CARTA RASGADA

Desde os tempos mais antigos, de Caim e Abel, irmãos brigam e se amam, tem uma relação de amor e ódio. No espetáculo Carta Rasgada, que estreia dia 07 de maio no Teatro Jaraguá, essa relação de irmãos é levada às últimas consequências.

No espetáculo escrito por Alex Giostri, com direção de Gerardo Franco e Beto Nasci, o ator Gustavo Haddad, da vida ao personagem Mário. Ele descobre, dentro da máquina de costura, uns papeis com um segredo de seus pais a respeito do irmão mais novo Carlos, interpretado pelo ator Pedro Bosnich.

A partir disso, desenrola-se a história desta peça, que mistura a tragédia e humor negro. Carlos aparentemente enlouquece e é internado em uma clínica, enquanto Mário vai para a cadeia cumprir pena. A história trata do acerto de contas desses dois irmãos, através de três movimentos, três ambientações, uma única história e um final surpreendente.

A trama relata o acerto de contas entre dois irmãos, que tiveram uma infância feliz, mas agora adultos precisam passar suas histórias a limpo. A peça tem como pano de fundo a questão da identidade, da omissão e do que ela pode causar ao ser humano.

Durante o espetáculo são interpretados  poemas de Baudelaire, Arthur Rimbaud, Shakespeare que tem como cenário um ambiente com vários livros.

O texto Carta Rasgada de Alex Giostri foi selecionado para participar do SGAE, em Madri, a melhor dramaturgia, em concurso voltado para associados da entidade.

4.jpg
Carta Rasgada
Com Gustavo Haddad, Pedro Bosnich e Lucas Lentili (stand in)
Teatro Jaraguá – Novotel Jaraguá (Rua Martins Fontes, 71 – Centro, São Paulo)
Duração 60 minutos
07 a 29/05
Sábado – 21h; Domingo – 19h
Recomendação 16 anos
$50 ($25 – cliente Porto Seguro)

Texto: Alex Giostri

Direção: Gerardo Franco e Beto Nasci

Light Designer: Cesar Pivete

Produção Executiva: Splendore Produções e Marketing

Realização:  4US Produções

Assessoria de Imprensa: Fabio Camara

HOLOCLOWNSTO

Contemplada com o Prêmio Funarte de Teatro Myriam Muniz, a Cia. carioca Troupp Pas D’argent está em cartaz com o espetáculo Holoclownsto, no Teatro Jaraguá.

A peça conta a história de seis clowns prisioneiros que se conhecem no último vagão de um trem rumo ao desconhecido, durante uma guerra. Nesse caminho, a tolice e a doçura desses artistas transformam o horror da guerra numa poética, bem humorada e sensível jornada até a alma do ser humano em sua condição de palhaço e vice-versa.

Combinando a inocência patética de um clown com o horror de uma Guerra, Holoclownsto é o pano de fundo dos conflitos internos do ser humano.  Pão Doce, Bimbinco, Bangué, Nill, Chapelím e Matraca, os clowns, brincam com suas próprias mazelas, provocando o riso por sua estupidez e por estarem dentro de uma pequena ‘tragédia’, onde espelham o próprio público e emocionam por sua incapacidade diante da guerra.

Buscam a paz interior e lutam por sua sobrevivência dentro do trem, mas, acabam por criar um caos irreversível e com isso, o vagão se torna um campo de batalha, no qual ninguém sabe onde vai dar ou a quem pedir socorro, refletindo assim, a própria vida.

Numa mistura de situações trágico-patéticas e de humor crítico, o espetáculo apresenta uma dramaturgia corporal e uma trilha sonora autoral, composta exclusivamente. A música dita o andamento das cenas e contribuem para transformação das emoções, assim como o figurino inspirado em uniformes de prisioneiros de guerra e trajes clássicos de clowns e o cenário que remete a um vagão de trem de madeira, em tamanho real, transformando a estrutura real em algo lúdico e mutável.

Holoclownsto
Com Carolina Garcês, Lilian Meirelles, Marcela Rodrigues, Natalie Rodrigues, Orlando Caldeira e Zoatha Davi.
Teatro Jaraguá (Rua Martins Fontes, 71 – Centro, São Paulo)
Duração 70 minutos
09/04 até 01/05
Sábado – 21h; Domingo – 19h
Recomendação 12 anos
$20
 
Dramaturgia: Marcela Rodrigues e Natalie Rodrigues
Direção: Marcela Rodrigues
Direção de Produção: Troupp Pas D’argent
Figurinos: Lilian Meirelles e Orlando Caldeira
Cenografia: Carolina Garcês, Natalie Rodrigues,
Desenho de Luz: Luiz Paulo Nenen
Trilha Sonora: Luciano Corrêa
Designer Gráfico: Marcela Rodrigues
Fotos: Aline Mohamad e Troupp Pas D’argent
Assessoria de Imprensa: Fabio Camara
Realização: Troupp Pas D’argent e MidixculpaProduções Artísticas

IT ON IT

Um dos espetáculos mais festejado por público e crítica do teatro brasileiro volta a São Paulo para curta temporada. In On It, montagem do texto do canadense Daniel MacIvor, (autor de A Primeira Vista e Cine_Monstro, também encenados por Diaz), recebeu o Prêmio SHELL de Melhor Diretor e Melhor Ator (para Fernando Eiras) e APTR de Melhor Espetáculo, Melhor Diretor e Melhor Ator (para Fernando Eiras e Emílio de Mello).

