A BELA E OS TENORES – ENTÃO É NATAL

O Teatro J. Safra antecipa as comemorações de Natal com o show dos tenores Jorge Durian, Armando Valsani e a soprano Giovanna Maira, em “A Bela e os Tenores – Então é Natal”, na sexta-feira, dia 17 de novembro.

Depois de 20 anos de sucesso se apresentando em espetáculos a bordo de diversos navios pelo mundo, o trio de cantores se apresenta, pela primeira vez no Brasil, neste show de lançamento do primeiro álbum de Natal “Hallelujha”.

Neste espetáculo de tirar o fôlego e que reúne essas belas vozes, o público irá se emocionar com canções clássicas e românticas internacionais, com temas natalinos como White Christmas, de Irvin Berlin, Adeste Fideles, de John Francis Wade, Ave Maria, de Johann Sebastian Bach e Charles Gounod e Panis Angelicos, de César Franck.

Sobre os cantores

Armando Valsani é um tenor lírico com quase 40 anos de carreira, que se destacou pelo mundo pela sua brilhante potência vocal e é muito requisitado pelas colônias italianas por todo o país. Já ganhou diversos prêmios, entre eles o de melhor cantor erudito do Brasil.

Giovanna Maira, cantora lírica (soprano), compositora e instrumentista, traz delicadeza para a apresentação com sua voz doce e cristalina, com canções que vão do pop ao erudito. Como solista, à frente da Orquestra Bachiana Jovem sob regência de João Carlos Martins, realizou grandes concertos, sendo um deles a abertura dos Jogos Pan-Americanos de 2007, no Rio de Janeiro.

Para abrilhantar ainda mais o espetáculo e com uma sólida carreira com mais de 30 anos, Jorge Durian, tenor que sempre foi destaque por transformar canções populares em clássicos eruditos. Já gravou diversos CDs em italiano e se encontrou com os Três Tenores (Plácido Domingo, José Carreras e Luciano Pavarotti).

A Bela e os Tenores
Com Armando Valsani, Giovanna Maira e Jorge Durian  
Teatro J. Safra (Rua Josef Kryss, 318 – Barra Funda – São Paulo)
Duração 90 minutos
17/11
Sexta – 21h30
$30/$100
Classificação Livre

 

AGNALDO RAYOL, 60 ANOS DEPOIS

O Teatro J. Safra recebe no sábado, dia 18 de novembro, o show especial e em única apresentação: “Agnaldo Rayol, 60 anos depois”.  Em comemoração aos seus 60 anos de carreira, Agnaldo apresenta um espetáculo pautado por um refinado repertório que passeia pelos seus grandes sucessos e novas canções.

Um dos maiores nomes da música brasileira, conhecido nacionalmente por sua estonteante voz e com uma carreira coroada com muito sucesso – com mais de 50 discos lançados e o carinho de milhões de fãs pelo Brasil e pelo mundo -, Rayol já garantiu seu espaço de honra na música brasileira.

O artista não esconde o entusiasmo em comemorar um marco tão importante em sua vida e carreira: “É um prazer e uma emoção muito grande completar tantos anos de trabalho. O que pretendo com esta apresentação tão especial é agradecer ao meu público, sempre fiel, que esteve ao meu lado desde o início de minha carreira. O show foi preparado com muito carinho e será composto por um repertório com alguns de meus principais sucessos como Ave Maria, Mia Gioconda, Fascinação, New York, New York, As Rosas não Falam e Chão de Estrelas. Além, claro, de outras músicas inéditas”, comenta ele.

Com uma banda e cenário íntimo e aconchegante, Agnaldo Rayol espera poder levar ao público momentos de muito amor, emoção e surpresas.

 

Rayol-672x372

Agnaldo Rayol, 60 Anos Depois
Com Agnaldo Rayol e músicos convidados
Teatro J. Safra (Rua Josef Kryss, 318 – Barra Funda, São Paulo)
Duração 90 minutos
18/11
Sábado – 21h
$50/$140
Classificação Livre

CRISE, QUE CRISE?

