equipe criativa, encontramos os nomes de Walcyr Carrasco, que escreveu o texto; produção de Maria Eugenia Maladogi, Eurico Maladogi e Fernanda Chamma; que também é responsável pela direção e coregrafia; Fábio Namatame assina os figurinos; Carlos Bauzys é o diretor musical; e Ricardo Severo fica a cargo das composições e produção musical.

O autor já havia prestado anteriormente uma homenagem à Santa. Walcyr escreveu a novela “A Padroeira” (Rede Globo), que esteve no ar no horário das dezoito horas, entre 18 de junho de 2001 e 22 de fevereiro de 2002. Devoto de Nossa Senhora, a intenção era unir amor, fé e aventura em uma só história.

UM DIA NA BROADWAY

Depois de quase 15 anos encenando clássicos do universo infantil, o diretor e músico Billy Bond volta a montar espetáculos adultos com a estreia de Um Dia na Broadway, a partir do dia 5 de outubro, sábado, às 21 horas, no Teatro Bradesco.

Tributo aos grandes musicais americanos, o espetáculo é uma produção viabilizada em parceria com a Opus, empresa do ramo de entretenimento que mantém nove casas de espetáculos no Brasil. Billy Bond aposta no encantamento dos brasileiros por Nova York. Acredita que o programa preferido dos turistas daqui por lá, além de fazer compras, é visitar os teatros, pontos icônicos da cidade, como a Estátua da Liberdade e o Empire State.

Assim, criou seu novo espetáculo na medida para seduzir uma platéia ávida para ver os “melhores espetáculos do mundo”. “Somos admiradores de Nova York, viajamos para lá anualmente, duas vezes por ano, no verão e no inverno“, conta, falando também em nome da mulher, a produtora-executiva Andrea Oliveira. Um dos investimentos mais curiosos da produçãé um carro tingido de amarelo fazendo às vezes de um táxi aos moldes dos que circulam pelas ruas da Grande Maçã, nome pelo qual ficou conhecida a cidade.

O diretor deseja reproduzir no espetáculo o espírito de Nova York. Quer agradar quem conhece e ama a cidade e também os que nunca estiveram por lá. Para levar o público nessa viagem, criou uma ambientação característica. Um painel de 160 metros de tiras de luz de LED irá reproduzir pontos turísticos clássicos da metrópole, como Times Square, Broadway, Estátua da Liberdade, Wall Street, Harlem, Empire State, Metrô e Grand Central Station. Minucioso e detalhista, Billy pretende que o espectador se reconheça no palco e nas personagens. Assim, até os ruídos característicos da cidade também devem cumprir seu papel de transportar o público nessa trajetória. Em estilo grandioso, a abertura com 20 bailarinos ao som da orquestra ao vivo  é um convite para se deixar envolver pelo universo dos musicais o encantamento de New York.

A história começa com a chegada de uma família de férias em Nova York. Acompanhado pelos filhos, um casal viaja para Nova York a fim de comemorar o aniversário de casamento onde se conheceu e se apaixonou. Logo há um desencontro e as crianças se perdem dos pais no metrô da Grand Central Station.

A partir de então, na tentativa de reencontrá-los, os irmãos se aventuram por lugares onde acreditam que encontrarão o casal.  Sabem que os pais são fanáticos por teatro, portanto na busca, visitam os teatros da Broadway e assistem trechos de musicais clássicos.

Na plateia, o público acompanha a saga da família e se delicia com as cenas concebidas por Billy para reproduzir a atmosfera de 10 dos mais famosos musicais de todos os tempos, em imagens, figurinos, cenarios e músicas cantadas ao vivo. 

São eles: Priscilla (aosom de It’s Raining Men), Evita (Don’t cry for me Argentina), Chicago (All that jazz), Grease (Summer Night), Les Miserable (One day more), Mary Poppins (Supercalifragilistic), West Side Story (Tonight), Jesus Cristo Superstar (Superstar), Cats (Memories), Mamma Mia (Dancing Queen), Welcome  In New York, Empire My Mind , Money Monet , On Broadway.

