CINDERELLA, O MUSICAL

A magia permanece eterna. A prova é o sucesso de ‘Cinderella, o Musical’, que após ser visto por mais de 120 mil pessoas e percorrer as principais capitais brasileiras, está de volta a São Paulo, a partir de 03 de agosto, no Theatro Net São Paulo. Dirigido por Charles Möeller e Claudio Botelho, o espetáculo tem realização da Touché Entretenimento, direção geral de Renata Borges, apresentação do Ministério da Cultura e Circuito Cultural Bradesco Seguros e patrocínio de Apsen FarmacêuticaAlelo e CVC.

É importante fomentar cultura, o público brasileiro merece. E acho fundamental apresentar o espetáculo com o mesmo nível da montagem dos Estados Unidos. Levar o melhor da Broadway a todo o Brasil é um desejo meu e compromisso diante ao Ministério da Cultura”, aponta Renata, que complementa: “negociei a encenação de ‘Cinderella’ diretamente com o escritório em Nova Iorque. Esta foi, sem dúvida, a maior produção teatral de 2016 e, depois de uma turnê de muito sucesso, agora retorna a São Paulo, onde o espetáculo nasceu”.

O conto de fadas

Quem nunca sonhou com um príncipe encantado? Esse é um desejo universal e deu origem a uma série de contos de fadas que se perpetuam de geração em geração. Nenhum deles, contudo, é mais famoso do que Cinderella, a gata borralheira que se transforma em princesa por um dia e encontra seu grande amor graças ao sapatinho de cristal perdido.  E assim são felizes para sempre! Essa célebre história de amor ganhou uma versão musical para a TV, em 1957, com canções de Richard Rodgers e Oscar Hammerstein e chegou à Broadway em 2013. O Brasil, finalmente, tem sua própria ‘Cinderella’.

 ‘Cinderella’, de Rodgers e Hammerstein, foi exibido pela primeira vez na TV (na CBS),  estrelado por Julie Andrews, em março de 1957, e é, até hoje, o programa mais visto da história da televisão americana. O musical é baseado na versão do conto de fadas ‘Cinderella’, particularmente na versão francesa Cendrillon ou La Petite Pantoufle de Verre, de Charles Perrault. Este é o único musical da dupla escrito especialmente para a televisão e ganhou duas novas versões: em 1965 e 1997.

O musical da Broadway estreou em 2013, com novo texto de Douglas Carter Beane, e teve nove indicações ao Tony Awards, além de vencer três Dramas Desk. É a primeira vez que o musical ganha uma montagem fora dos Estados Unidos.

A direção musical é de Carlos Bauzys (‘Cantando na Chuva’, ‘O homem de la mancha’, ‘A madrinha embriagada’, ‘Nuvem de lágrimas’, ‘Alô, Dolly!’,  entre outros), que comandou uma orquestra de 16 músicos. A direção de produção é de Rômulo Sales.

Cinderella, o Musical

Com Lia Canineu, André Loddi, Ivanna Domenyco, Talitha Pereira, Igor Miranda, Luana Bichiqui, Letícia Mamede, Marino Rocha, Fernando Palazza, Willian Sancar, Mariana Amaral, Ana Araújo, Mariana Montenegro, Nay Fernandes, Thati Abra, Raquel Higa, Rodrigo FilgueirasMarcelo Vasquez, Renato Bellini, Alberto Venceslau, Vittor Fernando e Lucas Nunes.

Theatro NET São Paulo – Shopping Vila Olímpia (Rua Olimpíadas, 360 – Vila Olímpia, São Paulo)

Duração 120 minutos

03/08 até 30/09

Quinta e Sexta – 20h, Sábado – 16h e 20h, Domingo – 17h

$75/$250

Classificação Livre

EXPRESSO BRASILEIRO

Vice-campeão da primeira temporada de Popstar, reality da rede Globo, Claudio Lins apresenta seu show Expresso Brasileiro dia 15 de agosto, quarta-feira, 21h, no Theatro Net São Paulo, na Vila Olímpia.
 
Novo projeto é fruto da experiência vivida durante o programa em que interpretou clássicos de Gilberto Gil, Caetano Veloso, Arnaldo Antunes, Djavan, João Bosco, Aldir Blanc, Baden Powell, Vinícius de Moraes, Alceu Valença, Edu Lobo e, claro, seu pai Ivan Lins e o parceiro e Vítor Martins.
 
