OS PALHAÇOS DE “CHAVES – UM TRIBUTO MUSICAL”

Precisamos falar sobre “Chaves – um tributo musical”. Mas, mais precisamente sobre os palhaços do musical.

A produtora Adriana Del Claro, em parceria com a Move Concerts, uniu-se novamente aos diretores Zé Henrique de Paula e Fernanda Maia (“Natasha, Pierre e o Grande Cometa de 1812”, “Carrossel, o Musical”) para montar uma história original para este menino órfão, que vive numa vila junto com seus amigos.

Mas como fazer para criar algo que unisse os personagens de Chaves com o público brasileiro?

Bem, como Roberto Bolaños era um clown (palhaço), e temos na nossa história a figura do circo e de vários palhaços icônicos, nada melhor do que trazê-los novamente para o picadeiro.

(Linda e merecida homenagem para eles que nos fizeram e fazem rir – Arrelia, Pimentinha, Carequinha, Piolin, Torresmo, Atchim e Espirro, Patati e Patatá, entre tantos. A homenagem do musical se estende na canção “Nome de Palhaço”.)

Liderando a trupe, temos Benjamin de Oliveira, o primeiro palhaço negro brasileiro (1870 – 1954). Foi um artista completo (ator, compositor, cantor e palhaço), além de ser o idealizador e criador do primeiro circo-teatro no país.

No musical, o personagem Benjamin é o líder do palhacéu, onde residem também outros sete palhaços: Formiga, Paçoquinha, Patinete, Tatuzinho, Tufo, Wladimir e Dr. Zambeta. Cada ator deu vida ao seu personagem, com características peculiares, como jeito de andar e falar. Eles são o elo de ligação da história entre o personagem de Roberto Bolaños e as suas criações.

Eles me trouxeram um ar de recordação da infância. Uma memória ‘proustiana’ involuntária da criança que pôde ir ao circo, brincar na rua, ser livre (e não trancada em casa e presa no celular). Pedido de um fã – Zé Henrique e Fernanda, desenvolvam um novo espetáculo para estes ‘nossos palhaços’ (já fazem parte da história ‘palhacesca’ brasileira – se há clownesco, há palhacesco também). Com certeza, eles – e a gente – merecem.

Chaves e toda sua turma despedem-se em breve do público. Vá levar a criança que há em si para se divertir. Não se arrependerá. Lembrando que os palhaços do palhacéu só podem ser vistos na Terra por anjos. Temos certeza que você conseguirá vê-los!

FACE

Chaves – um Tributo Musical

Com Mateus Ribeiro, Andrezza Massei, Patrick Amstalden, Maria Clara Manesco, Fabiano Augusto, Carol Costa, Diego Velloso, Pedro Arrais, Ettore Veríssimo, Milton Filho, Maurício Xavier, Larissa Landim, Nay Fernandes, Dante Paccola, Davi Novaes, Lucas Drummond, Marcelo Vasquez, Thiago Carreira e Bia Freitas.

Teatro Opus – Shopping Villa Lobos (Av. das Nações Unidas, 4777 – Alto de Pinheiros – São Paulo)

Duração 120 minutos (com 15 minutos de intervalo)

10 a 01/03

Sábado – 16h e 20h, Domingo – 16h

$75/$140

Classificação Livre

CHAVES – UM TRIBUTO MUSICAL

E Zás… Ele está voltando!!! Após temporada de sucesso com público superior a 35 mil pessoas, o espetáculo Chaves – Um Tributo Musical volta para nova temporada no mesmo local, Teatro Opus, localizado no Shopping Villa-Lobos, em São Paulo. O musical homenageia o gênio da comédia Roberto Gómez Bolaños e todo o seu legado, que diverte e emociona diferentes gerações até hoje.

Esta é a primeira grande produção dessa natureza endossada e licenciada pelo Grupo Chespirito, e pelo SBT. A montagem surpreende os fãs do seriado – e o público em geral – com roteiro original da diretora musical Fernanda Maia e direção geral de Zé Henrique de Paula, ambos conhecidos por musicais como Natasha, Pierre e o Grande Cometa de 1812 e Urinal – o musical. A coreografia original é de Gabriel Malo. No repertório, o musical foi recheado de canções clássicas da série e composições inéditas.

