DIVÓRCIO

A comédia Divórcio, com dramaturgia de Franz Keppler e direção de Otávio Martins, estreia dia 12 de janeiro de 2019 no Teatro Folha. A peça conta a história de um ex-casal de advogados que se reencontra em uma ação de divórcio, na qual um jogador de futebol e uma modelo entram na briga judicial, alegando os motivos parecidos que os dos próprios advogados quando optaram pela separação. A montagem valoriza um afinado time de atores comediantes, formado por Eliete Cigaarini, Isser Korik, Camilla Camargo e Alex Gruli.

Grandes casamentos e separações, envolvendo jogadores de futebol com artistas ou aspirantes à celebridade inspiram esta comédia de costumes, que mostra como as disputas judiciais movimentam milhões de reais e geram notícias sensacionalistas. Para contar esta história, o diretor Otávio Martins concentra sua atenção ao máximo nos recursos de humor do elenco e do texto de Franz Keppler.

O ex-casal de advogados Cecília (Eliete Cigaarini) e Jurandir (Isser Korik) se divorciou há dez anos. Eles nunca mais se encontraram, mas o destino quis que eles se esbarrassem numa situação profissional, uma ação de divórcio de outro casal, a candidata a celebridade Gina Praddo (Camilla Camargo) e o jogador de futebol Cacau Bello (Alex Gruli). Cecília representa o jogador, e Jurandir representa a modelo. Mas as queixas de seus clientes são as mesmas que faziam um do outro. Na peça, Cecilia precisa defender seu cliente com os argumentos que foram de seu ex-marido, assim como Jurandir defende sua cliente com os argumentos ouvia de sua ex-mulher.

O autor Franz Keppler brinca em seu texto com o modismo das relações instantâneas e com o universo das celebridades. “Atualizamos a peça com novas referências da internet e novos fatos relacionados ao futebol”, conta o diretor.

CARMEN (2).png

Divórcio

Com Eliete Cigaarini, Isser Korik, Camilla Camargo e Alex Gruli

Teatro Folha – Shopping Pátio Higienópolis (R. Dr. Veiga Filho, 133 – Higienópolis, São Paulo)

Duração 60 minutos

12/01 até 31/03

Sábado – 21h e 22h30; Domingo – 20h

$50/$70

Classificação 14 anos

AMIGAS, PERO NO MUCHO

Há 12 anos em cartaz, comédia irreverente volta ao Teatro Folha para apresentações às terças e quartas, a partir do dia 08 de janeiro de 2018.

Em fevereiro de 2007, “Amigas, Pero no Mucho”, comédia de Célia Forte estreava no Teatro Renaissance inaugurando o horário da meia noite. O sucesso foi tanto com elenco de atores interpretando as quatro amigas, que por cinco anos percorreu vários teatros de São Paulo, com temporada também no Rio de Janeiro. Ganhou montagem baiana, com apresentações em várias capitais do nordeste e Angola. Tem seu texto traduzido para o espanhol, alemão e inglês. Quase doze anos depois, as amigas voltam ao cartaz, agora no Teatro Folha com apresentações às terças e quartas, até 27 de março.

Desde então, mais de 170 mil pessoas riram com as incríveis situações criadas pela jornalista Célia Regina Forte sobre quatro mulheres da nossa época que tentam dar conta de tudo: do cotidiano, do corpo, da mente, do trabalho, da família e da amizade, causando inusitadas situações típicas do universo feminino.

Com direção de José Possi Neto e composição musical de Miguel Briamonte, essa epopeia se dá através do encontro de quatro amigas em uma tarde de sábado, onde todas – ou quase todas – as roupas sujas são lavadas por elas. Com humor cáustico, ironia e irreverência, elas falam sobre suas dissimulações, devaneios e loucuras. Quatro mulheres bem-sucedidas – ou não – comuns e sofisticadas que numa única tarde fazem revelações que as surpreendem e surpreendem o público que tem lotado todos os teatros por onde elas passam. Mulheres que se amam e se odeiam ao mesmo tempo. Amigas, enfim.

“Amigas, Pero no Mucho” faz história no cenário da comédia brasileira por sua capacidade em fazer plateias se divertirem e se reconhecerem numa das quatro personagens:

Elias Andreato é Fram, 50 anos – Divorciada, dois filhos que moram com o pai. É a mais velha das quatro amigas. Já passou dos 50 anos, mas quer parecer 30. Ninfomaníaca. Fala muito palavrão quando está sozinha, em público jamais. Faz meditação, mas quando está com raiva, tem tiques nervosos.

