BAIXA TERAPIA

A comédia Baixa Terapia, que tem no elenco Antonio Fagundes, Mara Carvalho, Alexandra Martins, Ilana Kaplan, Fábio Espósito e Bruno Fagundes, se prepara para a retomada paulistana do espetáculo, no dia 19 de janeiro .

O espetáculo, que reuniu mais de 50 mil espectadores em sua temporada de três meses em Portugal, com 55 sessões esgotadas, passou por mais de vinte cidades no Brasil e também pelos Estados Unidos e retorna, para curta temporada, ao Teatro Tuca.

A debochada comédia de Matias del Federico, com adaptação de Daniel Veronse e direção de Marcos Antônio Pâmio, reúne três casais que não se conhecem e que se encontram inesperadamente em um consultório para sua sessão habitual de terapia. Dessa vez, descobrem que a psicóloga não estará presente e, a partir daí, vem à tona queixas, confissões, suspeitas, revelações, verdades e mentiras da maneira mais escrachada para eles e divertidíssima para o público.

Baixa Terapia começa rigorosamente no horário!

Experiência 360º

Bastidores

O público tem acesso aos bastidores, antes das sessões, para vivenciar o que acontece por trás do espetáculo, com uma conversa com o elenco e tour pelas coxias e camarim. O ingresso para os bastidores é vendido a preço único de R$ 100 + valor do ingresso para o espetáculo. Essa experiência tem duração aproximada de 30 minutos e é finalizada com uma foto exclusiva dos visitantes com o elenco do espetáculo.

Bate-Papo

O tradicional bate-papo de todo o elenco com a plateia no fim de cada espetáculo, permite ao público maior aproximação com os atores numa troca divertida e informal.

Sobre Baixa Terapia

Baixa Terapia é uma debochada comédia com um final que pega todos de surpresa. Três casais que não se conhecem, se encontram inesperadamente em um consultório para sua sessão habitual de terapia, mas dessa vez descobrem que a psicóloga não estará presente.

Ela deixou a sala preparada para recebê-los com um pequeno bar onde não falta whisky e uma mesa com envelopes, contendo instruções de como deverão conduzir essa sessão.

O objetivo é que todas as questões sejam resolvidas em grupo. Cada envelope traz uma situação mais engenhosa que a outra, transformando a sessão num caos hilariante.

CARMEN.png

Baixa Terapia

Com Antonio Fagundes, Mara Carvalho, Alexandra Martins, Ilana Kaplan, Fábio Espósito e Bruno Fagundes

Teatro TUCA (R. Monte Alegre, 1024 – Perdizes, São Paulo)

Duração 90 minutos

19/01 até indeterminado

Sexta – 21h30, Sábado – 20h, Domingo – 18h

$100/$120

Classificação 14 anos

BAIXA TERAPIA

 

Comédia escrita pelo argentino Matias Del Federico com a direção de Marco Antônio Pâmio, é a mais nova peça de Antonio Fagundes, que encabeça o elenco composto por Mara Carvalho, Alexandra Martins, Ilana Kaplan, Fábio Espósito e Bruno Fagundes.

Em cartaz em São Paulo, Baixa Terapia é uma debochada comédia com um final que pega todos de surpresa. Três casais, um após o outro, chegam para uma sessão de terapia. Quando se encontram, descobrem que esta sessão será em grupo e ainda que a psicóloga não estará presente. Ela deixou a sala preparada para recebê-los com um pequeno bar – onde não falta whisky, e uma mesa com envelopes numerados com instruções passo a passo de como devem conduzir essa sessão especial. O objetivo é que todas as questões sejam resolvidas em grupo. A partir daí vem à tona queixas, confissões, suspeitas, revelações, verdades e mentiras da maneira mais escrachada para eles e divertidíssima para o público.

Os três casais são formados por Ariel (Antonio Fagundes) e Paula (Mara Carvalho), Estevão (Bruno Fagundes) e Tamara (Alexandra Martins) e Roberto (Fábio Espósito) e Andrea (Ilana Kaplan). São pessoas com diferentes problemas e conflitos. A sessão corre regada a whisky e vai se aprofundando nos problemas de todos eles.

