4EVER – A ÚLTIMA NOITE

A peça “4Ever – A Última Noite”, com direção de Alan Moraes e texto de Luccas Papp, conta a última noite de quatro jovens formandos na república onde moram. Após os planos de cada um ir por água a baixo, Matheus, Fernando, Daniel e Diego acabam se despedindo da vida universitária discutindo os acontecimentos recentes de cada um e fazendo um balanço dos anos em que viveram juntos. 

De forma bem humorada e atual, o espetáculo propõe uma reflexão aos jovens sobre como pequenos atos impensados podem ter grandes consequências, como é possível adquirir valores e referências mesmo com pessoas de personalidades tão diferentes, além de mostrar que as relações com amigos, namoradas (os) e família podem nos marcar e nos mudar para sempre. 

4ever-A-Última-Noite-Foto-Divulgação3_resize

O projeto oferece aos jovens de 12 a 25 anos uma peça totalmente pensada neles, com temas e elementos pertinentes ao seu universo, e com texto inteligente. E para se comunicar com esse púbico, foram escalados atores que também são celebridades do mundo digital: Eric Surita, que interpretou Beto na novela Chiquititas do SBT, e apresentou a TV Globinho entre 2011 e 2012; Leo Picon, dono da grife Just Approve, que faz sua estreia nos palco, mas já é um fenômeno das redes sociais com mais de 900mil seguidores no Instagram; Luccas Papp, que apesar da pouca idade assina esse e vários outros textos além de ter atuado em diversas produções, sendo as mais recentes “Os Guarda-Chuvas” e “O Falcão Vingador”; Marcelo Arnal, que aos 13 anos desistiu do futebol profissional para se dedicar a arte. Recentemente fez participação em 18 capítulos na novela “Totalmente Demais” da Rede Globo além de ter estrelado mais de 150 filmes publicitários.

Para alegrar ainda mais os fãs e seguidores das personalidades digitais, a cada semana a peça terá uma convidada que irá interpretar um personagem surpresa. Os nomes serão revelados sempre às segundas-feiras que antecedem as apresentações.

Com temporada de apenas 1 mês, “4ever – A Última Noite” fica em cartaz até 1º de maio, aos sábados e domingos a tarde.

4Ever – A Última Noite
Com Eric Surita, Leo Picon, Luccas Papp e Marcelo Arnal
Teatro Santo Agostinho (Rua Apeninos, 118 – Liberdade, São Paulo)
Duração 60 minutos
02/04 até 01/05
Sábado – 17h30; Domingo – 18h
Recomendação 12 anos
$60
 
Direção: Alan Moraes
Texto: Luccas Papp
Assessoria de Imprensa: Márcia Stival

QUE DEUS NOS SACUDA!

A comédia QUE DEUS NOS SACUDA! estreia dia 2 de abril, sábado, às 20h30, no TEATRO SANTO AGOSTINHO. Um espetáculo de cenas curtas de humor e linguagem de Internet, com a rapidez que nossa época exige, que revela situações absurdas, ora cotidianas, ora o total nonsense, o absurdo, destacando o lado patético da sociedade atual.

Que Deus nos Sacuda! surgiu da experiência de cenas feitas para o Canal de Humor do Youtube ‘O QUE TEM PRA HOJE’ com a proposta de sacudir a plateia satirizando desde nossos políticos, passando por personalidades que são vítimas constantes de ‘memes’ de Internet, como uma conhecida chef de cozinha natural, até chegar nele mesmo, o Todo Poderoso, mas sempre com muito humor, um tanto de crítica, uma pitada de acidez e certa leveza. Comportamento, sociedade e política servem de base para a exposição das nossas falhas, tanto como indivíduos, como no coletivo.

“Fui provocado pelos produtores a levar meus textos pro teatro e pensei: a agilidade de um clique permite que, em questão de segundos, uma notícia, uma piada ou mesmo uma injúria ou mentira sejam compartilhadas com milhões de pessoas, sem critério, sem filtro e, assim, tudo acaba sendo influenciado e influenciável. Então, por que não o teatro também ser influenciado pela Internet? Mas, claro, no que ela tem de melhor!”, conta o autor Jean di Barros.

Para Renato Scarpin, que além da direção também assina a autoria de duas das cenas do espetáculo, o projeto pretende levar ao teatro tanto os textos da Internet como o público da Internet, fazendo com que tanto um como o outro saiam da tela do computador. Ele brinca: “No caso dos humanos, que levantem a cabeça e parem, por pelo menos 60 minutos, de olhar pros seus próprios umbigos, ou melhor, smartphones! Mas para poder sacudir é preciso primeiro conquistar e nada melhor do que o humor pra ganhar empatia e novas amizades!”.