Chave – Um Tributo Musical é apresentado por Ministério da Cidadania, tem patrocínio de Grupo Zaffari e apoio de Cometa e Dúo Art Ice. Realização Del Claro Produções e Opus Promoções.

O gênio da comédia Roberto Gómez Bolaños conquistou crianças e adultos do mundo inteiro com seu humor simples e carismático, criando personagens que serviram de inspiração para diferentes gerações de atores, comediantes e escritores. Para isso, teve como referência (e homenageou) nomes clássicos da comédia. É possível encontrar registros do artista mexicano compondo esquetes que fazem alusão a humoristas como Charles Chaplin, Jerry Lewis e à dupla Oliver Hardy e Stan Laurel (O Gordo e o Magro).

Foi assim que surgiu a ideia de se criar um roteiro inédito que não apenas trouxesse de volta aquela atmosfera lúdica, inocente e saudosista da vila da série, mas que também desse pitadas da vida de Bolaños e de sua trajetória como um grande mestre das artes cênicas e do clown.

Mesmo não se tratando de um “episódio do Chaves transposto para os palcos”, e sim de uma homenagem com uma história inédita, o musical reproduz fielmente o cenário mais conhecido da carreira de Bolaños – a Vila do Chaves -, e causa comoção ao público quando aparece em cena pela primeira vez.

Além de Chaves, muitos outros personagens icônicos aparecem em cena para o público se deliciar com as presepadas de Seu Madruga, Quico, Chiquinha, Sr. Barriga, entre outros. Os espectadores também podem esperar boas surpresas durante as apresentações.

Para ambientar o público ainda mais antes do início do espetáculo, uma exposição sobre Chespirito foi criada com o objetivo de oferecer um panorama da vida e da obra de Roberto Gómez Bolaños através de imagens, fotografias e objetos do acervo pessoal do criador do personagem cômico mais icônico do México – e da América Latina também. Inspirada nas cores da Vila e do figurino do Chaves, a exposição ocupará o foyer do Teatro Opus e permanecerá aberta ao público durante toda a temporada de Chaves – Um Tributo Musical.

FACE

Chaves – um Tributo Musical

Com elenco não informado

Teatro Opus – Shopping Villa Lobos (Av. das Nações Unidas, 4777 – Alto de Pinheiros – São Paulo)

Duração 120 minutos (com 15 minutos de intervalo)

10 a 26/01

Quinta – 16h, Sexta – 20h, Sábado – 16h e 20h, Domingo – 16h

$75/$140

Classificação Livre

CHAVES – UM TRIBUTO MUSICAL

Zás… Ele está chegando!!! O espetáculo Chaves – Um Tributo Musical que estreou, no dia 23 de agosto, no Teatro Opus (Shopping Villa-Lobos), em São Paulo, estendeu temporada até o dia 20 de outubro. O musical, que homenageia o gênio da comédia Roberto Gómez Bolaños e todo o seu legado, segue divertindo e emocionando diferentes gerações até hoje.

Esta é a primeira grande produção dessa natureza endossada e licenciada pelo Grupo Chespirito, e pelo SBT. A montagem promete surpreender os fãs do seriado – e o público em geral – com roteiro inédito da diretora musical Fernanda Maia e direção geral de Zé Henrique de Paula, ambos conhecidos por musicais como Natasha, Pierre e o Grande Cometa de 1812 e Urinal – o musical. A coreografia original é de Gabriel Malo. No repertório, o musical foi recheado de canções clássicas da série e composições inéditas.

O gênio da comédia Roberto Gómez Bolaños conquistou crianças e adultos do mundo inteiro com seu humor simples e carismático, criando personagens que serviram de inspiração para diferentes gerações de atores, comediantes e escritores. Para isso, teve como referência (e homenageou) nomes clássicos da comédia. É possível encontrar registros do artista mexicano compondo esquetes que fazem alusão a humoristas como Charles Chaplin, Jerry Lewis e à dupla Oliver Hardy e Stan Laurel (O Gordo e o Magro).

Foi assim que surgiu a ideia de se criar um roteiro inédito que não apenas trouxesse de volta aquela atmosfera lúdica, inocente e saudosista da vila da série, mas que também desse pitadas da vida de Bolaños e de sua trajetória como um grande mestre das artes cênicas e do clown.