Leandro Luna é Sara, 35 anos – Solteira. Executiva. A mais reservada. Parece ser fria, mas esconde grande esperança. Fuma descontroladamente. Não perdoa as amigas, mas pouco se importa com a opinião dos outros. Desconfiada. Odeia as hipocrisias de Fram.

Raphael Gama é Debora, 40 anos – Divorciada, sem filhos. Inteligente, perspicaz, irônica, mas tipo dona da verdade. Sempre tem uma consideração a fazer, tentando que sua opinião prevaleça. Idealiza o amor. Come compulsivamente.

Nilton Bicudo é Olívia, 40 anos – Casada com filhos. Foi rica, não é mais. Tem que dirigir sua VAN que leva crianças para a escola. Julga-se sempre perseguida. Está sempre perguntando: O que vocês estão falando de mim? Exalta o marido, Alfredo, para as amigas.

CARMEN (2).png

Amigas, Pero no Mucho

Com Elias Andreato, Leandro Luna, Raphael Gama e Nilton Bicudo

Teatro Folha – Shopping Pátio Higienópolis (Av. Higienópolis, 618 – Santa Cecilia, São Paulo)

Duração 80 minutos

08/01 até 27/03

Terça e Quarta – 21h

$40/$50

Classificação 14 anos

AS GUERREIRAS DO AMOR

A comédia “As Guerreiras do Amor” bebe na fonte do teatro grego clássico e estreia renovada pela criatividade do dramaturgo Domingos de Oliveira e pela direção de Isser Korik. Baseada na obra “Lisístrata”, de Aristófanes, a peça foi encenada pela primeira vez há 30 anos. A nova montagem estreia dia 10 de janeiro no Teatro Folha, com sessões as quintas, sextas a sábados.

A primeira montagem, sucesso de crítica e público, foi encenada no ano de 1988 por um jovem elenco formado por Heloísa Périssé, Maitê Proença, Luiza Tomé, Priscila Rozembaum, Orã Figueiredo e André Mattos, entre outros. Também no elenco, estava Domingos de Oliveira, que assinava a direção. Hoje, André Mattos, ator com vasta experiência, se junta a um time de jovens atores paulistanos para recontar a história da prostituta Lisístrata, que lidera as mulheres de Atenas, revoltadas contra a guerra. Sem poder político, elas decidem fazer uma greve de sexo até que seus maridos façam um acordo de paz.

O texto de Domingos de Oliveira, com colaboração de Priscila Rozembaum, é baseado na clássica comédia “Lisístrata”, escrita no século V a.C. A montagem atual tem apelos cômico e erótico, segundo o diretor Isser Korik. “A peça é uma comédia, com jeito de caricatura. Mas é também uma abordagem poética em relação ao sexo e ao relacionamento matrimonial”, conta Isser.

O autor Domingos de Oliveira já declarou que o texto “ultrapassa os limites da adaptação, transformando-se em autoria”. Da “Lisístrata” original, ele inspirou-se no clima e mesmo na estrutura da dramaturgia, mas criou as personagens com mais liberdade. “As histórias do ‘julgamento final’ são basicamente do jovem Marquês de Sade e o poema final era uma sequência de um roteiro cinematográfico que não filmei. Esse material de diversas origens me encontrou a serviço da descrição de certo tipo de erotismo, que sempre foi o meu”, explica o autor.

O ator André Mattos atualmente mora em Los Angeles e veio ao Brasil para realizar este projeto, que retoma a bem sucedida parceria com Isser realizada pela primeira vez em “O Empréstimo” em 2017. Na primeira montagem ele fez a personagem Cinésias, um dos soldados. Na montagem atual e ele é o General, personagem que foi de Domingos de Oliveira. “Entendo que os clássicos são atemporais. Estamos falando de um teatro grego, agora em 2018 depois de Cristo. Os motivos para remontar: porque é uma comédia maravilhosa, baseada numa obra clássica, adaptada por um gênio da dramaturgia brasileira, que é Domingos de Oliveira. A peça fala do poder da mulher, da força das mulheres. Tudo isso torna a montagem uma celebração”, diz André.