No decorrer da trama, uma personagem entra para ajudar a contar a história. Trata-se do próprio George Michael Cohan, artista identificado como um dos primeiros a fazer espetáculos no formato de musical nos Estados unidos. Para dar suporte e veracidade ao cenário virtual, a montagem conta com cenários físicos e outros elementos cenográficos, que estão sendo construídos no galpão da produtora, em Embu das Artes. A produção investiu na compra de um automóvel a ser usado como táxi cenográfico no palco. Retirou motor e outras, peças internas e pintou de amarelo. É nele que os personagens vão se movimentar pela cidade. 

Como não pode faltar nas montagens do diretor, a encenação conta com números aéreos, levitação e outros truques e efeitos especiais. Para dar a sensação de 3D, Billy explica que há um cenário virtual (foram compradas imagens em 4K em NY) e um físico, os dois mesclados. Foi construído um palco giratório automatizado de 15 por sete metros. Surround, o som envolverá o público. Para que tudo sai como o diretor concebeu, uma equipe de 10 profissionais trabalha há meses na computação gráfica. A reprodução dos espaços da cidade tem de ser fiel. É exigência de Billy.

CARMEN (1)

Um Dia na Broadway

Com Alvinho de Padua; Titzi Oliveira; Isabella Casarini; Henry Gaspar; MarcioYacoff. Cantores: Felipe Tavolaro, Luiz Pacini, Marcio Louzado. Cantoras: Ana Luiza Ferreira, Debora Dibi, Renata Ricci, Thais Piza. Bailarinas: Ale Lorena, Amanda Flowers, Camila Lacerda, Ingrid Marques, Jennyfer Kauana, Juliana Moretto, Larissa Porrino, Luana Oliveira, Luciana Romani, Luiza Freiria, Marina Trivelato, Mônica Gross, Nicole Bertaggia, Thalita Medeiros. Bailarinos: Denis Pereira, Emanuel Faioli, Heitor Garcia, Italo Rodrigues, Leandro Affonso e Estevam.

Teatro Bradesco – Bourbon Shopping (R. Palestra Itália, 500 – Perdizes, São Paulo)

Duração  105 minutos

05 a 28/10

Sexta e Sábado – 21h, Domingo – 20h

$80/$200

Classificação Livre

O MÁGICO DE OZ – O MUSICAL

O time de atores mirins do espetáculo O Mágico de Oz – o Musical, a novidade fica por conta das crianças Catarina Lakshimi e John Gopalade 9 e 8 anos, respectivamente.

Filhos de Fernanda Young, John e Catarina com Totó, o caozinho do musical

Filhos da escritora, roteirista e apresentadora Fernanda Young com o roteirista Alexandre Machado (o casal tem mais dois, as gêmeas Estela May e Cecília Madonna, de 17 anos), eles participaram das audições e foram selecionados para o elenco do novo musical de Billy Bond, que entra em cartaz dia 14 de abril no palco do Teatro Bradesco. Os pequenos estarão no palco em quase todas as coregrafias, “ora atuando como esmeraldinhas, papoulas ou pirulitos”. 

Eles estudam pela manhã e ensaiam à tarde“, informa a mãe, contando que as crianças estão empolgadas, se divertindo, e até já sabem o que vão fazer com o primeiro cachê: viajar para um acampamento.

Com a experiência de uma família que trabalha no showbizz, Fernanda não se deslumbra com a aventura teatral dos filhos. “Eles são educados a valorizar o trabalho“, fala. Já Cecília, que fará 18 anos em breve, é fascinada por musicais e prefere os bastidores. Está trabalhando como assistente de Andrea Oliveira, a produtora de Billy Bond. Mais tímida, a mais velha encara o trabalho com seriedade e diz que vai gastar o salário comprando ingressos para ver musicais.

Fernanda Young está desenvolvendo com o marido projetos com a TV Globo e também um programa novo de TV ao lado de Maju Coutinho e Marcelo Sebá.