PÉ DE PALHAÇO

Durante o mês de dezembro, o Sesc Belenzinho apresenta o infantil circense Pé de Palhaço com a Cia. Pelo Cano. A temporada tem sessões aos sábados e domingos, às 16h, até o dia 22/12. Já no dia 23/12, a apresentação ocorre às 12h. O espetáculo acontece na Área de Convivência da unidade, com entrada franca.

Pé de Palhaço reúne esquetes, números clássicos de circo, criações próprias e muita criatividade. Duas palhaças, Emily e Manela, contam histórias de princesas, organizam uma festa surpresa, adivinham o pensamento da plateia, se transformam em homensn, tentam aprender origami, brincam com água e sabão e, claro, limpam tudinho depois.

Toda essa aventura é narrada com o auxílio de papel, caneta e muita paspalhice. Com recursos despojados, as palhaças se divertem com as crianças numa grande brincadeira, bem próximas do universo infantil onde a magia se instaura nas coisas simples e as coisas mais cotidianas podem ser grandes descobertas.

Cia. Pelo Cano é formada por Paola Musatti e Vera Abbud, ambas trabalham com a linguagem do palhaço há mais de 20 anos. Começaram a praticar as disciplinas circenses e o teatro no início da década de 90. Profissionalmente, dividiram o palco nas apresentações da Cia. Cênica Nau de Ícaros, em 1992, dos Parlapatões, em 1996, são palhaças improvisadoras no Jogando no Quintal, desde 2002, e parceiras nos Doutores da Alegria, desde 1991.

CARMEN (2).png

Pé de Palhaço

Com Paola Musatti e Vera Abbud

Sesc Belenzinho – Área de Convivência térreo (Rua Padre Adelino, 1000, Belenzinho – São Paulo)

Duração não informada

01 a 22/12

Sábado e Domingo – 16h (23/12 – Domingo – 12h)

Grátis

Classificação Livre

ERA UMA VEZ UM REI

No próximo domingo, dia 09 de dezembro, às 14h, o Grupo Pandora de Teatro abre as portas de sua sede – a Ocupação Artística Canhoba – para receber uma apresentação especial de “Era uma Vez um Rei”, espetáculo do grupo Pombas Urbanas, que teve à sua frente o saudoso Lino Rojas (1942-2005) e que ao longo de sua trajetória de quase 30 anos ministra cursos de teatro em diversas regiões da periferia de São Paulo, transferindo o conhecimento produzido em sua pesquisa para jovens e adolescentes destas regiões.

O público de Perus poderá conferir a história de um grupo de mendigos que se encontram e acabam por construir, a partir de sucatas, um espaço de convivência onde nasce a brincadeira onde cada um deles vira um rei, um presidente e até um ditador. O jogo humano e imaginativo torna-se intenso e esses mendigos saem da realidade em que vivem para representar as relações de poder da mesma sociedade que os marginaliza.

A apresentação de Era uma Vez um Rei faz parte da ação “Teatro na Canhoba” que compõe as ações do projeto “Reminiscências” do Grupo Pandora de Teatro contemplado pela 30ª edição do Programa Municipal de Fomento ao Teatro para a cidade de São Paulo.

A Ocupação Artística Canhoba é um espaço que atualmente é gerido pelo Grupo Pandora de Teatro. Foi construído em 2010 pela Prefeitura de São Paulo para abrigar um Ponto de Leitura da cidade, porém a obra foi paralisada e o espaço nunca chegou a cumprir função social. Abandonado e degradado, acabou virando ponto de encontro de usuários de drogas, trazendo medo e incômodo para a população local.

Em Fevereiro de 2016, com a colaboração dos moradores locais e com a ajuda de diversos coletivos, o Grupo Pandora realizou a revitalização do espaço e o transformou em um polo cultural que recebeu o nome de Ocupação Artística Canhoba – Cine Teatro Pandora.

A população do bairro, até então carente por opções de lazer e cultura na região, passou a ser frequentadora assídua do espaço e a usufruir de atividades como oficinas, debates, exibições de cinema e apresentações artísticas. Hoje, o espaço também é utilizado como sala de ensaio por diferentes coletivos.

Esse espaço vem da demanda de artistas locais e moradores que não aguentavam mais um espaço abandonado na frente de suas casas, sem cumprir nenhuma função social. É comum escutarmos dos moradores ‘Antes eu não passava nem na frente deste lugar, agora me sinto convidado a entrar e participar’”, conta Lucas Vitorino, do Grupo Pandora.

Desde a sua criação, o espaço estabeleceu uma grande conexão com o território que o cerca e com a população local, assim como o Grupo Pandora, formado predominantemente por moradores de Perus.