Cada envelope trata de temas para cada um dos casais. O ambiente vai esquentando até tornar-se quase caótico. Não são todos que estão dispostos a se abrir para falar dos assuntos que os afligem e aos seus parceiros – já que ocultam algo que jamais revelariam. No final, a sessão de terapia se converte em uma armadilha hilariante. Já teve uma “DR”? Você não imagina a deles!

Baixa Terapia é uma louca comédia com diálogos ácidos, às vezes contraditórios, que fluem num ritmo vertiginoso e mantém o público ligado desde o primeiro minuto.

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

Baixa Terapia
Com Antonio Fagundes, Mara Carvalho, Alexandra Martins, Ilana Kaplan, Fábio Espósito e Bruno Fagundes
Teatro TUCA (Rua Monte Alegre, 1024 – Perdizes – São Paulo)
17/03 até 01/10
Duração 80 minutos
Sexta – 21h30; Sábado – 20h; Domingo – 19h
$70/$90
Classificação 14 anos

BAIXA TERAPIA

Antonio Fagundes, Mara Carvalho, Alexandra Martins, Ilana Kaplan, Fábio Espósito e Bruno Fagundes, sobem ao palco do Teatro Tuca, em Perdizes, para a estreia do espetáculo Baixa Terapia.

O figurino e a cenografia da peça – com texto escrito pelo argentino Matias Del Federico, com adaptação de Daniel Veronese, tradução de Clarisse Abujamra e direção de Marco Antônio Pâmio – são assinados por Fábio Namatame, publicitário e artista plástico com ampla experiência em direção de arte, cenário e figurino para teatro, ópera, publicidade, cinema e TV.

Eu vi a montagem original para me inspirar. Como o cenário todo é um lugar sugerido, não um lugar físico, já que não tem paredes nem nada, optei por cores alegres e formas neutras, para ficar aconchegante tanto para os atores, quanto para o público. Além disso, me inspirei no pintor Piet Mondrian, que eu gosto muito e tem obras de arte nas cores do cenário: azul, vermelho e amarelo, além do branco e  preto, presente nos figurinos”, comenta Fábio.

Ganhador de prêmios como Shell, Apetesp e APCA, Fábio Namatame já foi responsável pela arte visual de Vermelho, última montagem de Antonio e Bruno Fagundes no Teatro Tuca.

O Fábio é um grande parceiro e artista. Resolvemos apostar nele para estar com  a gente em mais uma montagem”, comenta Antonio Fagundes.

Para o figurino, Fábio conta que buscou opções na essência de cada um e no que imaginava ser a personalidade de cada personagem. “Todas as peças de roupa, na verdade, foram escolhidas para que os personagens parecessem reais. Busquei o que cada um precisava transparecer com o texto e escolhi um figurino realista, já que a peça retrata problemas que podem acontecer com qualquer pessoa”, finaliza Fábio.

Baixa Terapia

Em cartaz em São Paulo a partir de 17 de março, Baixa Terapia é uma debochada comédia com um final que pega todos de surpresa. Três casais que não se conhecem, se encontram inesperadamente em um consultório para sua sessão habitual de terapia, mas dessa vez descobrem que a psicóloga não estará presente.

Ela deixou a sala preparada para recebê-los com um pequeno bar onde não falta whisky e uma mesa com envelopes, contendo instruções de como deverão conduzir essa sessão.

O objetivo é que todas as questões sejam resolvidas em grupo. Cada envelope traz uma situação mais engenhosa que a outra, transformando a sessão num caos hilariante.

unnamed

Baixa Terapia
Com Antonio Fagundes, Mara Carvalho, Alexandra Martins, Ilana Kaplan, Fábio Espósito e Bruno Fagundes
Teatro Tuca (Rua Monte Alegre, 1024 – Perdizes, São Paulo)
Duração 80 minutos
17/03 até 29/06
Sexta – 21h30; Sábado – 20h; Domingo – 19h
$60/$80
Classificação 14 anos
 
Texto: Matias Del Federico
Adaptação: Daniel Veronese
Tradução: Clarisse Abujamra
Direção: Marco Antônio Pâmio
Acessibilidade: Steno do Brasil
Assessoria Jurídica: OLN Advogados.
Assessoria de imprensa: Coletiva Comunicação.
Assistente administrativo: Gustavo de Souza.
Diretor de produção: Carlos Martin.