CARMEN (1).png

As Guerreiras do Amor

Com André Mattos, Analice Pierre, Andressa Lelli, Bruna Tattar, Denis Felix, Gabriela Monteiro, Isaac Medeiros, Larissa Matheus, Mayara Justino, Monique Hortolani, Robson Guedes, Rodrigo Vicenzo, Ronaldo Saad e Tito Soffredini

Teatro Folha – Shopping Pátio Higienópolis (Av. Higienópolis, 618 – Santa Cecilia, São Paulo )

Duração 70 minutos

10/01 até 30/03

Quinta – 21h, Sexta – 21h30, Sábado – 19h

$40/$70

Classificação 14 anos

CONFISSÕES DAS MULHERES DE 30

A comédia “Confissões das Mulheres de 30” é um dos maiores sucessos apresentados no Teatro Folha e que permaneceu mais tempo em cartaz. As atrizes Camila Raffanti e Juliana Araripe, que se apresentaram durante quase 5 anos, agora voltam com uma encenação atualizada dos textos de Domingos Oliveira que tratam dos amores, conflitos e descobertas das mulheres que vivem nesta faixa etária. A temporada acontecerá de 05 de outubro a 15 de dezembro, com sessões às sextas-feiras, 21h30, e aos sábados, 22h.

As atrizes, que também assinam a direção, comemoram um público superior a 300 mil pessoas, desde que estrearam em junho de 2008. O que mais cativa o público e conquista empatia, é que as cenas são realizadas em tom confessional, mas de forma muito bem-humorada. Este formato de dramaturgia já havia dado muito certo quando Domingos Oliveira escreveu em 1992 o sucesso “Confissões de Adolescente”. Ao utilizar o mesmo estilo de dramaturgia, “Confissões das Mulheres de 30” também propõe comunicação direta com o público.

“Confissões das Mulheres de 30” mostra de maneira divertida o que muitas mulheres pensam e como lidam com seus desejos, sonhos, realizações e frustrações típicas dessa fase da vida. Sexo, casamento e separação, trabalho, preocupação com a maturidade e o descontrole emocional estão entre os temas tratados na peça. O autor Domingos Oliveira diz que toda peça teatral deve ser um escândalo, deve conter um escândalo. “No mundo moderno, nada mais escandaliza.  E as mulheres de 30 são sinceras em suas confissões. Entre os 30 e 40 anos, perderam a inocência e ainda não atingiram a sabedoria, porém no amor são imbatíveis”, comenta Domingos.

A atriz Juliana Araripe, que para esta nova versão do espetáculo escreveu dois textos em parceria com Domingos Oliveira, conta que um dos segredos do sucesso da peça, é manter o conteúdo atualizado, de acordo como evolui o pensamento das mulheres. “Na primeira montagem havia depoimento de uma mulher que após passar por várias situações declarava o desejo de voltar à cozinha. Hoje este pensamento está fora de contexto”, avalia. O movimento feminista cresceu e as mulheres estão sintonizadas num desejo cada vez mais forte de independência e de espaço para se expressar na sociedade.

Para a atriz Camila Raffanti, roteirista da série “O Negócio”, da HBO e criadora da série ”Rio Heroes”, pela FOX Premium,  continuar apresentando a peça é um exercício que possibilita demonstrar maturidade como atriz e mulher. “A nossa experiência pessoal é a bagagem que acrescentamos na peça. A alma feminina convida à reflexão sobre o amor e tudo isso vem também influenciado pelo feminismo que ganhou novas nuances”, diz.

A encenação continua centrada nas atrizes. Palco quase vazio, iluminação e figurinos pretos compõem a estética da cena. Tudo para dar foco às confissões e ao tom cômico dos discursos das mulheres de 30.

CARMEN (1).png

Confissões das Mulheres de 30

Com Camila Raffanti e Juliana Araripe

Teatro Folha – Shopping Higienópolis (R. Dr. Veiga Filho, 133 – Higienópolis, São Paulo)

Duração 70 minutos

05/10 até 15/12

Sexta – 21h30, Sábado – 22h

$50/$70

Classificação 14 anos

OS TRÊS PORQUINHOS – O RETORNO DO LOBO MAU

A história dos Três Porquinhos não acabou e continua na peça “Os Três Porquinhos – O Retorno do Lobo Mau”. A peça mostra o Lobo Mau reinventando seus planos para conseguir entrar na casinha de tijolos com a ajuda de sua mamãe loba. O espetáculo reestreia no Teatro Folha no dia 06 de outubro e fica em cartaz até 16 de dezembro, aos sábados e domingos, às 16h.

O texto  divertido e criativo, prende a atenção das crianças do começo ao fim do espetáculo, tanto nos momentos de suspense, como na abordagem de questões como o bullying e o respeito às diferenças, sempre de forma sutil. “Os porquinhos tentam compreender as atitudes do Lobo. Ele revela que na infância, na escola, sofria  bullying e que não tinha amigos. Os porquinhos, unidos, falam sobre suas diferenças e a necessidade do respeito entre todos”, comenta o diretor Leandro Mariz.