Em 2018 o Grupo Pandora de Teatro comemora 14 anos de um trabalho contínuo de pesquisa e criação teatral no bairro de Perus, fortalecendo parcerias com polos culturais, artistas da região e com a própria população.

Compõe seu repertório também o espetáculo “Relicário de Concreto” (2013) inspirado nas memórias dos trabalhadores da Fábrica de Cimento Portland Perus e na Greve dos Queixadas, que ocorreu na Fábrica e durou sete anos. Além de ter lançado um livro chamado “Efêmero Concreto – Trajetória do Grupo Pandora de Teatro” organizado por Thalita Duarte e Lucas Vitorino, que destaca as ações do grupo fomentando a cultura no bairro e atuando em prol da revitalização da Fábrica de Cimento Portland Perus. Recentemente o grupo estreou sua nova montagem chamada COMUM, que teve um enorme sucesso de público e de crítica. O espetáculo tem como eixo norteador o período ditatorial brasileiro e a descoberta da vala clandestina do Cemitério Dom Bosco em 1990, local que fica a cerca de 2 quilômetros da sede do grupo em Perus – a Ocupação Artística Canhoba. Uma vala comum com mais de mil ossadas, onde foram identificados desaparecidos políticos e cidadãos mortos pela violência da ditadura militar.

CARMEN (1).png

Era Uma Vez Um Rei

Com Pombas Urbanas

Ocupação Artística Canhoba – Cine Teatro Pandora (Rua Canhoba, 299 – Praça Canhoba, próx. à caixa d’água em Perus, São Paulo)

Duração não informada

09/12

Domingo – 14h

Grátis

AS AVENTURAS DO SUPER ESPANTALHO CONTRA O DR. CORVO

Depois dos clássicos de Maria Clara Machado (Pluft, o fantasminha e A bruxinha que era boa) que fizeram tanto sucesso em São Paulo, agora é a vez do autor Ivo Bender, com “As aventuras do Super Espantalho contra o Dr. Corvo” que tem como objetivo (além de divertir) levar o espectador a uma reflexão leve e agradável sobre certas dificuldades de relacionamento e aceitação do que surge como diferente e inusitado e como podemos superar tudo com o amor e amizade.

A peça conta a história de Julinha que mora com sua tia Clara, uma costureira que usa uma velha máquina de costura que só aceita ser lubrificada com óleo de girassol. Ao lado da casa, elas cultivam uma plantação de girassóis guardada por um espantalho. Ao chegar o tempo da colheita com as sementes já fortes, tia Clara decide se desfazer do espantalho. Julinha, compadecida da sorte do espantalho, se propõe a cuidar dele até que fosse necessário novamente. Como a tia se recusasse a manter o espantalho, certa noite, Julinha resolve resgatá-lo mas ao se aproximar percebe o som de um coração que bate no espantalho.
A partir daí, Julinha, seu novo amigo, tia Clara, a Estrela da Manhã e o Doutor Corvo vão viver experiências surpreendentes. 

O espetáculo estreia dia 2 de dezembro, ficando em cartaz aos domingos, 16h, no Teatro Jardim Sul. A diversão é para todas as idades e como sempre, a Ferbeck vai encantar a todos com o incrível trabalho das mágicas mãos de Angela Schoendorfer, além do talento dos atores.

As aventuras do Super Espantalho contra o Dr. Corvo

Com Gabriela Camargo, Marcello Palermo, Michelle Alexandre, Rita Mirone e Victor Garbossa. Gabriela Colin e Igor Ludac (stand ins)

Teatro Jardim Sul – Shopping Jardim Sul (Avenida Giovanni Gronchi, 5.819 – Vila Andrade, São Paulo)

Duração 60 minutos

02 a 16/12, 13 a 27/01

Domingo – 16h

$50

Classificação Livre

A MENINA E O TEMPO

Trupe Pé de Histórias, criada em 2008, começa temporada no Teatro Alfa do espetáculo inédito A Menina e o Tempo. A nova peça reúne teatro e música a elementos do cotidiano, em uma história que estimula a imaginação das crianças a partir de suas próprias vivências.

O espetáculo conta a história de Nina, uma menina que tem tantos compromissos que nunca sobra tempo para fazer aquilo que mais gosta, brincar. No domingo, dia que Nina e seu pai passariam brincando, os dois perdem-se em seus smartfones e abre-se uma fenda no tempo.

Agora, sem energia nem Wi-Fi, Nina não tem aplicativos para voltar pra casa. Para encontrar o pai e aproveitar o tempo perdido, ela conta com a ajuda da tartaruga Antígona, a libélula Efêmera e Siri Siri.