O Teatro J. Safra recebe no dia 2 de novembro, quinta-feira, o show inédito “Crise, que Crise?”, que reúne os mais diversos nomes e gerações através da música. Em única apresentação, o espetáculo que vai do pop rock, passando por músicas do folclore ao compositor Villa Lobos, foi idealizado por John Herbert Jr., o Johnnie Beat, cantor, compositor e filho da atriz Eva Wilma, promete grandes emoções. Além de Johnnie, o show traz ao palco sua mãe, Eva Wilma, o cantor e diretor musical paulista William Paiva e Heloá Holanda, cantora  semifinalista do programa X Factor Brasil, da Rede Bandeirantes.

Este espetáculo também marca a estreia de Eduardo Figueiredo como diretor de um show. Após receber o convite da própria Eva Wilma, aceitou o novo desafio. Muito respeitado no meio cultural, diretor de grandes sucessos no teatro, entre eles: “Mulheres Alteradas”, “Aprendiz de Feiticeiro”, “Frida y Diego” e atualmente “O Gatão de Meia Idade, a peça”.

“Crise, Que Crise?”, canção que dá nome ao show e será lançada nesta ocasião, é de autoria de Johnnie. Além disso, a música aborda o tema, tão em voga no país, de forma otimista. A capa do álbum da banda inglesa Supetramp, “Crisis, Wath Crisis”, de 1975, e este momento difícil que o Brasil passa, inspiraram o cantor e compositor.

Pensando na crise, não acho que devemos, de fato, nos preocupar e sim nos reinventar e passar por cima de tudo de maneira leve e com a esperança. Afinal, a música nos traz sentimentos bons. Estou muito feliz em levar tantos nomes bacanas e diferentes gerações ao palco. Minha mãe, que está ansiosa em relembrar os tempos em que aprendeu muito com Inesita Barroso, Heloá, uma voz feminina que trará delicadeza e encanto ao show, e, claro, William Paiva, um excelente cantor que trará força”, comentou Johnnie.

A participação de Eva Wilma, que, antes de iniciar sua carreira bem-sucedida como atriz, teve incursões na música, dá um colorido especial ao roteiro. E, como convidada de honra, homenageará o poeta ferreira Goulart e o compositor Heitor Villa Lobos, numa leitura moderna de suas obras.

A banda, composta especialmente para essa ocasião, ainda trará canções de sucesso de Nando Reis, Samuel Rosa, Erasmo Carlos, passando por The Beatles, Lou Reed e finalizando com o grande nome da música brasileira, Gilberto Gil. Sempre à sua maneira, com um pouco de rock n’roll e um sotaque blues.

EVA VILMa-10

Crise, Que Crise?
Com John Herbert Jr, William Paiva, Johnny Mantelato, Leandre Gomes, Samuel Junior, Felipe Marques, Wellington Maia
Participações Especiais: Eva Wilma, Heloá Holanda e Roger W. Lima
Teatro J. Safra (Rua Josef Kryss, 318 – Barra Funda, São Paulo)
Duração 90 minutos
02/11
Quinta – 21h
$15/$60
Classificação 12 anos

 

 

O APRENDIZ DE FEITICEIRO

O Teatro J. Safra receberá, nos dias 07 e 08 de outubro, a peça finalista do Prêmio São Paulo de Incentivo ao Teatro Infantil e Jovem (antigo Prêmio Coca-Cola), “O Aprendiz de Feiticeiro”.

Protagonizada pelo ator Maurício Machado – que interpreta o Mestre Feiticeiro – e grande elenco, a dramaturgia conta a história do jovem Arthur – interpretado pelo ator Vitor Thiré – um excelente aluno e dono de grande imaginação que, por conta disso, sofre um constantebullying na escola. Jane, interpretada pela atriz Thay Bergamim, é quem o ajuda nessa aventura. O espetáculo fica em cartaz nos 07 e 08 de outubro às 16h.