Na versão do espetáculo, há momentos interativos em que crianças e adultos participam ativamente em cenas na plateia. “Num destes momentos de interação, uma das crianças da plateia é convidada a se disfarçar de Lobo Mau”, revela o diretor.

CARMEN (1)

Os Três Porquinhos – O Retorno do Lobo Mau

Com Edson Thiago, Charlie Larroca, Ferruccio Cornachia e Leandro Mariz

Teatro Folha – Shopping Pátio Higienópolis (R. Dr. Veiga Filho, 133 – Higienópolis, São Paulo)

Duração 50 minutos

06/10 até 16/12 (sessões extras 12/10; 02, 15, 16, 19 e 20/11)

Sábado, Domingo e Feriado – 16h

$40

Classificação Livre

PIRATAS DO CARAMBA

O espetáculo para crianças “Piratas do Caramba” continua em cartaz no Teatro Folha, com apresentações aos sábados e domingos, às 17h40, até 16 de dezembro. A peça, que mostra as aventuras de uma atrapalhada tripulação de piratas em busca do sonhado tesouro, também será apresentada em sessões extras nos feriados dos meses de outubro e novembro.

Os piratas Capitão Pantufa, Espadinha e Barnabé passam os dias recolhendo o lixo que encontram pelos oceanos e lembrando das antigas batalhas. Numa manhã encontram uma misteriosa garrafa que poderá transformar suas vidas. Surge um dilema: continuar suas vidas pacatas ou se arriscar no mar em busca do tesouro. Eles decidem por novas aventuras.

CARMEN (1).png

Piratas do Caramba

Com Rafael Pequeno, Vanessa Bonandi e Renato Pitanga

Teatro Folha – Shopping Pátio Higienópolis (R. Dr. Veiga Filho, 133 – Higienópolis, São Paulo)

Duração 60 minutos

Até 16/12 (Sessões extras 12/10, 02, 15, 16, 19 e 20/11)

Sábado, Domingo e Feriado – 17h40

$40

Classificação Livre

QUE TAL NÓS DOIS?

A comédia romântica “Que Tal Nós Dois?”, com Carolina Ferraz e Otavio Martins, agradou tanto ao público paulistano que vai prorrogar temporada mais uma vez no Teatro Folha. A peça mostra com humor e sensibilidade o relacionamento de dois amantes que se encontram uma vez por ano na convenção da empresa onde trabalham. A temporada se estenderá até final de setembro, em sessões de sexta-feira a domingo.

A história do casal se desenvolve ano após ano, sempre mostrando os reencontros nas convenções da empresa e as mudanças na vida de cada um, o que reflete no relacionamento deles. Um homem e uma mulher, ambos casados e com família,  funcionários de uma grande empresa, se conhecem numa convenção. Embalados pelo clima de confraternização, e depois de beberem alguns drinks, acabam passando a noite juntos. No dia seguinte acordam juntos em quarto de hotel e, sem nenhuma intimidade, decidem não mais repetir o encontro amoroso. Mas como ninguém manda no coração, no ano seguinte, novamente na convenção da empresa, eles se reencontram e passam a noite novamente, estabelecendo um relacionamento.

O texto é resultado da parceria criativa entre o ator e autor Otavio Martins e a autora Juliana Araripe. A peça mostra a evolução da relação, que começa com o constrangimento de duas pessoas que acordam juntas sem lembrar exatamente os detalhes da noite vivida. No segundo ano em que as personagens se encontram os conflitos pessoais são revelados. Questões relacionadas ao poder surgem no terceiro ano porque, na medida em que ela passa a assumir um cargo de liderança na empresa, abala o lado machista dele. O desfecho da história de amor acontece no quarto ano, quando algo inesperado acontece com o casal.

O espetáculo conquistou o interesse do público porque fala de relacionamento amoroso de maneira leve, engraçada e sintonizada com questões que ganharam visibilidade social, como, o poder da mulher no mundo dos negócios. A personagem de Carolina Ferraz torna-se hierarquicamente superior ao personagem de Otavio Martins e, com isso, o homem precisa desapegar de conceitos machistas. Sobre mais esta prorrogação de temporada, o diretor Isser Korik comenta que “o espetáculo fica cada vez mais interessante porque os atores ganham mais sintonia a cada apresentação”.

CARMEN.png

Que Tal Nós Dois?

Com Carolina Ferraz e Otavio Martins

Teatro Folha – Shopping Higienópolis (R. Dr. Veiga Filho, 133 – Higienópolis, São Paulo)

Duração 80 minutos

06/07 até 30/09

Sexta – 21h30, Sábado e Domingo – 20h

$50/$70

Classificação 12 anos