Com arranjos novos e contemporâneos, show apresenta repertório que inclui Expresso 2222, Canto de Ossanha, Lembra de Mim, Tropicana, Corsário, Oceano, Fora da Ordem, Ponteio, Volte para o seu lar, Lotação Esgotada, DDD, Impaciência (gravada por Luciana Mello), Por toda vida, gravada também pela cantora Maria Rita e trilha sonora da novela Avenida Brasil, entre outras músicas que marcaram a carreira musical dos dois álbuns lançados pelo cantor: Um e Cara.
CLAUDIO LINS 10052017_ FOTO ALEXANDRE MOREIRA IMG_9287-2.jpg
Expresso Brasileiro
Com Claudio Lins
Theatro NET São Paulo – Shopping Vila Olímpia (Rua Olimpíadas, 360 – Vila Olímpia, São Paulo)
Duração 100 minutos
15/08
Quarta – 21h
$50/$120
Classificação 12 anos

KIDS – O SHOW

Nos dias 28 de abril, 15h e 29 de abril, 14h, o palco do Theatro Net São Paulo recebe as crianças que participaram do The Voice Kids para um show, que, além de muita música, reúne elementos de dança, teatro e brincadeiras sobre algumas situações dos bastidores do programa.

Com participações dos cantores Brunno Pastori, da Bahia; Melissa Noemy e Luiza Gattai, de São Paulo, Flávia Scanuffo, do Paraná; Luiz Ricardo, do Rio de Janeiro; Laura d’Ávila, de Minas Gerais e Sofia Nunes, de Pernambuco, e da idealizadora do projeto, a cantora amazonense Marcella Bártholo, show tem estreia nacional na capital paulista.

São Paulo é um desafio e também uma grande vitrine para os cantores mirins. É uma oportunidade para o público que acompanha a atração matar a saudade dos cantores e acompanhar a evolução da carreira deles, após a participação no programa”, destaca Marcella.

No repertório, um passeio por variados estilos – do rock ao pop, do sertanejo ao gospel –, prometendo envolver a plateia em um grande espetáculo, com mais de 30 músicas. Na primeira parte do show, os kids vão homenagear seus ídolos. Marcella Bártholo canta ‘Crazy in love’, de Beyoncé; Flávia Scanuffo vai de ‘Sorte Grande’, de Ivete Sangalo; Brunno Pastori apresenta ‘Thriller’, de Michael Jackson; Luiza Gattai, ‘Rolling in the deep’, de Adele, Sofia Nunes, ‘Masterpiece’, de Jessie J; Laura d’Ávila, ‘Home’, de Gabrielle Aplin, Melissa Noemi, ‘Sonda-me, Usa-me’, de Aline Barros; e Luiz Ricardo interpreta ‘When I was your man’, de Bruno Mars.

BeFunky Collage.jpg

Kids – O Show
Com Brunno Pastori, Melissa Noemy, Luiza Gattai, Flávia Scanuffo, Luiz Ricardo, Laura d’Ávila, Sofia Nunes, Marcella Bártholo
Theatro NET São Paulo – Shopping Vila Olímpia (Rua Olimpíadas, 360 – Vila Olímpia, São Paulo)
Duração 60 minutos
28 e 29/04
Sábado – 15h, Domingo – 14h
$70/$140
Classificação Livre

GOLD HERANÇA

Tudo era sol, era ré, mi, fá… ai que saudade me dá…” Como dizem os versos da canção “GoldHerança”, de autoria de Gerard Gambus e Carlos Colla, a família Correa sempre foi um exemplo de musicalidade.

Começaram suas carreiras muito jovens. Por volta de 1958, os primeiros a estrearem oficialmente na música foram os irmãos Ronaldo, Roberto e Renato juntamente com o primo Valdir. Surgia então os Golden Boys, que começaram a carreira cantando versões em português para baladas e rocks internacionais conhecidos do grande público em programas de calouros nas rádios do Rio de Janeiro. Conforme a Jovem Guarda assumia posição de destaque na música brasileira, o grupo aumentava seu prestígio. Os Golden Boys também tiveram nobre participação nos Festivais, excursionaram por países da América do Sul e gravaram diversos discos.