ENSAIO ABERTO “VERMELHO”

Os amantes de teatro terão uma rara oportunidade nos próximos finais de semana. Antonio e Bruno Fagundes abrem leituras e ensaios permitindo ao público o acompanhamento desde o início do processo de criação de Vermelho, que estreia no dia 12 de agosto, no teatro Tuca, em Perdizes. “Há algumas décadas eu já fazia isso e era realmente especial para ambos os lados. É um momento único para quem se interessa.” conta Antonio Fagundes.

Antonio e Bruno receberão até 80 pessoas, durante os ensaios, entre os dias 02 de julho e 10 de agosto, das 15h00 às 16h30 na sala de ensaio do próprio Tuca. Além dos ensaios os atores estarão a disposição dos participantes para esclarecer suas dúvidas e curiosidades. “Queremos que seja um momento de troca e comunicação. Queremos conhecer nosso público de perto e compartilhar nosso estudo com ele.” completa Bruno.

Os interessados poderão adquirir os ingressos para os ensaios pelo valor de R$20,00 através do site da Ingresso Rápido ou na bilheteria do teatro Tuca. Mais informações acesse o site  www.vermelhooficial.com

size_810_16_9_antonio-fagundes-e-o-filho-nos-bastidores-da-peca-vermelho

Vermelho

Em seu ateliê em Nova Iorque, o consagrado artista Mark Rothko recebe, pela primeira vez, seu novo assistente, Ken, e a partir da pergunta “O que você vê?” (apontando para uma das pinturas em que trabalhava) inicia-se um eletrizante embate entre os dois. Conceitos artísticos entre as gerações, diferentes bagagens culturais e o mesmo amor pela arte são alguns dos objetos em cena. “Rothko tem uma história fascinante e um entendimento único de arte. Queremos mostrar, de forma leve e bem-humorada, essa grande história”, afirma Bruno Fagundes.

Vermelho se passa no final dos anos 50, quando o icônico pintor (líder do Expressionismo Abstrato) recebeu um convite para pintar grandes painéis de um luxuoso restaurante em Nova York e recebeu uma quantia quase inestimável para a época (o equivalente hoje a 10 milhões de dólares). Um encontro cheio de nuances entre mestre e aprendiz, com arte, reflexão e questionamento, é o pano de fundo em meio ao cenário repleto de detalhes, com preparo de tintas e quadros pintados durante a sessão.

Ensaio Aberto – “Vermelho”
Com Antônio Fagundes e Bruno Fagundes
Sala de ensaio – TUCA ( R. Monte Alegre, 1024 – Perdizes, São Paulo)
02/07 até 10/08
Sábado – 15h às 16h30
$20

VERMELHO

A dupla Antonio e Bruno Fagundes tem confirmado a sinergia no palco no decorrer dos últimos anos. Após o estrondoso sucesso de Tribos os atores se preparam para a retomada paulistana do espetáculo Vermelho no teatro Tuca. Vermelho que teve recorde de público no Rio de Janeiro dentre outras críticas entusiasmadas foi avaliado como “Teatro obrigatório” pela importante crítica teatral Bárbara Heliodora.

Pai e filho retomam a produção de Vermelho, a partir do dia 12 de agosto, no Tuca, em São Paulo, e apresentam o premiado texto de John Logan – revelando a intimidade do processo de criação de um artista plástico, além de levantar questões ligadas à ética no trabalho e questionamentos como qual o verdadeiro valor do seu trabalho.