Uma sensação de mistério permeia In On It, peça teatral escrita para dois atores em uma narrativa em espiral. Um homem escreve uma peça sobre alguém que sofre um acidente, dois amantes vêem seu amor terminar, e dois homens contam esta história. Dez personagens ganham vida na pele de Emilio e Fernando. A estrutura metalingüística encaminha a trama para um final surpreendente.

É um exercício, um jogo de dois, uma trama de cenas. Quando vi a peça em Nova Iorque, anos atrás, me pareceu imediatamente interessante: alguma coisa incompleta, mas que seduzia pela maestria no jogo dos níveis de interpretação e pela metalinguagem. Dois atores, atuações complexas e um universo poético muito sensível. Anos mais tarde, fui com Ensaio.Hamlet para o Under The Radar Festival, festival de artes onde o Daniel MacIvor se apresentou no ano seguinte. A partir daí comecei a costurar a possibilidade de montar a peça no Brasil.” conta o diretor Enrique Diaz.

Três camadas são apresentadas e fundidas durante o espetáculo: a peça (escrita por um dos personagens); o espetáculo, e o passado.  A peça é a historia de Ray, que acontece com um estilo mais teatral, do que os outros dois planos. O espetáculo é o que acontece “aqui e agora” – o presente – consiste principalmente na discussão entre os dois personagens (“Este aqui” e “Aquele ali”) acerca da peça e seu desenvolvimento e a relação entre eles. O passado fala de como a relação entre os dois personagens principais se iniciou e se desenvolveu.

Há um acidente de carro envolvendo um Mercedes azul. O carro parece ter sido jogado para a outra pista, sem motivo aparente. “Esse aqui”, com a ajuda de “Aquele ali” representa as cenas de uma peça que ele escreveu sobre Ray, que supostamente dirigia o Mercedes azul. Ray fora informado pelo médico que sofria de uma doença grave. “Esse aqui” e “Aquele ali”, os dois personagens centrais, comentam as cenas, que envolvem ainda a mulher, o filho e o pai de Ray, e vão descobrindo implicações de suas vidas pessoais na obra escrita por “Esse aqui”.

A historia é a base do que acontece em cena, mas não necessariamente tem que ser entendida de forma exata pelo público. O autor diz isso no texto de apresentação. O público é convidado a compor a historia que quiser ou puder”, esclarece Diaz.

A concepção de cenário é desnudar o teatro, deixando-o com as paredes descobertas usando apenas duas cadeiras. A ambientação é indicada por uma iluminação diferente para cada “realidade”. Os únicos objetos de cena são: duas cadeiras, um casaco esportivo cinza, um lenço e um molho de chaves.

17_teatro_inonit

It on It
Com Fernando Eiras e Emílio de Mello
Teatro Jaraguá – Novotel Jaraguá (Rua Martins Fontes, 71. Bela Vista, São Paulo)
Duração 90 minutos
06/04 até 30/06
Quarta e Quinta – 21h
Recomendação 16 anos
$60

 

 

“Single Singers Bar”

“Single Singers Bar” volta para uma nova temporada nos palcos paulistanos. O espetáculo teve sua primeira montagem na cidade de Santos, na década de 90, por Dagoberto Feliz. Ele se inspirou no grupo vocal americano Swingle Singers e em bares frequentados por solteiros. Foi reencenado em 2002 na cidade de São Paulo, e em 2008 em Portugal.
A peça retrata um glamour decadente, elegante, bonito e kitsch com abordagem sobre os desencontros, as pequenas e grandes desilusões, e as situações politicamente incorretas. No roteiro, dez atores cantam canções que mesclam temas de forma provocativa e irônica dos autores Gershwin, Cole Porter, Brecht e Kurt Weill, entre outros.
Para esta nova montagem que vai até o dia 29 de outubro, a cada mês terá um convidado especial. Hoje e amanhã é a atriz e cantora Lucinha Lins.

(crédito fotos – divulgação oficial)

“Single Singers Bar”
Com Lilian Blanc, Silmara Deon, Luciana Carnieli, Fernando Nitsch, Daniel Morozetti, Cacau Merz, Katia Naiane, Helder Mariani, Demian Pinto e Bruno Guida
Teatro Jaraguá (Novotel Jaraguá – Rua Martins Fontes, 71 – Bela Vista, São Paulo)
Duração 75 minutos
29/07 até 29/10
Quarta e Quinta – 21h
$50