 Mas a família é grande… e os irmãos mais novos Mário, Regina e Evinha observavam atentamente tudo que acontecia com muito brilhantismo com seus irmãos mais velhos dos Golden Boys.

 Foi aí que em 1961, o Trio Esperança iniciou também a sua carreira. O sucesso veio com “Filme Triste”, versão brasileira de “Sad Movies”. Em seguida, outros hits do trio vocal como “O Passo do Elefantinho”, “Festa do Bolinha”, “Gasparzinho” estiveram à frente das rádios e programas de tv da época.

 No fim da década de 60, Evinha partiu para carreira solo, sendo substituída por sua outra irmã, a caçula Mariza, ou Marizinha como é conhecida. Com a nova formação, o grupo lançou outros discos de sucesso.

 Após sua saída do Trio Esperança, Evinha começou mais uma bela trajetória. Seu primeiro sucesso foi “Casaco Marrom”. Em 1969, conquistou o primeiro lugar no IV Festival Internacional da Canção com a música “Cantiga por Luciana”, conquistou tambem o segundo lugar no Festival da Música em Atenas (Grecia) e foi finalista do Festival Yamaha em Toquio (Japão). Juntamente com suas irmãs, gravou músicas brasileiras em um disco de Paul Mauriat em 1977, excursionando com o maestro francês pelo Japão e pela China. Casou-se com Gérard Gambus pianista e diretor musical da orquestra de Paul Mauriat, e passou a viver na França.

 Com o término do Movimento Jovem Guarda, o Trio Esperança também chegou ao fim. Mário se tornou empresário do ramo de educação e as duas irmãs Mariza e Regina também foram morar na Europa. Por lá, junto à Evinha, voltaram a cantar e criaram uma nova formação do Trio Esperança, gravando 5 álbuns que geraram 3 discos de ouro e sempre com muito sucesso de público e crítica. Paralelamente Evinha continua sua carreira solo e lançou em 2016 com o marido Gérard o álbum “Uma voz, um Piano” . Este disco faz parte dos 100 melhores albuns do ano de 2016.

Já o grupo Golden Boys nunca parou de cantar e faz shows por todo o Brasil. Além disso, compuseram hits que foram cantados não só por ícones da Jovem Guarda, mas também por nomes atuais como Roupa Nova (canção “Anjo”), Xuxa (canção “Doce Mel”), Alcione (“Pode Esperar”), Fábio Jr (também a canção “Anjo”), entre outros artistas. Recentemente o irmão mais novo, Mário Correa (Trio Esperança) passou a caminhar oficialmente com o grupo, ocupando o lugar do saudoso e amado irmão Roberto Correa.

  Gente que se ama, gente que se aninha no mesmo abraço. Gente que se une, gente que caminha no mesmo passo. E em cada veia corre o mesmo sangue … mesmo compasso. Vamos nessa dança nessa gold herança … que nos deixaram nossos pais.” (Gold Herança – Gérard Gambus/ Carlos Colla)

Gold Herança
Com Golden Boys, Evinha e Trio Esperança
Theatro NET SP – Shopping Vila Olímpia (Rua Olimpíadas 360 – Vila Olimpia, São Paulo)
Duração 60 minutos
11/04
Quarta – 21h
$100/$120
Classificação 12 anos

60! DÉCADA DE ARROMBA – DOC. MUSICAL

Após temporada de sucesso e crítica em São Paulo e Rio de Janeiro, 60! Década de Arromba – Doc. Musical retorna à capital paulista em curta temporada no Theatro NET São Paulo. A reestreia acontece dia 06 de abril, 20h30. As sessões acontecem de quinta a sexta-feiras, 20h30, aos sábados, 17h e 21h, e no domingo, 17h, com temporada até dia 1º de maio.

Representante maior da Jovem Guarda, um dos principais movimentos musicais da década de 1960, a cantora Wanderléa é a “cereja do bolo” de 60! Década de Arromba – Doc. Musical, dirigido por Frederico Reder, com roteiro e pesquisa de Marcos Nauer. A cantora participa pela primeira vez de um musical, interpretando ela mesma. O espetáculo utiliza ferramentas de documentário (fotos, vídeos e depoimentos reais), somadas a cenas, textos e canções apresentadas ao vivo por 24 atores/cantores /bailarinos para contar a história da década de 1960.