Mesmo não se tratando de um “episódio do Chaves transposto para os palcos”, e sim de uma homenagem com uma história inédita, o musical irá reproduzir fielmente o cenário mais conhecido da carreira de Bolaños – a Vila do Chaves -, com curadoria do Grupo Chespirito e SBT, para envolver o público ainda mais na memória afetiva do mundo do seriado. Além de Chaves, muitos outros personagens icônicos estarão no palco do Teatro Opus e o público irá se deliciar com as presepadas de Seu Madruga, Quico, Chiquinha, Sr. Barriga, entre outros. Os espectadores também podem esperar boas surpresas durante as apresentações.

Uma série de itens raros do universo Chaves no Brasil
Para ambientar o público ainda mais antes do início do espetáculo, uma exposição sobre Chespirito foi criada com o objetivo de oferecer um panorama da vida e da obra de R o b e r t o G ó m e z Bolaños através de imagens, fotografias e objetos do acervo pessoal do criador do personagem cômico mais icônico do México – e da América Latina também. Inspirada nas cores da Vila e do figurino do Chaves, a exposição ocupará o foyer do Teatro Opus e permanecerá aberta ao público durante toda a temporada de Chaves – Um Tributo Musical.

Sobre a série
Há mais de 45 anos em exibição no México, Chaves é um case de sucesso mundial, com transmissões na Itália, França, Coréia do Sul, Colômbia, Chile, Venezuela, Argentina, Peru, Panamá, Porto Rico e Estados Unidos. No Brasil, os episódios completarão 35 anos no ar em agosto; e são, atualmente, exibidos nos canais SBT e Multishow.

Roberto Gómez Fernández, a pessoa à frente do Grupo Chespirito
Dar vida a uma grandiosa obra e adaptá-la para os palcos não é tarefa fácil. Principalmente, se essa obra for o legado deixado por Roberto Gómez Bolaños, na forma do personagem Chaves e toda a sua turma. São figuras que vivem no coração de milhões de pessoas de toda a América Latina há mais de três décadas e que, por isso, merecem muita atenção e carinho.

Roberto Gómez Fernández é o responsável por manter essa chama acesa para todos nós. Filho de Bolaños e líder do Grupo Chespirito, empresa detentora dos diretos de Chaves, Fernández mantém os olhos abertos para todos os licenciamentos envolvendo a série, inclusive o nosso querido ‘Chaves – Um Tributo Musical’. Para ele, Chaves é o personagem mais querido da América Latina e tem um papel emblemático na trajetória do pai, pois entende que o amor que o público sente pelo menino da ficção representa também o amor que o público tem pelo pai e toda a sua obra.

Fernández comenta que se sentiu muito honrado e orgulhoso quando ficou sabendo da ideia do musical aqui no Brasil, e que segue se surpreendendo com o impacto que a obra de Chespirito (apelido carinhoso de Bolaños) ainda tem em todo o mundo. Ele diz que (o musical) “é uma enorme responsabilidade para se preservar o legado do meu pai”, e que está “emocionado por saber que (o musical) está em mãos profissionais e talentosas, e com um conceito único e original”.

A paixão do brasileiro pela vila e todos seus personagens é notória e Fernández diz que se sente feliz por poder ser testemunha de todas essas manifestações de carinho. Ele revela que era uma vontade de Bolaños criar um espetáculo direcionado para o nosso país. “Meu pai começou a preparar um show ao vivo para o Brasil e até a estudar português. Porém, por questões políticas, não conseguiu levar o projeto adiante”. Ele arremata dizendo que ‘Chaves – Um Tributo Musical’ é “um sonho que se tornou realidade”.

Por isso, Roberto Gómez Fernández deseja que nosso espetáculo seja um grande sucesso. E nós desejamos que você se divirta e que se emocione com as trapalhadas que preparamos com muito carinho, profissionalismo e dedicação.