“É mais uma entre tantas comédias? Pode até ser que seja, mas garantimos textos ousados e algumas cutucadas na plateia, contamos com curtidas e torcemos para muitos compartilhamentos quem sabe… e aí sim a comédia se estabelece com sua melhor função: fazer rir! E o riso, muitas vezes, é a melhor forma de catarse”, complementa o diretor.

Os atores e também produtores do projeto se associaram para esta montagem movidos pela inspiração do provérbio japonês dos Três Macacos Sábios: “Não escute o mal, não olhe para o mal e não pronuncie o mal”. Scarpin ainda conta: “conversando sobre o momento em que o mundo vive, nos demos conta da importância desse provérbio, do quanto ele é significativo e como tem tudo a ver com o mundo atual das redes sociais, do individualismo e falta de amor. As coisas poderiam ser bem diferentes se seguíssemos essa sabedoria e então fizemos nossa própria adaptação do pensamento: “Se os homens não ouvissem, não olhassem e não falassem o mal alheio, a vida teria mais graça”.

O espetáculo é todo concebido pelos produtores, que deram identidade à cenografia e figurinos de uma forma bem simples, fazendo-os servir ao espetáculo. Puffs são movimentados pelos próprios atores a cada cena compondo os objetos necessários pra situação, assim como diversos adereços são colocados em cima de um figurino base, de acordo com cada uma das vinte cenas curtas do espetáculo. A sonoplastia, assinada pelo diretor, desenha o roteiro da peça, colorindo, junto à iluminação de Rodrigo de Souza, as nuances e amarrações de uma cena pra outra e, principalmente, variações de clima.

QUE DEUS NOS SACUDA! - Andresa Gavioli, Mauro Pucca, Maritta Cury e Renato ScarpinQue Deus Nos Sacuda!
Com Andresa Gavioli, Maritta Cury, Mauro Pucca e Zé Alberto Martins.
Teatro Santo Agostinho (Rua Apeninos, 118 – Vergueiro, São Paulo)
Duração 60 minutos
02/04 até 25/06
Sábado – 20h30
$50
Classificação 14 anos
Texto: Jean di Barros.
Direção: Renato Scarpin.

O AMOR VENCEU

Um dos maiores sucessos literários de Zíbia Gasparetto, ‘O Amor Venceu’, poderá ser visto no palco do Teatro Santo Agostinho. A adaptação é de Renato Modesto (Prêmio SESI de Dramaturgia de 1996), a direção está a cargo de Lucienne Cunha e a narração é na voz do saudoso ator Paulo Goulart.
O espetáculo, que está em cartaz há 20 anos no Brasil, já viajou para mais de 240 cidades, de quase todos os estados do País e já foi visto por mais de 1.500.000 (um milhão e quinhentos mil) espectadores. Com mais de 100 itens de figurinos, seus 11 atores interpretam quase 20 personagens durante 01 hora e 40 minutos.
O Egito antigo é o pano de fundo desta intrigante história de amor de quatro jovens que se passa em 1.200 a.C.Em uma grande festa, Pécos é promovido ao cargo de General Supremo agraciado pelo Faraó com a Grã-Pedra Opalina e com duas escravas: Solimar, que herdou de seu pai os conceitos sobre as leis que regem a vida do homem na terra e Nalim que, sendo em suas terras uma nobre, não se conforma em se tornar uma escrava e alimenta a idéia de retornar ao seu país e vingar-se de Pécos.
Jasar, irmão de Pécos, que por muito tempo esteve fora estudando os segredos do universo, retorna e traz consigo o tio Osiat e a bela prima Otias.
Um atentado coloca a vida de Pécos em risco que sobrevive graças aos aprendizados do irmão Jasar e da dedicação de Solimar, que encontra em Jasar um grande amigo, não demorando pra que essa amizade se transforme num grande amor, porém, Solimar vê suas esperanças acabarem quando Osiat pede em seu leito de morte, que Jasar case-se com Otias…
O Amor Venceu’ é um espetáculo familiar, livre para todos os públicos e que diverte, mas também emociona a todos. Uma linda história com muitas reviravoltas que fazem o público temer e torcer pelos heróis desta saga.
 
O Amor Venceu
Com Valdir Ramos, Eduardo Rodrigues, Alexandre Luz, Néviton de Freitas, Paulo Perez, Débora Muniz, Fernanda Mareze, Iza Bianco, Gil Teixeira, Kainan Ferraz e Thalita Drodowsky.
Locução: Paulo Goulart
Teatro Santo Agostinho (Rua Apeninos, 118 –
Duração 100 minutos
17/01 até 27/03
Domingo – 20h
Recomendação Livre
$50
 
Texto: Zíbia Gasparetto
Adaptação: Renato Modesto
Direção: Lucienne Cunha
Produção Executiva: Tay Lopes
Rama Kriya Produções
Assessoria de Imprensa: C Rolim Imprensa