60 foi uma década muito importante em vários aspectos: nas artes, no esporte, nos movimentos sociais e políticos e no avanço tecnológico. Descobri durante o processo da peça que estávamos fazendo um documentário musical, em que cantamos toda a história sem utilizar nenhum personagem real. A única personagem que trazemos para a cena é a Wanderléa, interpretando ela mesma. Um luxo”, conta o diretor Frederico Reder.

O momento era de grande agitação política, jovens reivindicavam seus direitos pregando a bandeira do amor. Wanderléa embalava os sonhos de milhões de brasileiros com os versos bem apropriados para a época na música “É o Tempo do Amor”.

Fruto de uma extensa pesquisa feita por Frederico Reder e Marcos Nauer, 60! Década de Arromba – Doc. Musical começa com um prólogo, em 1922, contando a chegada do Rádio no Brasil, para em seguida mostrar o início da Televisão e aí sim, sua popularização na década de 1960.  A partir desse ponto, a peça narra os principais acontecimentos, apresentando mais de cem canções dos mais diversos gêneros. De Roberto e Erasmo, passando por Dalva de Oliveira, Cauby Peixoto, Elvis Presley, Beatles, Tony e Celly Campello, Bibi Ferreira, Edith Piaf, Tom e Vinicius, Milton Nascimento, Gil e Caetano, Maysa, Geraldo Vandré e tantos outros nomes importantes na música.

Se hoje em dia a discussão em torno do empoderamento feminino está em alta, já em 1960 mulheres marcaram época com frases que deram o que falar. “Ninguém nasce mulher, torna-se mulher”, afirmava a escritora francesa Simone de Beauvoir. Marilyn Monroe fazia sucesso e bradava “mulheres comportadas raramente fazem história”.  Aqui no Brasil, mulheres como Leila Diniz também não ficavam atrás com atitudes e frases que marcaram história, como: “Na minha cama deita quem eu quiser”.

Ícone pop da década de 1960, Wanderléa sempre foi considerada um símbolo de vanguarda. Primeira mulher a posar nua grávida para uma foto e pioneira no uso das minissaias e do silicone, contribuiu para os direitos e a liberdade das mulheres de sua geração.

Fiquei muito emocionada em receber esta homenagem justamente quando a Jovem Guarda completa 50 anos. Nunca havia imaginado integrar um grande musical”, diz Wanderléa.

Produzido pela Brain+ em parceria com a Reder Entretenimento e a Estamos Aqui, “60! Década de Arromba” é uma superprodução com 20 cenários, 10 toneladas de material cênico e mais de 300 figurinos. Além dos 24 atores, conta também com uma orquestra de 10 músicos.

 

60! Década de Arromba – Doc. Musical
Com Wanderléa, Amanda Döring, André Sigom, , Camila Braunna, Deborah Marins, Erika Affonso, Ester Freitas, Fernanda Biancamano, Jade Salim, Leandro Massaferri, Leo Araujo, Ribeiro, Pedro Arrais, Rachel Cristina, Raphael Rossatto, Rodrigo Morura, Rodrigo Naice, Rodrigo Serphan, Rosana Chayin, Tauã Delmiro 
Theatro NET São Paulo – Shopping Vila Olímpia (Rua Olimpíadas 360 – Vila Olimpia, São Paulo)
Duração 180 minutos
06/04 até 01/05
Quinta e Sexta – 20h30, Sábado – 17h e 21h, Domingo – 17h
$50/$220
Classificação 12 anos

60 ANOS DE BOSSA NOVA

Theatro NET São Paulo recebe no dia 1º de março, quinta-feira, às 21 horas, Wilson Simoninha em apresentação única. O show faz parte do projeto 60 anos de Bossa Nova, que presta uma grande homenagem ao movimento musical,  derivado do samba, mas com forte influência do jazz.

No final dos anos 1950, a cumplicidade entre os músicos que se reuniam nas noitadas cariocas e desabafavam as histórias de amor fez surgir essa que é considerada uma das mais belas expressões musicais brasileiras.