Com roteiro de Antônio Calmon – responsável por vários títulos da teledramaturgia da TV Globo e que fez com este espetáculo sua estreia nacional com seu primeiro texto escrito para o teatro: “O Aprendiz de Feiticeiro” (logo depois veio “Vamp” em cartaz no Rio) com elogiada direção de Eduardo Figueiredo. No elenco, o ator Maurício Machado (recentemente na novela “A Lei do Amor”, da Rede Globo, também atuou nas novelas: “Alma Gêmea”, “Cidadão Brasileiro”, “Cama de Gato”, “Cordel Encantado” e “Chiquititas”), e nomes como: Vitor Thiré(atuou em “Malhação” na temporada 2013 e recentemente na novela “Liberdade Liberdade”) e Júlio Oliveira (fez o filme “Salve Geral” e as novelas “Ti-Ti-Ti”, “Sangue Bom” e “Os Dez Mandamentos”). Completando o elenco, Thay Bergamim (participou das novelas “Amor e Revolução” e “Patrulha Salvadora” e do sucesso teen “Julie e os Fantasmas”), os atores, Wilson FeitosaVictor Garbossa e Miguel Roque, apresentarão um espetáculo repleto de dragões, vampiros, bruxas, efeitos especiais, música, ao vivo e ilusionismo que promete prender a atenção do público com aventuras mágicas do início ao fim.

“O Aprendiz de Feiticeiro”, que foi sucesso de público e de crítica na temporada de estreia em São Paulo no CCBB (Centro Cultural do Banco do Brasil) em julho de 2016, permaneceu por cinco meses em cartaz, com sessões todas lotadas e filas de espera para assistir. Sucesso ainda nos 15 dias corridos de temporada no Centro Cultural Banco do Brasil de BH em Janeiro deste ano. 3 meses em cartaz no Teatro J. Safra, em São Paulo e um final de semana de sucesso no Teatro Bradesco Rio. A peça aborda questões éticas, tais como lealdade, amizade, compaixão, traição, valor humano e união, salientando elementos importantes sobre o posicionamento de cada individuo no mundo, reconhecimento de nosso lugar e ponto de vista. E um dos aspectos mais importantes: apresenta questionamentos sobre a relação mestre e aprendiz.

O texto do espetáculo é inspirado na “Der Zauberlehrling”, poema escrito por Goethe, autor e estadista alemão, em 1797. Adaptações deste mesmo conto é que deram origem ao filme “Fantasia”, de Walt Disney, mais recentemente, a saga “Harry Potter”, de J.K. Rowling e “Senhor dos Anéis”.

Além de ter sido indicada para o Prêmio São Paulo de Incentivo ao Teatro Infantil e Jovem, nas categorias melhor produção, melhor ator, melhor ator coadjuvante e melhor iluminação, a peça foi eleita no prêmio melhores do ano pelo Guia da Folha de S. Paulo como melhor espetáculo infantil de 2016.

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

O Aprendiz de Feiticeiro
Com Maurício Machado, Vitor Thiré, Júlio Oliveira, Thay Bergamim, Wilson Feitosa, Victor Garbossa, Miguel Roque
Teatro J. Safra (Rua Josef Kryss, 318 – Parque Industrial Tomas Edson, São Paulo)
Duração 75 minutos
07 e 08/10
Sábado e Domingo – 16h
$20/$40
Classificação Livre

NERINA – A OVELHA NEGRA

A produção infantil ‘Nerina – A Ovelha Negra’ chega ao Teatro J. Safra, em São Paulo. O espetáculo, que recebeu seis indicações ao Prêmio São Paulo de Incentivo ao Teatro Infantil e Jovem 2017 (melhor espetáculo, adaptação, direção, atriz, trilha e sustentabilidade), tem curtíssima temporada com apresentações aos fins de semana, do dia 2 a 24 de setembro, sempre às 16h.

Baseada em um dos livros sem palavras, feito somente com ilustrações, do reconhecido cartunista Michele Iacocca, a peça ‘Nerina – A Ovelha Negra’ encerrará a trilogia de espetáculos montados pelo grupo Maracujá Laboratório de Artes a partir de obras do autor, que inclui os espetáculos Rabisco – um cachorro perfeito (2010) e As Aventuras de Bambolina (2008), ambos contemplados com prêmios como FEMSA, Myriam Muniz, Zé Renato, Alfa Criança, e participantes de editais do SESI, CAIXA Cultural, SESC, ProAC (da Secretaria Estadual de Cultura de São Paulo), além da presença em inúmeros festivais e mostras de artes cênicas pelo Brasil.

