REFÚGIO – O MUSICAL

O espetáculo fez sua primeira temporada nos anos de 2016 e 2017 e teve retorno bastante positivo do público. Com texto autoral e músicas originais executadas ao vivo, Refúgio – O Musical conta com 8 atores e 4 músicos (piano, violino e violoncelo).

Através do cotidiano, sonhos, anseios, angústias e dificuldades de um jovem, são abordados temas pertinentes a toda sociedade como: relacionamentos, família, educação, profissão e amor. Apesar da dramaticidade, o espetáculo é leve e bem-humorado. Momentos de sensualidade estão presentes e são tratados com naturalidade e sofisticação (não há cenas de nudez explícita no espetáculo).

SINOPSE

Lucas é um rapaz obrigado a abandonar seus sonhos de estudar numa escola de artes para poder sustentar a casa, ajudar sua mãe Joyce, cuidar da sua irmã mais nova e do pai alcoólatra, trabalhando num emprego sem perspectiva alguma. Em horas livres, Lucas sai com seu melhor amigo Júnior que mora em uma parte nobre da cidade. Quando Max, irmão mais velho de Júnior, volta pra casa após uma grande desilusão, acaba encontrando Lucas e logo se interessa por seus talentos. Os dois se apaixonam perdidamente, mas Lucas não entende os próprios sentimentos e entra em confronto com suas convicções e suas emoções.

CARMEN (3).png

Refúgio – o Musical

Com Fabio Fernandes, Felipe Freitas, Fernanda Goulart, Fernando Marianno, Henrique Hadachi, Júlia Bach, Luma Gouveia, Maitê Cunha e Camila Fernanda Marques

Teatro Ruth Escobar – Sala Dina Sfat (Rua dos Ingleses, 209 – Bela Vista, São Paulo)

Duração 90 minutos

13/09 até 04/10

Quinta – 21h30

$50

Classificação 16 anos

 

PATROA RICA, PODE

Patroa Rica, Pode!  Uma comédia investigativa que fará o público se divertir enquanto tenta descobrir o ou os culpados, estreia no Teatro Ruth Escobar, dia 27 de maio, às 19h30..

Estela, é uma jovem viúva que perdeu seu marido num estranho acidente de automóvel que, depois de muito tempo, fica esclarecido que o freio foi cortado, mas a história toma outro rumo e quando todos acham que o crime está solucionado, outro detalhe entra em cena… E tudo muda.  Entre os suspeitos estão o mordomo (sempre o mordomo!), o motorista, a amante e a própria Estela.

Copia_de_seguranca_de_PATROA RICA PODE flyer_jpg_LIMPA_Ruth.jpg

Patroa Rica, Pode!

Com Paulo Cesar Junior, Mayara Dornas, Diego Muras, Cris Affonso

Teatro Ruth Escobar – Sala Gil Vicente (Rua dos Ingleses, 209 – Bela Vista, São Paulo)

Duração 90 minutos

27/05 até 29/07

Domingo – 19h30

$60

Classificação 12 anos

A HORA DO BRASIL: UMA COMÉDIA NACIONAL

O ator Ederson Miranda estreia o espetáculo solo  “A HORA DO BRASIL: uma comédia nacional” no dia 13 de janeiro no teatro  Ruth Escobar. O texto e a direção são assinados por  Ederson Miranda e Felipe de Moraes.

Inspirado nas tradições da comédia popular, o espetáculo conta a História do Brasil de maneira inédita, fazendo uma releitura de do mais tradicional programa de rádio brasileiro, que há quase  80 anos é companheiro “obrigatório” de nossas jornadas noturnas:  A Voz do Brasil.

Pensando naqueles que procuram uma alternativa aos acordes retumbantes do Guarany e aos boletins oficiais de Brasília, o espetáculo oferece uma nova versão para o programa.

Durante uma hora, o espectador viajará pela história do país através de alguns personagens típicos de imaginário nacional.

PERSONAGENS

PORTUGA

O espetáculo começa com a chegada de um português bem atrapalhado em terras brasileiras, este por sua vez, coloca uma cruz em nossa terra e diz que agora essa pertence à coroa portuguesa. Então, começa a tomar suas primeiras medidas para colonizar nossas terras. Porém, encontra dificuldades e para isso traz consigo seu livro de cabeceira: “O manual do empreendedor colonial”. Livro que lhe dará suporte para conseguir êxito em território tupiniquim.

CACIQUE

O encontro do europeu com os nativos é mostrado através do personagem Cacique, chefe de sua tribo. Esse encontro expõe de forma hilária os abusos dos europeus em nossas terras. A história não é tirada dos “oficiais” livros de história que temos costume de ver, livros esses que costumam mostrar apenas a visão do homem branco sobre os fatos. Aqui você verá a versão do nativo.