FACE (2)

Chaves – um Tributo Musical

Com Mateus Ribeiro, Carol Costa, Diego Velloso, Andrezza Massei, Patrick Amstalden, Maria Clara Manesco, Fabiano Augusto, André Pottes, Ettore Verissimo, Milton Filho, Larissa Landim, Nay Fernandes, Dante Paccola, Davi Novaes, Lucas Drummond, Marcelo Vasquez, Thiago Carreira

Teatro Opus – Shopping Villa Lobos (Av. das Nações Unidas, 4777 – Alto de Pinheiros, São Paulo)

Duração 120 minutos

23/08 até 20/10

Sexta – 21h, Sábado – 16h e 20h, Domingo – 15h e 19h

$75/$140

Classificação Livre

AS ATRIZES

A comédia de Juca de Oliveira teve sua primeira encenação em 1991 com Tônia Carrero, Lucélia Santos, Mauro Mendonça, Osmar Prado e Márcia Cabrita no elenco.
A montagem atual, com direção de Léo Stefanini, recebeu revisão e atualização no texto para abordar conflitos mais ligados ao universo feminino, como sexualidade, traição e maturidade, mostrando também o embate artístico entre uma atriz consagrada, que conquistou o respeito de seu público, e outra mais jovem e preocupada com o número de seguidores em suas redes sociais.
A história se passa no universo artístico, mas poderia ser perfeitamente ambientada em qualquer ambiente de trabalho. As questões retratadas são absolutamente universais e engraçadas, mostrando os personagens vivendo à beira do caos.
Marilda Ziliat (Angela Dippe) é uma grande atriz de meia-idade, consagrada no teatro, que vive um momento crítico da sua vida pessoal e profissional. Está insegura porque a televisão, e os homens, preferem atrizes mais jovens. É casada com Igor (Ary França), um diretor de teatro que se encanta pela jovem Irma. Irma (Renata Ricci) é uma atriz ambiciosa que sonha com o estrelato, mas obtém papeis inferiores às suas pretensões em teatros vazios de público e de repercussão. Ela entra no jogo de Igor para conseguir o que quer, embora viva com Cláudio (Giovani Tozi), um ator de pouco talento e inseguro, pois percebe que a mulher, por quem é desesperadamente apaixonado, lhe escapa a cada instante. Botando mais lenha na fogueira, surge a Repórter (Mariana Melgaço), uma profissional de índole duvidosa, pouco informada, mas que adora disseminar fofocas e fake news dos famosos.
 
FACE
As Atrizes
Com Angela Dippe, Ary França, Renata Ricci, Giovani Tozi e Mariana Melgaço
Teatro Opus – Shopping Villa Lobos (Av. das Nações Unidas, 4777 – Alto de Pinheiros, São Paulo)
Duração 75 minutos
05/07 até 11/08
Sexta e Sábado – 21h, Domingo – 20h
$20
Classificação 10 anos

O SHOW DA LUNA – MUSICAL

Após enorme sucesso de bilheteria e crítica, as crianças terão nova oportunidade para se encantar com o espetáculo ‘O Show da Luna – Musical’. As aventuras da garotinha curiosa que adora ciências, e famosa pelas descobertas na tela da televisão, voltam aoTeatro Opus, em São Paulo, nos dias 8 e 9 de junhoàs 15hConfira o serviço completo abaixo.
O musical Show da Luna é uma produção do núcleo teatral da TV PinGuim, criado e dirigido por Célia Catunda, Jonatan Pilolé e Kiko Mistrorigo. As canções que serão apresentadas no palco, de autoria de André Abujamra e Márcio Nigro, foram especialmente coreografadas para o espetáculo.
Em cena, há um grande elenco de bailarinos e atores que irá contracenar com a cientista preferida das crianças. Durante as apresentações, Luna, Júpiter e Cláudio tentarão desvendar como a água vira chuva, se há alguém vivendo em Marte e por que as bolhas são redondas. Tudo isso em uma aventura pra lá de divertida, e repleta de canções, danças e fantasias.
FACE (2)
O Show da Luna – Musical
Teatro Opus – Shopping Villa Lobos (Av. das Nações Unidas, 4777 – Alto de Pinheiros – São Paulo)
Duração 60 minutos
08 e 09/06
Sábado e Domingo – 15h
$80/$120
Classificação Livre

LÍRICO PERO NO MUCHO

Após muitos pedidos de seu público, o ator e cantor, Leonardo Neiva, recém-saído do elenco de “O Fantasma da Ópera” onde dava vida ao icônico personagem Fantasma, estreia seu novo projeto em junho no Teatro Opus, em São Paulo.