Dando continuidade a sua forma de produzir, Vermelho também não conta com patrocínio e nem apoio via leis de incentivo a cultura, dependendo única e exclusivamente da bilheteria. Vermelho tem direção e cenário de Jorge Takla, tradução de Rachel Ripani, figurino de Fábio Namatame e iluminação de Ney Bonfante. “Adoramos fazer Vermelho. É divertido ouvir as risadas do público diante da relação dos dois em cena”, conta Antonio Fagundes, que completa “Tivemos que dar uma pausa na temporada de Vermelho pois Tribos tinha prazo para ser montado. Depois do sucesso desta produção chegou a hora de retomar Vermelho. Estamos muito otimistas com essa nova fase”.

size_810_16_9_antonio-fagundes-e-o-filho-nos-bastidores-da-peca-vermelho

Vermelho

Em seu ateliê em Nova Iorque, o consagrado artista Mark Rothko recebe, pela primeira vez, seu novo assistente, Ken, e a partir da pergunta “O que você vê?“ (apontando para uma das pinturas em que trabalhava) inicia-se um eletrizante embate entre os dois. Conceitos artísticos entre as gerações, diferentes bagagens culturais e o mesmo amor pela arte são alguns dos objetos em cena. “Rothko tem uma história fascinante e um entendimento único de arte. Queremos mostrar, de forma leve e bem-humorada, essa grande história”, afirma Bruno Fagundes.

Vermelho se passa no final dos anos 50, quando o icônico pintor (líder do Expressionismo Abstrato) recebeu um convite para pintar grandes painéis de um luxuoso restaurante em Nova York e recebeu uma quantia quase inestimável para a época (o equivalente hoje a 10 milhões de dólares). Um encontro cheio de nuances entre mestre e aprendiz, com arte, reflexão e questionamento, é o plano de fundo em meio ao cenário repleto de detalhes, com preparo de tintas e quadros pintados durante a sessão.

Após 80 minutos de espetáculo, Antonio e Bruno Fagundes promovem ainda, ao final de cada apresentação, um delicioso e informal bate-papo com a plateia, contando curiosidades da montagem e da própria vida do pintor Mark Rothko.

Para aqueles interessados em se informar antes do espetáculo, uma pequena exposição no saguão do teatro mostra ao público todos os temas que serão discutidos ao longo da peça.

No último sábado de cada mês, continuando o projeto de inclusão social que iniciou com Tribos em 2013, apresentam sessões com acessibilidade para deficientes visuais e auditivos (interprete de LIBRAS, áudio descrição e tablets com legenda). A Steno do Brasil é a empresa parceira responsável pelos equipamentos e serviços que permitem esta inclusão.

vermelho_bx_joao-caldas_pi

Vermelho
Com Antonio Fagundes e Bruno Fagundes
Tuca (Rua Monte Alegre, 1024 – Perdizes, São Paulo)
Duração 80 minutos
12/08 até 04/12
Sexta e Sábado – 21h30; Domingo – 18h
$60/$80
Classificação 12 anos
 
 
Texto: John Logan.
Tradução: Rachel Ripani.
Direção: Jorge Takla.
Figurinos: Fabio Namatame.
Design de Luz: Ney Bonfante.
Design de cenário: Jorge Takla.
Assistente de produção: Gustavo de Souza.
Diretor de produção: Carlos Martin.
Assessoria Jurídica: OLN Advogados.
Assessoria de imprensa: Coletiva Comunicação.
Realização: Fagundes Produções.

 

VOCÊ VIU…

que a peça “Histeria“, de direção e versão de Jô Soares, estreia dia 30 de abril no Teatro Tuca?

O texto original é do dramaturgo britânico Terry Johnson, que mostra o encontro do psicanalista Sigmund Freud com o pintor Salvador Dali, ocorrido em  1938, em Londres. Nos papeis brasileiros, temos Antonio Petrin vivendo o pai da piscanálise, e Cassio Scapin, o pintor espanhol. Completam o elenco os atores Milton Levy e Erica Montanheiro.

E Jô espera estrear no segundo semestre, o texto de ShakespeareTrólio e Créssida“, uma peça que se passa durante a Guerra de Troia.