TIGRELA

Com novo elenco e novos cenários, o espetáculo reestreia com apresentações gratuitas na Oficina Cultural Oswald de Andrade. O espetáculo ganhou os prêmios de Atriz, Direção, Iluminação e Espetáculo no Festival Nacional Cacilda Becker e, recentemente, os prêmios de Texto Original e Iluminação no Festival Nacional de Itapevi.

Tigrela inspirou-se livremente no universo da escritora Lygia Fagundes Telles para criar uma alegoria fantástica da atual crise e polarização política nacional.

Na história, o território de Ciranda de Pedra tem uma nova líder: o sistema operacional Tigrela, pois acredita-se que um sistema é incorruptível. Ao mesmo tempo, um rei, uma líder religiosa, uma jornalista e um operário estão sendo caçados pelo exército de ratos anões a mando de Tigrela.

A ação da peça ocorre em dois tempos. Como num quebra-cabeça, presente e passado fundem-se neste atípico suspense sobre poder, tecnologia e sexo. O espetáculo foge do maniqueísmo atual e apresenta personagens dissonantes e plurais e seus planos para ascenderem ao poder do território.

FACE (1)

Tigrela

Com Andrea Serrano, Beatriz Aguera, Lucas Sancho e Rodrigo Risone

Oficina Cultural Oswald de Andrade (Rua Três Rios, 363 – Bom Retiro, São Paulo)

Duração 55 minutos

25 e 26/11

Segunda e Terça – 20h

Grátis

Classificação 18 anos

TIGRELA

TIGRELA inspirou-se livremente nos contos da escritora Lygia Fagundes Telles para criar a atmosfera de mistério, com diálogos fantásticos, retratando personagens que são enganados pelo mundo e por eles próprios. O espetáculo é uma alegoria fantástica da crise políticia nacional.

Na história, o território de Ciranda de Pedra tem uma nova líder: o sistema operacional Tigrela. “Afinal, um sistema é incorruptível. Ao mesmo tempo, um ex-rei, uma religiosa, uma jornalista e um operário estão sendo caçados pelo exército de ratos anões. O que essa nova líder e eles têm em comum? Como num quebra cabeça, presente e passado fundem-se neste atípico suspense sobre poder, tecnologia e sexo. TIGRELA foge do maniqueísmo atual e apresenta personagens dissonantes e plurais, que lutam contra seus anjos e demônios corruptíveis

Com a caixa cênica vazia, os espaços vão sendo desenhados pela iluminação e movimentação dos atores. Os elementos da peça se complementam na contradição: fala e corpo, luz e espaço, música e ruído.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Tigrela
Com Igor Amanajás, Larissa Carneiro, Lucas Sancho e Thaize Pinheiro
Complexo Funarte – Sala Carlos Miranda (Alameda Nothmann, 1058 – Campos Elíseos, São Paulo)
Duração 60 minutos
02/09 até 01/10
Sábado – 19h, Domingo – 18h
$20
Classificação 16 anos

 

TIGRELA

A dramaturgia do espetáculo TIGRELA inspirou-se livremente nos contos da escritora Lygia Fagundes Telles para criar a atmosfera de mistério, com diálogos fantásticos, retratando personagens que são enganados pelo mundo e por eles próprios.

Na história, o território de Ciranda de Pedra tem uma nova líder: o sistema operacional Tigrela. “Afinal, um sistema é incorruptível. Ao mesmo tempo, um ex-rei, uma religiosa, uma jornalista e um operário estão sendo caçados pelo exército de ratos anões. O que essa nova líder e eles têm em comum? Como num quebra cabeça, presente e passado fundem-se neste atípico suspense sobre poder, tecnologia e sexo.

Com a caixa cênica vazia, os espaços vão sendo desenhados pela iluminação e movimentação dos atores. Os elementos da peça se complementam na contradição: fala e corpo, luz e espaço, música e ruído. O espetáculo conta com canções originais que quebram as cenas e revelam o alter-ego dos personagens.

TIGRELA é uma alegoria fantástica do cotidiano que foge do maniqueísmo atual e apresenta personagens dissonantes e plurais, que lutam contra seus anjos e demônios corruptíveis.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Tigrela
Com Igor Amanajás, Lucas Sancho, Renata Flores e Thaize Pinheiro
Espaço Parlapatões ( Praça Franklin Roosevelt, 158 – Consolação, São Paulo)
Duração 60 minutos
23/06 até 11/08
Sexta – 21h
$40
Classificação: 16 anos