Entre os músicos estavam João Gilberto, Tom Jobim e Vinicius de Moraes que, juntos de outros compositores da época, consagraram sucessos como Balanço Zona Sul, Lobo bobo, Eu e a Brisa, Samba do Avião que estão no repertório do show de Simoninha.

Sobre Simoninha

Músico, intérprete, compositor e produtor, Wilson Simoninha sempre esteve acompanhado pela música. Em mais de vinte anos de carreira, integrou produções de artistas consagrados como Jorge Ben Jor e Wilson Simonal; foi vocalista da banda Suíte Combo; trabalhou em edições do Free Jazz Festival e Hollywood Rock; participou de projetos especiais como “João Marcello Bôscolli & Cia”, “Artistas Reunidos”, “Nêgo”, “100 Anos de Gonzagão”, entre outros; foi diretor artístico da gravadora Trama; lançou em carreira solo – 5 CDs e 2 DVDs; além de idealizar, ao lado de seu irmão Max de Castro, o projeto “O Baile do Simonal” (CD, DVD e Show).

Em sua trajetória, também fez a direção musical do longa-metragem “Por Trás do Pano”, criou e dirigiu o espetáculo “Soul do Brasil”, que reuniu artistas de diversas gerações do universo da música negra brasileira, e foi diretor musical dos shows “Heranças” e “O Canto das Mulheres Negras”, em homenagem ao Dia da Consciência Negra. Desde 2002, Simoninha vem fazendo diversas turnês internacionais em países como Alemanha, Inglaterra, Portugal, Japão, Suíça, Holanda, Bélgica, França e Itália.

SIMONINHA_look01_foto_rafaelKent_0060

Simoninha – 60 anos de Bossa Nova
Com Simoninha
Theatro NET São Paulo – Shopping Vila Olímpia (Rua Olimpíadas, 360 – Vila Olímpia, São Paulo)
Duração 80 minutos
01/03
Quinta – 21h
$90/$120
Classificação 12 anos

RENATO RUSSO – O MUSICAL

Em cartaz no Theatro NET São Paulo, na Vila Olímpia, o espetáculo Renato Russo – O Musical cumpre temporada até 4 de março. Em cena, belíssimas canções e histórias curiosas sobre a vida e a obra de um dos grandes poetas do rock nacional, Renato Russo (1960-1996).

Com dramaturgia de Daniela Pereira de Carvalho, direção de Mauro Mendonça Filho, iluminação de Wagner Pinto, cenário de Bel Lobo e Bob Neri, o musical reúne canções que marcaram toda uma geração. No papel principal está o ator Bruce Gomlevsky.

Em cena, a banda toca ao vivo Para deixar o espetáculo ainda com mais cara de show. A Arte Profana é formada por teclado, guitarra, baixo, bateria e ilustra a peça com 22 canções. O texto conta a história de Renato Russo desde a juventude punk em Brasília, quando fundou a banda Aborto Elétrico e ficou por dois anos, em uma cadeira de rodas, até o sucesso da Legião Urbana. O quebra-quebra num show em Brasília e os problemas com drogas estão na encenação.

Depoimentos, reportagens, entrevistas, livros e imagens de shows serviram de base para a concepção da obra biográfica, que há 11 anos estreou no centro do Rio. “Renato é um grande poeta, e é por isso que continua causando comoção nas gerações de hoje. Sua obra gera um impacto enorme na nossa cultura”, afirma Gomlevsky.

Sem a menor dúvida, o que move o espetáculo é a força do Renato e o legado que deixou na Legião Urbana, através das composições, que são a cada dia mais atuais. Os fãs se renovam e hoje temos além de adultos e idosos na plateia, jovens e adolescentes que se emocionam a cada sessão”, conta Bianca de Felippes, produtora do musical e do longa metragem “Eduardo e Mônica”, que será rodado este ano.

Fotos Ricardo Brajtermam-3.jpg

Renato Russo – O Musical
Com Bruce Gomlevsky
Theatro NET São Paulo – Shopping Vila Olímpia (Rua Olimpíadas, 360 – Vila Olímpia, São Paulo)
Duração 120 minutos
até 04/03
Sexta e Sábado – 21h, Domingo – 17h30
$50/$120
Classificação 12 anos