Lírico Pero no Mucho” será um show onde o renomado barítono brasileiro, consagrado no mundo da ópera e dos musicais, irá mostrar sua versatilidade cantando clássicos do jazz, pop, rock, MPB, musicais e lírico para comemorar os 20 anos de sua carreira no Brasil e no exterior. A ideia já existia há muitos anos e o momento propício finalmente chegou, servindo também como uma comemoração, por conta destes anos de carreira.

Com clima descontraído, feito com elegância e bom gosto musical, o show terá duração de 90 minutos, contendo 18 músicas em seu repertório. A direção musical do show fica por conta de Léo Mancini e a direção geral de Jonathas Joba.

Leonardo possui em seu currículo mais de 40 títulos dentre eles ópera, musical e repertório sinfônico. Já interpretou diversos personagens tanto no Brasil como no exterior. Foi um dos protagonistas do musical Les Misérables no Brasil e no México e em 2018 protagonizou o icônico e mais famoso personagem dos musicais o Fantasma da Ópera. Trabalhou ao lado de grandes artistas como Roger Waters, Daniela Mercury, Fernando Meirelles e o grupo Take 6. Participou de gravações premiadas como a da Ópera Rienzi na França e a Sinfonia Nº 10 de Villa-Lobos com a OSESP, além de suas discografias independentes. Foi vencedor do XII Prêmio Carlos Gomes e do Concurso Internacional de Canto Bidu Sayão.

O reconhecido e premiado cantor brasileiro possui críticas ao redor do mundo, como por exemplo a importante revista alemã “Opernwelt”, que o descreveu como: “…um barítono de linda voz, ensolarada e incandescente que impressiona cantando e atuando maravilhosamente bem…”.

O show acontecerá no dia 04 de junho, às 21h no Teatro Opus, situado no quarto andar do Shopping Villa Lobos (Av. Das Nações Unidas, 4777. Jardim Universidade Pinheiros, São Paulo – SP). O teatro tem lugar para 720 pessoas, divido em três setores, sendo plateia baixa, plateia alta e balcão. Os valores dos ingressos custarão de R$25,00 a R$100,00. Os ingressos já estão à venda pelo site uhuul.com e na bilheteria do teatro.

FACE

Lírico Pero no Mucho

Com Leonardo Neiva

Teatro Opus – Shopping Villa Lobos (Av. das Nações Unidas, 4777 – Alto de Pinheiros, São Paulo)

Duração 90 minutos

04/06

Terça – 21h

$50/$100

Classificação Livre

ANTOLOGIA – O ORIGINAL TEATRO NEGRO DE PRAGA

Apresentado em diversos países, o espetáculo “Antologia – O Original Teatro Negro de Praga” volta ao Brasil após 20 anos. Original da República Tcheca, o espetáculo apresenta o Teatro Negro de Praga produzido por Jiry Srnec. Os espetáculos acontecem em Fortaleza (Teatro RioMar Fortaleza), Natal (Teatro Riachuelo Natal), Rio de Janeiro (Teatro Bradesco Rio), São Paulo (Teatro Opus) e Porto Alegre (Teatro do Bourbon Country). Mais informações sobre datas e serviço completo abaixo. Recomendado para crianças, a peça é um retorno à magia, emoção, imaginação e sonho.

O nome desse tipo de obra ficou conhecido e foi popularizado na cidade de Praga, na república Tcheca, por utilizar a luz negra (black light) para criar imagens surreais e mágicas características da técnica. Este tipo de teatro é reconhecimento como um mérito artístico e cultural do país. A técnica popularizada em Praga já participou de 77 festivais internacionais e realizou mais de 250 apresentações internacionais em 68 países.

O Teatro Negro teve sua origem na China, onde as peças eram apresentadas em telas de projeção com fundo de luz de velas. O Teatro Negro moderno teve início nos anos 50, usando as tecnologias da época, como projeção cinematográfica, iluminação e luz negra. Esse tipo de espetáculo combinava o teatro tradicional com pantomima (um tipo de mímica), dança e arte circense.

CARMEN (3).png
Antologia – O Teatro Negro de Praga
Com Teatro Negro de Praga
Teatro Opus – Shopping Villa Lobos (Av. das Nações Unidas, 4777 – Alto de Pinheiros, São Paulo)
Duração não informada
06/02
Quarta – 20hs
$160/$200
Classificação Livre