PADRE

Em seguida desembarca em terras brasileiras o personagem do Padre Jesuíta que vem para catequizar os nativos, todavia encontra muitos nativos hiperativos. O que irão dificultar e muito sua missão. O padre passa por diversas provações de fé para tentar impor sua cultura em nossas terras tropicais.

CAIPIRA

Eis que surge em nossa história: o Caipira. O famoso capiau tão comum no imaginário nacional. Ele aparece para mostrar aos portugueses que o caipira de bobo não tem nada. Esse personagem carrega toda a sabedoria popular do povo do interior do Brasil. E ele se declara o verdadeiro idealizador da inconfidência mineira.

CAPOEIRA

Já na época do império surge: o Capoeira, personagem que vive tirando sarro da aristocracia da época. É um verdadeiro fanfarrão, um contador de histórias que adora debochar do imperador e de seus pares.

FEMINISTA

Na fase da República Nacional no início do século XX surge a personagem da mulher feminista, que vem para brigar por seus direitos, pela igualdade de condições, num país ainda extremamente machista. Ela vem para mostrar que as mulheres vieram pra ficar e pra serem protagonistas da nossa história.

APRESENTADOR

Tanto no início como no fim do espetáculo aparece a figura do apresentador, o único personagem contemporâneo da peça. Ele aparece para falar sobre nossos conturbados dias atuais. E com acidez e perspicácia faz comentários hilários sobre os acontecimentos políticos do momento, abrindo e finalizando nossa epopeia histórica com muito bom humor.

Inspirado nas tradições do teatro popular de revista, tão tipicamente brasileiro, a peça busca uma comunicação ampla com seu público, e também se preocupa em fazer um humor crítico e inteligente.

image003

A Hora do Brasil: Uma Comédia Nacional
Com Ederson Miranda
Teatro Ruth Escobar (Rua dos Ingleses, 209 – Bela Vista, São Paulo)
Duração 70 minutos
13/01 até 29/04
Sábado – 21h30, Domingo – 19h30
$50/$60
Classificação 14 anos

O MÁGICO DE OZ – O ESPETÁCULO

Baseado na obra original de Lian Frank Baum O MÁGICO DE OZ tem texto e direção geral de um dos nomes mais conceituados na dramaturgia do Teatro para Crianças , FERNANDO LYRA JÚNIOR , que ao longo de seus mais de 20 anos dedicados ao palco foi detentor de vários prêmios e críticas elogiosas.

 

A peça conta a história de Dorot,uma garotinha que se perde no Mundo de Oz e para conseguir o caminho de volta para sua casa precisa encontrar o Grande Mágico de Oz.

 

Com a ajuda da Bruxa do Norte , Doroty , começa a sua procura no caminho até o Castelo do Mágico, onde muita coisa acontece .Ela conhece seus três inseparáveis amigos : O Espantalho , O Homem de Lata e o Leão, que ajudam a menina a atingir seus objetivos.

 

foto original O MAGICO DE OZ.jpg

O Mágico de Oz – O Espetáculo
Com Marina Ribeiro, Matheus Rodrigues, Cibelle de Martin, Rebecca Etiene, Fernando Lyra Jr, Luciano Brandão e Bruno Bianchi.
Teatro Ruth Escobar – Sala Dina Sfat (Rua dos Ingleses, 209 – Bela Vista, São Paulo)
Duração 50 minutos
28/01 até 25/03
Domingo – 17h30
$40
Classificação Livre

A TIA É UM SHOW

Guilherme Uzeda volta em cartaz com a peça “A TIA É UM SHOW”, até final de março, domingos às 19h30, no teatro Ruth Escobar.

O espetáculo se passa em um programa de auditório comandado pela TIA, personagem criada por Guilherme Uzeda, e traz muita diversão, de forma leve e descontraída.

Uma apresentadora totalmente informal conduz o programa de maneira muito peculiar, se atrapalhando de forma ingênua e levando a plateia a um riso descontraído e cúmplice.

Entre seus vários quadros, estão o ‘Bailão da Tia’ – onde pessoas da plateia são chamadas para participar de um concurso de dança, ‘Tia Canta e Encanta’, ‘Tia Responde’ onde a Tia responde de forma engraçada as cartas dos telespectadores.