Nerina, que significa “negrinha” em italiano, é uma ovelha negra que quer apenas fazer parte de um rebanho. Mas as demais ovelhas, todas brancas, se recusam a acolhê-la. Sozinha, Nerina dá de cara com um lobo faminto que, ao invés de devorá-la, pensa melhor e resolve usá-la para atrair as outras ovelhas. Acuada, Nerina o obedece, mas surpreende ao final, mostrando que o preconceito não é solução para nenhum problema.

O Teatro J. Safra escolheu trazer a peça de volta à cena, em função da qualidade artística do projeto e mensagem que incentiva o fim do preconceito. “As crianças se divertem e aprendem muito com a mensagem principal da peça: que o preconceito não leva a nada. Nerina, que se sente acuada, faz o que o lobo manda e assusta todo o rebanho, mas revela-se e surpreende ao mostrar que o diferente é o que muda as situações da vida, salva o dia, todas suas amigas e interrompe este ciclo de preconceito”, finaliza o diretor da peça, Sidnei Caria.

Caca Diniz_Nerina a ovelha negra 1

Nerina – a Ovelha Negra
Com Bia Rezende, Camila Ivo, Cassio Pereira, Lucas Luciano, Piva Silva, Sidnei Caria, Silas Caria e Yasmin Olí
Teatro J. Safra (Rua Josef Kryss, 318 – Barra Funda – São Paulo)
Duração 55 minutos
02 a 24/09 (exceto dia 16)
Sábado e Domingo – 16h
$20/$40
Classificação Livre

GATÃO DE MEIA IDADE, A PEÇA

No dia 25 de agosto, o Teatro J. Safra recebe a estreia nacional e inédita, de “Gatão de Meia Idade, a peça”. Com os atores Oscar Magrini, Leona Cavalli, o ator ventríloquo Yakko Sideratos, direção de Eduardo Figueiredo e dramaturgia de Miguel Paiva, a temporada fica em cartaz todas às sextas, sábados e domingos até o dia 14 de outubro de 2017, em São Paulo.

A comédia teatral, que sai das tradicionais tirinhas do Jornal O Globo e Jornal do Brasil e que já foi publicada até na Itália, vai pela primeira vez para o teatro e é inspirada no livro “Cama de gato, Histórias de Cama do Gatão de Meia Idade”, de autoria de Miguel Paiva. Lançado pela Editora Globo, retrata de maneira precisa e bem-humorada o quarentão urbano que sabe rir do seu próprio destino e da sua própria imagem. O livro já teve uma versão de sucesso para os cinemas em 2006, com Alexandre Borges como protagonista, e agora ganha versão para o teatro.

O personagem “Gatão”, criado em 1986 e interpretado, desta vez, pelo ator Oscar Magrini, é um homem na faixa dos 50 anos, solteiro, crítico de sua condição, mas que não quer envelhecer sozinho e sabe que, se não se esforçar para isso, vai acabar assim. Além disso, ele é bastante antenado, mas sua antena está, muitas vezes, direcionada para o satélite errado e ele sofre com isso.

A atriz Leona Cavalli interpreta oito hilariantes personagens femininos, todos completamente diferentes e repletos de humor, que dão bossa aos relacionamentos amorosos vividos ao longo da história pelo “Gatão”. Além disso, um show a parte pode ser conferido às frenéticas e muito rápidas trocas de figurino e composição, essas criadas pelo premiado visagista Anderson Bueno, que duram segundos de uma personagem à outra;

O elenco conta ainda com o ator ventríloquo, Yakko Sideratos, considerado um dos melhores do país no gênero, que manipula o boneco que, na história, é uma espécie de “consciência” do “Gatão”. O boneco promete fomentar ainda mais o humor presente no espetáculo.

“Gatão de Meia Idade, a peça” mostra detalhes, aflições e anseios da vida de um homem na faixa dos 50 anos que não sabe viver sozinho e tenta, de todas as maneiras, conseguir uma companheira. Mas, ingênuo que só, acaba sempre metendo os pés pelas mãos. Como uma boa comédia, a mensagem principal da peça é: divirta-se e dê boas risadas. E, claro, se você for um homem acima dos 50 anos, cuidado, pois você pode se identificar em muitas situações”, comenta Miguel Paiva, autor da peça e conhecido cartunista brasileiro.