O espetáculo inclui canções próprias e tradicionais que conduzem à narrativa, incluindo referências que conquistam também o público adulto. Violão, sopro e bateria são alguns dos instrumentos que fazem parte das apresentações, cujas canções são interpretadas ao vivo.

CARMEN (2).png

 A Menina e o Tempo

Com Naya Sá e Tucci Fattore

Teatro Alfa – Sala B (R. Bento Branco de Andrade Filho, 722 – Santo Amaro, São Paulo)

Duração 55 minutos

29/09 até 25/11

Sábado e Domingo – 16h

$40

Classificação Livre

NAÏFS

Inspirados no termo francês Naïf, criado para denominar a arte ingênua e espontânea, a marionetista Daiane Baumgartner e o compositor João Sobral unem suas experiências na performance Naïfs que acontece dia 6 de outubro, sábado, às 15h, no Sesc Parque Dom Pedro II.

Em cena os artistas contam o cotidiano de uma senhora e um músico inventor que toca com sua vassoura, construindo um ambiente poético e lúdico. Por meio da mistura de música, bonecos e dança, entram em cena as alegrias e dores, os anseios e vazios contidos na memória e nas histórias experimentadas pelos dois personagens nos propondo um convite a valorização do nosso dia a dia.

Naïfs é uma mistura poética de teatro de animação, artes plásticas, música e dança. Canções como Felicidade (Lupicínio Rodrigues),Meu Boi, Meu Boi (João Sobral), Juazeiro (Luiz Gonzaga), Leãozinho (Caetano Veloso), entre  outras, promove um emaranhado de sensações contemporâneas que resultam em dança, movimentos, ações e cenas transportando o público para uma viagem entre sonho e a realidade através das imagens construídas.

CARMEN

Naïfs 

Com Daiane Baumgartner e João Sobral

SESC Parque Dom Pedro II – Área de Exposição (Praça São Vito, s/n – Brás, São Paulo)

Duração 60 minutos

06/10

Sábado – 15h

Grátis

Classificação Livre

ALICE, O MUSICAL

Nessa versão a Alice é uma adolescente encarando sua própria personalidade, seus desejos e mudanças. Entediada em seu quarto ela resolve ler um livro para se entreter, quando de repente a história ganha vida e a velha estante da família deixa escapar fantásticas criaturas que transformam o seu quarto num verdadeiro país das maravilhas.

As canções foram compostas especialmente para a produção pelo ator e músico Elton Towersey. O espetáculo conta com a participação especial de Paula Capovilla (Evita, A Madrinha Embriagada) e Cláudio Galvan (A Família Addams, O Rei Leão), que emprestam suas vozes à mãe de Alice e ao Gato Sorridente, respectivamente.

CARMEN (2)

Alice, o Musical

Com Natália Foschini, Adriano Tunes, Márcio Godoy e Thiago Sak.

Teatro Porto Seguro (Alameda Barão de Piracicaba, 740 – Campos Elíseos, São Paulo)

Duração 60 minutos

13/10 até 25/11

Sábado e Domingo – 15h

$50/$60

Classificação Livre

OS TRÊS PORQUINHOS – O RETORNO DO LOBO MAU

A história dos Três Porquinhos não acabou e continua na peça “Os Três Porquinhos – O Retorno do Lobo Mau”. A peça mostra o Lobo Mau reinventando seus planos para conseguir entrar na casinha de tijolos com a ajuda de sua mamãe loba. O espetáculo reestreia no Teatro Folha no dia 06 de outubro e fica em cartaz até 16 de dezembro, aos sábados e domingos, às 16h.

O texto  divertido e criativo, prende a atenção das crianças do começo ao fim do espetáculo, tanto nos momentos de suspense, como na abordagem de questões como o bullying e o respeito às diferenças, sempre de forma sutil. “Os porquinhos tentam compreender as atitudes do Lobo. Ele revela que na infância, na escola, sofria  bullying e que não tinha amigos. Os porquinhos, unidos, falam sobre suas diferenças e a necessidade do respeito entre todos”, comenta o diretor Leandro Mariz.

Na versão do espetáculo, há momentos interativos em que crianças e adultos participam ativamente em cenas na plateia. “Num destes momentos de interação, uma das crianças da plateia é convidada a se disfarçar de Lobo Mau”, revela o diretor.

CARMEN (1)

Os Três Porquinhos – O Retorno do Lobo Mau

Com Edson Thiago, Charlie Larroca, Ferruccio Cornachia e Leandro Mariz

Teatro Folha – Shopping Pátio Higienópolis (R. Dr. Veiga Filho, 133 – Higienópolis, São Paulo)

Duração 50 minutos

06/10 até 16/12 (sessões extras 12/10; 02, 15, 16, 19 e 20/11)

Sábado, Domingo e Feriado – 16h

$40

Classificação Livre