No formato dos antigos programas de auditório, o espetáculo traz convidados especiais a cada semana, sorteio de prêmios para a plateia e os famosos ‘reclames’, onde o público participa de forma ativa e divertida com esta TIA simpática e cheia de entusiasmo todos riem muito!

image001.jpg

 A Tia é um Show
Com Guilherme Uzeda
Teatro Ruth Escobar – Sala Dina Sfat (Rua dos Ingleses, 209 – Bela Vista, São Paulo)
Duração 70 minutos
14/01 até 18/03
Domingo – 19h30
$50
Classificação 12 anos

QUEM AMA BLOQUEIA

A comédia moderna Quem Ama Bloqueia, texto inédito de Renato Bellamin, estreia dia 19 de outubro, às 21h, no Teatro Ruth Escobar (sala Dina Sfat), e segue em temporada, sempre às quintas-feiras, até 7 de dezembro. O elenco do espetáculo, que conta com a minuciosa direção de Renato Scarpin, é composto pelo próprio autor da peça Renato Bellamin e pela experiente atriz Carla Fioroni.

Quem Ama Bloqueia conta a história de Rogério e Selma, um casal comum em suas vivências diárias, mas que, como a maioria das pessoas hoje em dia, vive em torno da Internet, de Smartphones, Iphones e seus aplicativos. O uso abusivo dessas ferramentas, que na peça é mostrado de forma cômica e escancarada, afeta o relacionamento do casal no dia a dia e o resultado são muitas intrigas, confusões e insatisfações.

Ciúmes, supostas traições, stalker e nudes são alguns dos assuntos abordados no espetáculo, que pela própria temática atual, é de fácil identificação por parte do público, que vive o impacto da tecnologia influenciando completamente a forma do ser humano se relacionar com o outro e com o mundo.

Segundo Bellamin, a comédia tem a intenção de mostrar os relacionamentos amorosos e sociais nos dias atuais.  As discussões surgem da necessidade do diálogo pessoal, sem a presença de um aplicativo de relacionamento. A conversa habitual, olho no olho, se perdeu, ficou chata, sem sentido. Basta um pequeno som vindo do celular para que o interesse pela pessoa que está na sua frente perca o sentido. É um furor incontrolável. Uma necessidade biológica de saber quem chamou, qual o assunto… E claro: a pessoa ao meu lado – o ser ‘amado’ – pode ver quem chamou ou eu devo esconder?”, ressalta o autor.

De forma engraçada e descontraída, o espetáculo pretende levar ao público uma reflexão divertida sobre suas próprias atitudes, abordando desde fotos de prato de comida, postadas freneticamente pela grande maioria dos usuários, até as sensuais – os famosos nudes –, que já acabaram com muitos romances e, muitas vezes, os motivos são paranoias, criações de nossas mentes na tentativa de descobrir o que o outro está fazendo em seu mundo digital.

CARLA_FIORONI_RENATO_BELLAMIN2_quemamabloqueia

Quem Ama Bloqueia
Com Carla Fioroni e Renato Bellamin.
Teatro Ruth Escobar – Sala Dina Sfat (Rua dos Ingleses, 209 – Bela Vista, São Paulo)
Duração 70 minutos
19/10 até 07/12
Quinta – 21h
$60
Classificação 12 anos

TRAIR E COÇAR É SÓ COMEÇAR (Opinião)

As aventuras da empregada Olimpia ainda arrancam risadas do público que vai vê-la no Teatro Ruth Escobar.

“Trair e Coçar É Só Começar”, comédia de Marcos Caruso, está em cartaz há 31 anos ininterruptos.

A peça acumula outros números impressionantes: mais de 6 milhões de espectadores, mais de 9 mil apresentações, 4 vezes no Guiness Book, Prêmio Quality Cultural e homenagem pela Assembleia Legislativa de São Paulo.

22308662_1964769167139909_2872822824677700589_n

A história gira em torno de meras hipóteses de adultérios, geradas por equívocos e confusões provocadas por uma empregada, que se aproveita da desconfiança geral entre os casais do enredo para subornar seus patrões e amigos.

Ressaltamos o trabalho da atriz Anastácia Custódia, que desde 2005 dá vida a protagonista da história; o trabalho do elenco, por trazer o frescor para a peça como se estivesse sendo apresentada pela primeira vez, e para o texto maravilhoso de Marcos Caruso.

Se por acaso você ainda não viu (será que tem alguém) ou quer rever, e se divertir muito, “Trair e Coçar É Só Começar” é a nossa recomendação. Não perca.

Trair e Coçar é Só Começar
Com Anastácia Custódio, Carlos Mariano, Mario Pretini, Tânia Casttello, Carla Pagani, Miguel Bretas, Ricardo Ciciliano, Siomara Schröder e Beto Nasci.
Teatro Ruth Escobar (Rua dos Ingleses, 209 – Bela Vista, São Paulo)
Duração 120 minutos
07/04 até 26/11
Sexta e Sábado – 21h, Domingo – 20h
$70/$80
Classificação 12 anos