O diretor da comédia, Eduardo Figueiredo, faz sua terceira adaptação do universo dos quadrinhos para os palcos. Sua primeira experiência, a peça “Mulheres Alteradas”, foi sucesso de público e crítica, rendeu turnê por todo o país durante quatro anos e grandes nomes no elenco como: Luiza Tomé, Adriane Galisteu e Mel Lisboa. E posteriormente, outro livro da Maitena, “Superadas”, esse com versão para os palcos também de Miguel Paiva.

Após minha experiência com duas obras femininas, eu e o Miguel nos unimos para abordar o masculino. Assim, o ‘Gatão de meia idade, a peça’ é minha terceira adaptação dos quadrinhos para o teatro e acho que essa ideia de migrar do impresso para o palco, tem uma linguagem interessante e um humor incrível, além de um apelo lúdico muito bacana. Vale a pena assistir o ‘Gatão’, garantimos boas risadas”, comentou o diretor.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Gatão de Meia Idade, a Peça
Com Oscar Magrini, Leona Cavalli e Yakko Sideratos
Teatro J. Safra (Rua Josef Kryss, 318 – Barra Funda – São Paulo)
Duração 80 minutos
25/08 até 14/09
Sexta – 21h30, Sábado – 21h, Domingo – 20h
$40/$80
Classificação 16 anos
 
(Exceto dias 29 e 30 de agosto e 1 de outubro)

O MEU SANGUE FERVE POR VOCÊ

A comédia musical ‘O Meu Sangue Ferve Por Você‘ estreia uma temporada inédita em São Paulo, dia 21 de julho, no Teatro J. Safra. O espetáculo, com diretor e atores da TV Globo, foi visto por mais de 500 mil pessoas, ficou em cartaz durante cinco anos no Rio de Janeiro e agora chega à capital paulista por apenas dois finais de semana.

‘O Meu Sangue Ferve Por Você’ é uma comédia musical que passeia por situações engraçadas sobre as armadilhas do amor.

Grandes clássicos populares de Sidney Magal, Reginaldo Rossi, Fábio Junior, Gretchen e muitos outros foram selecionados para contar as histórias e idas e vindas de um quadrilátero amoroso.

O universo de músicas extremamente populares e a junção da veia cômica com o talento musical dos atores, reúne romance, paixão, brigas, melodrama e humor. Em cena, a mocinha virgem, o canalha, a mulher da vida e o bom moço rejeitado cantam as alegrias e dores de viver um grande amor.

O musical é uma comédia com o espírito das grandes chanchadas, que relata situações divertidas sobre amor, com arranjos vocais sofisticados e interpretações inusitadas. O espetáculo estreou no Rio de Janeiro em 2009 e teve grande aceitação por todos os teatros onde passou.

Agora, os atores Cristiana Pompeo, que, atualmente, integra o elenco do programa humorístico da TV Globo Zorra, Martina Blink, atriz premiada como Melhor Atriz Coadjuvante no Prêmio CBTIJ de Teatro Infantil 2016, e Pedro Henrique Lopes, que integrou o elenco das novelas Eta Mundo Bom e Aquele Beijo, vêm pela primeira vez a São Paulo com este espetáculo para dar vida a alguns dos principais personagens do musical.

O espetáculo é uma viagem pelos clássicos melosos e cafonas dos anos 70, 80 e 90 e tem 80% de canções vindas de trilhas do maior melodrama brasileiro: a novela! A gente costuma brincar que, ‘O Meu Sangue Ferve Por Você’, é uma novela mexicana musical!”, finaliza o diretor do musical, Diego Morais, que dirigiu o musical ‘Vamp’ e já está escalado para dirigir a próxima novela das 18h da TV Globo.

 

O Meu Sangue Ferve Por Você
Com Cristiana Pompeo, Pedro Henrique Lopes, Martina Blink e Victor Maia
Teatro J. Safra (Rua Josef Kryss, 318 – Barra Funda – São Paulo )
Duração 70 minutos
21 até 30/07
Sexta – 21h30; Sábado – 21h e Domingo – 20h
$30/$70
Classificação 12 anos